Cultura

“Dave”. Comédia em que o rapper Lil Dicky mostra o tamanho da sua ambição

Uma série sobre triunfar no mundo do hip-hop ajuda a desanuviar, mas não faz esquecer o assassinato de mais um negro às mãos da polícia norte-americana.
09 June 2020, 4:35pm
dave
Lil Dicky vive obcecado com uma velha questão dos homens inseguros. O motivo é que é diferente… (Cortesia FXX)

Como se não bastasse o “bicho” que deu cabo da espuma dos dias, agora os EUA olham novamente ao espelho em virtude de mais um negro assassinado pelas autoridades locais - a autópsia confirmou a morte de George Floyd, em Minneapolis, por asfixia.

Seguiram-se manifestações anti-racismo com frases de ordem como “I can’t breathe”, as atitudes miseráveis de Trump, o discurso emocionado de Killer Mike (dos Run The Jewels) ou os inevitáveis motins. Apesar de tanta revolta, fica a ideia de que a violência desproporcionada da polícia contra a comunidade negra não vai acabar tão cedo. Será a verdadeira pandemia neste país a de âmbito racial, como diz George Clooney? O fantasma da ralé esclavagista parece obstinado em fixar-se no presente.

Em vários países, os protestos foram contra essa nefasta memória e contra a actual segregação económico-social (no fundo, a favor de qualquer minoria oprimida). O movimento Black Lives Matter significa, em 2020, um turning point? A cronista do The Guardian, Suzanne Moore, acredita que sim. Que a sua previsão bata certo com o destino da História.

O êxito do rap e do r&b na indústria musical são das conquistas mais visíveis dos afro-americanos, nas últimas três décadas (Obama na presidência é a maior de todas). Dave é a série televisiva disponível na HBO Portugal que revela um pouco disso, mas, em termos práticos, é uma comédia que segue um judeu neurótico que ambiciona atingir a primeira Liga do hip-hop. Há neuras tão engraçadas que o discurso do protagonista faz lembrar, em algumas situações, o incontornável Seinfeld…

A obsessão pelo tamanho do pénis é um dos factores que ajuda ao poder cómico da narrativa. Sendo Dave Burd o criador da série e Lil Dicky o seu heterónimo enquanto rapper, é normal que a verosimilhança se misture com ficção nesta paródia de cariz pessoal. Fica a dúvida: será que o seu “pau” é, na realidade, pequeno e estranho devido a operações em bebé que o fazem declarar “My dick is made of balls”? Por favor, não nos peças para procurar a resposta nos testículos.

Nem tudo desemboca nos caprichos e planos de Dicky. Podes contar com a actriz Taylor Misiak no papel de namorada compreensiva, Travis Bennet como amigo de infância e fornecedor dos beats ou com o vibrante Gata que, na vida real, é parceiro musical de Burd. O colega de apartamento que lhe lava as costas por causa do acne e a designer que lhe trata do logotipo - interpretados por Andrew Santino e Christine Ko - , completam o quinteto que gere as expectativas de alguém que tem a convicção de que vai ser um ícone. Aspiração desmedida?

De certa maneira, Dave tem características semelhantes ao também humorado Atlanta (projecto desenvolvido por Donald Glover aka Childish Gambino). Fala de como atingir o sucesso num mundo competitivo, mostra um ou outro esquema para lá chegar e distribui alguns “paivas” para animar o espírito.

São dez tomos com muito de hilariante, em particular o terceiro "Hypospadias". É ver e descobrir a razão do “pipi premium” e porque é que ainda vais pensar em abrir um buraco lascivo numa mesa. Episódio a-lu-ci-nan-te.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.