Games

'PC Building Simulator' é muito mais divertido que montar um PC de verdade

Montar um PC gamer na vida real é difícil pacas, mas num videogame pode ser bem legal.
29.3.18
'PC Building Simulator'. Imagens: Reprodução.

Matéria originalmente publicada na Motherboard.

Até hoje, ainda recebo e-mails sobre uma matéria que escrevi em 2016 intitulada Jogar Em PC Ainda É Muito Difícil.

Algumas pessoas me escrevem concordando que o processo de escolher peças pra um PC, encontrar o melhor lugar para comprá-las e montar a coisa toda é um pé no saco. Tudo que você quer é um computador poderoso, que de longe é a melhor plataforma para jogar videogames, mas chegar nesse ponto pode ser caro e chato. Essas pessoas geralmente pedem para permanecer anônimas.

Publicidade

Mas muita gente me escreve para dizer que sou idiota. E tenho duas coisas para dizer pra elas:

  • Foda-se
  • Tem um jogo novo no Steam esta semana chamado PC Building Simulator que você provavelmente vai gostar, já que ama tanto assim seu PC.

Eu gostei de PC Building Simulator porque ele destaca as partes “divertidas” de montar um PC, e, porque todos os videogames são fantasias poderosas de um jeito ou de outro, o jogo convenientemente ignora todas as partes chatas e difíceis.

Mais um dia, mais um trampo.

PC Building Simulator, que você joga de uma perspectiva em primeira pessoa, começa com meu tio Tim me deixando no comando de uma pequena assistência técnica de computadores com nada pra fazer além de um trabalho atrasado de remoção de vírus e $15 de dívida. É um trampo fácil. Tudo que tenho que fazer é colocar o computador na minha mesa de trabalho, ligar a um monitor, teclado, mouse e um pen drive. Instalo um antivírus, faço um escaneamento, deleto arquivos ruins, desplugo tudo e mando o computador de volta para o cliente, que me pega $100 nesse caso.

Quando consigo meu próprio computador (no jogo), posso ler meus e-mails para aceitar mais trabalhos e encomendar peças que preciso para esses trabalhos. Quando termino minhas tarefas do dia, saio pela porta da frente. Isso começa um novo dia de trabalho, com mais computadores para consertar, peças para encomendar e novos e-mails com mais trabalhos no inbox.

Conforme os dias passam, os trabalhos ficam mais complicados. Aqui, por exemplo, tenho um e-mail de um cliente chamado DR Waterman:

Publicidade

Como você pode ver, o idiota do meu tio vendeu pra esse otário um PC mas esqueceu de aplicar pasta térmica na CPU. Para esse trabalho, tenho que abrir o PC, desplugar o cooler da CPU, aplicar a pasta térmica e colocar o cooler de volta. Para garantir que o computador está funcionando direito, também tenho que instalar e rodar o 3DMark, um software da vida real que testa a performance de um computador rodando demos de gráficos 3D.

Uma das coisas mais legais de PC Building Simulator é que ele usa várias marcas reais. Algumas marcas são falsas, acho, porque o desenvolvedor não conseguiu a licença necessária. Por exemplo, PC Building Simulator aparentemente acontece numa dimensão alternativa utópica onde todo mundo usa um sistema chamado Omega, que acho que é tipo um Linux que magicamente roda todos os jogos de PC. Mas também há várias partes reais. Já instalei GPUs EVGA de verdade e já trabalhei com a marca Master Cooler no PC de casa.

Até aí, tudo bem, mas percebi que PC Building Simulator não estava de brincadeira quando o jogo exigiu que eu ficasse sentado assistindo todo o teste do 3DMark para poder terminar o trabalho. O coitado do DR Waterman só tinha uma média de 8 quadros por segundo, mas o PC estava funcionando agora então isso não é mais problema meu. Além disso, como esse trabalho é para consertar uma cagada da própria loja, nem vou ser pago. Valeu, tio Tim.

Alguns trabalhos me fizeram lembrar da assistência técnica em que eu costumava inocentemente levar meu computador quando era criança, e perceber que as pessoas trabalhando lá definitivamente estavam tentando me passar a perna, porque isso é exatamente o que fiz em PC Building Simulator. Alguns dos meus clientes não conhecem bem computadores. Eles só sabem que seus filhos querem jogar o último lançamento, ou que disseram que eles precisam de mais RAM, mas eles não sabem o que isso significa. Se um cliente diz que quer 16GB de RAM e me dá um orçamento de $300, claro que vou comprar o RAM mais barato e maximizar os lucros.

Publicidade

Mas clientes ignorantes são uma faca de dois gumes. Às vezes eles dizem que querem uma nova CPU, mas não deixam claro que tipo de placa-mãe eles têm, então depende de mim garantir que as peças que encomendo são compatíveis. De qualquer maneira, gostei que PC Building Simulator seja mais que literalmente montar computadores, incluindo também simulação de gerenciamento.

O que realmente torna PC Building Simulator divertido, diferente da chatice que é o processo de montar um computador real, é como ele simplifica todas as pequenas frustrações que vêm de montar uma placa-mãe, aplicar pasta térmica, etc.

Os acólitos dos videogames de PC gostam de dizer que montar um computador é como brincar de LEGO porque, pelo menos no papel, a maioria do processo envolve plugar peças coloridas. O que esses mentirosos não te dizem é que você precisa de três mãos para colocar um cooler de água no lugar enquanto desparafusa um dissipador de calor e o parafusa ao mesmo tempo. Eles não te dizem que quando você fecha uma tampa de CPU parece que está quebrando centenas de dólares de equipamento 100% das vezes. Eles não dizem que plugar o botão de ligar na placa-mãe é confuso e irritante porque cada placa-mãe é um pouco diferente, e os pinos são pequenos, e não tem muito espaço pra manobra entre os vários componentes e o ninho de rato dos fios. É por isso que as pessoas desistem e acabam comprando um Mac.

Mas nenhum desses problemas existe em PC Building Simulator. Instalar qualquer peça só exige clicar nas peças, chaves e soquetes na ordem certa. Nesse ponto parece mesmo brincar de LEGO, e não tenho que me preocupar quanto vai me custar se eu foder com tudo.

PC Building Simulator não é um jogo super bem feito. Os menus são um saco, a música é péssima e a qualidade da produção no geral é igual a dos incontáveis simuladores que inundam o Steam todo dia. Mas se você tem tesão em hardware de PC, o que eu tenho, é divertido e relaxante. Se você não curte tanto assim coisas de PC mas está interessado, eu diria que ele pode te ensinar o básico.

'PC Building Simulator' está no Steam em Early Access por R$ 34,20.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.