Saúde

Como deves manter a higiene do teu pipi durante um festival

"Tenho a 'pussy clean', não me a irrites".

Por Ana Iris Simón; Traduzido por Madalena Maltez
12 Junho 2019, 5:11pm

Ilustração por Teresa Cano.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE Espanha.

"Tengo el pussy clean, no me lo irrites", canta [a espanhola] La Zowi em No lo ves. E se fosse possível pedir três desejos a um festival, caraças, um dos que eu pediria seria claramente esse. Que não se meta com a minha hoo-ha, que me a deixe tranquila.

Lembro-me com horror de uma vez em que, no primeiro dia de um festival, à tarde, comecei a sentir desconforto na bexiga, um presságio de uma mais que certa cistite, depois de urinar duas vezes em casas-de-banho portáteis. Foi chegar a casa e beijar o santo. Depois, com um pouco mais de 18 anos, tive que pagar os dois euros que custavam as casas-de-banho "privadas" todos os dias de um festival para poder tomar banho sem a parte de baixo do biquíni e lavar-me bem lá em baixo. E ainda outra vez, fiquei sem tampões e encontrar um foi infinitamente mais fodido do que arranjar um grama de MDMA.

Porque, sejamos sinceros: ser gaja, ir a um festival e (man)ter a pussy clean nem sempre é fácil. Nós não podemos mijar em qualquer sítio assim em pé - ou costumamos ter o decoro de não o fazer -, temos o período e algumas de nós são também propensas a cistite, candidíase e outras maravilhas da Natureza que nos relembram de que o nosso corpo é simplesmente um pedaço de carne que apodrece um pouco mais a cada dia que passa.


Vê o primeiro episódio da segunda temporada de "Slutever"


Foi por isso que, com a temporada festivaleira já inaugurada, pedi a Sara Giol, fisioterapeuta especializada em fisiosexologia e ginástica pélvica e formadora na Sex Academy, que me desse alguns conselhos práticos para que tudo possa ser o menos traumático possível com o meu pipi durante os festivais deste Verão.

A primeira coisa que ela me recomenda é um kit básico de sobrevivência. "Uma pequena garrafa para ir enchendo de água limpa e podermos lavar os nossos órgãos genitais, sempre com as mãos limpas, é fundamental. Outra boa opção são as toalhitas que se desfazem e que não são poluentes nem costumam levar álcool, são apenas humedecidas. E, embora sejam menos ecofriendly, as toalhitas íntimas também funcionam. Embora não sejam recomendáveis como hábito, usá-las de vez em quando não faz mal", explica.

"Além disso", acrescenta, "também é necessário sabão para lavar as mãos antes de lavar os órgãos genitais. E produtos de higiene feminina para a menstruação, além de, claro, preservativos, sejam femininos ou masculinos". Mas, vamos por partes, que aqui há tema. Nos festivais, geralmente, estamos expostos a várias situações em que devemos ter em conta a higiene da nossa vagina, a saber:

O duche

"O ideal para lavarmos as nossas partes íntimas é não usar sabão", diz Giol. E justifica: "Claro que, se estamos num festival e tomamos duche de biquíni porque não queremos estar nuas, não estamos a lavar-nos bem com água. Se os chuveiros são partilhados e não queremos tirar as cuecas, lenços humedecidos descartáveis sem álcool são uma boa opção, mas o ideal é que, em algum momento, alguma amiga nos tape um pouco com uma toalha, ou que procures um sítio tranquilo e, com uma garrafa de água, laves os teus próprios genitais com água e claro, com as mãos limpas, logo após o banho". Quanto ao gel íntimo, a especialista em fisiosexologia acha que não são nem necessários nem recomendáveis para maximizar a higiene, mesmo nesses casos.

Ter o período

"O copo menstrual talvez não seja ideal para um festival, porque não é a coisa mais confortável ter que retirá-lo e lavá-lo", diz a especialista. E acrescenta: "Mas, acabaram de lançar um, chamado Eureka, que se pode ter dentro o dia inteiro, já que tem uma cânula que, quando pressionada, o esvazia sem a necessidade de remover, incluindo possíveis coágulos. Se não, há sempre a opção, embora menos ecológica, de usar tampões ou pensos descartáveis, porque pensos de tecido não são os mais cómodos num festival, porque têm que ser lavados".

No entanto, como a especialista já tinha explicado antes, mas ainda mais importante no caso de se estar com o período, "arranja sempre um momento, um refúgio de paz para limpar os órgãos genitais com água, esvaziar o copo menstrual no caso de o usares e limpá-lo com a garrafa de água. As toalhitas íntimas, como excepção, também podem ser uma opção".

Fazer chichi

Urinar numa casa-de-banho portátil às cinco da manhã no terceiro dia de um festival não é a melhor coisa do Mundo. Não o é nem sequer às 11 da noite do primeiro dia. Se fores baixinha a coisa fica ainda pior: eu, que meço um metro e cinquenta e três, como a Ariana Grande, não consigo não tocar na retrete, por isso, para não me sujar a mim própria e ao cubículo inteiro, tenho que seguir a estratégia de pôr os pés em cima da sanita, um de cada lado, agachar-me e fazer o dito cujo.

Mas, Sara Giol também me dá alguns truques úteis para que a tarefa seja, se não mais satisfatória, pelo menos mais higiénica e me ajude a prevenir a cistite e várias infecções. "A melhor coisa é, honestamente, fazer chichi na praia ou no campo, se for possível. Se não for possível e tiveres que usar casas-de-banho portáteis, não te sentes na retrete e puxa o autoclismo quando já estiveres de calças vestidas. É o mais higiénico", recomenda. A razão é simples, justifica: "Quando se puxa o autoclismo, que é quando o jacto de água ou produtos anti-sépticos aparecem no caso das casas-de-banho portáteis, é quando há mais bactérias. Por isso, primeiro, tens que puxar as calças para cima e só depois puxar o autoclismo, não ao contrário".

Pinar

Neste artigo já te explicámos quais são as melhores estratégias e os melhores materiais e produtos para te limpares depois do sexo. No entanto, como num acampamento de um festival as condições gerais e a higiene em particular tendem a ser um tanto precárias, a especialista em fisiosexologia recomenda usar sempre preservativo, mesmo que seja com o nosso parceiro com quem normalmente não usamos preservativo como método de contracepção. E, claro, se for com outras pessoas, por higiene e também para prevenir DSTs.

"Idealmente, deve haver uma higiene prévia. E, como o chuveiro provavelmente não está muito à mão, é aconselhável usar um preservativo, masculino ou feminino, até mesmo com um parceiro com quem costumamos usar outros métodos contraceptivos, como os orais, o anel ou o DIU. Claro que, se for um caso de uma noite também, como sempre, para prevenir DSTs, mas igualmente por motivos de higiene. Geralmente, nos festivais está muito calor, transpira-se muito, há uma certa falta de higiene...".

Bonus track: a roupa interior

Como conselho final, Sara Giol centra-se nas roupas, principalmente na interior. "É preferível usar sempre cuecas de algodão, para evitar fricção e porque transpiram melhor. As de fio dental é melhor evitá-las nos dias de festivais, pelo roçar e pelo suor ou falta de higiene", conclui, como última dica para que, nos festivais deste Verão, tenhamos a pussy tão clean como a da Zowi, e nada - nem ninguém - a irrite.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.