FYI.

This story is over 5 years old.

Damian Lazarus Manda uma Viagem Psicodélica em seu Novo Disco

Autointitulado o mais imersivo e maluco projeto do shamã da dance music, 'Message From The Other Side' sai no próximo dia 18 de maio.

Damian Lazarus é um dos shamãs da dance music. Com o seu próprio selo Crosstown Rebels, uma fonte inesgotável de techno imersivo e psicodélico, assim como uma agenda lotada de eventos místicos feitos para se ver o nascer do sol como Get Lost (sua maratona de festa de 24 horas que acabou de atingir Miami) e Day Zero, que rola na virada de ano no México, que o grão mestre do gênero continua fazendo sua viagem techno melhor do que qualquer um.

Publicidade

Lazarus agora se equipa para o seu mais imersivo e maluco projeto até agora, o lançamento de seu álbum Message From The Other, um disco que gravou sozinho, com uma ajudinha de James Ford (do Simian Mobile Disco), e com o qual irá se apresentar com uma banda ao vivo chamada The Ancient Moons. O principal single desse trabalho, "Vermillon", já foi escolhido como um Essential New Tune por Pete Tong, e mostra amplamente as diretrizes do álbum - explodir a mente do ouvinte levando-o direto para uma nova dimensão.

Damian Lazarus é um dos shamãs da dance music. Com o seu próprio selo Crosstown Rebels, uma fonte inesgotável de techno imersivo e psicodélico, assim como uma agenda lotada de eventos místicos feitos para se ver o nascer do sol como Get Lost (sua maratona de festa de 24 horas que acabou de atingir Miami) e Day Zero, que rola na virada de ano no México, que o grão mestre do gênero continua fazendo sua viagem techno melhor do que qualquer um.

Lazarus agora se equipa para o seu mais imersivo e maluco projeto até agora, o lançamento de seu álbum Message From The Other, um disco que gravou sozinho, com uma ajudinha de James Ford (do Simian Mobile Disco), e com o qual irá se apresentar com uma banda ao vivo chamada The Ancient Moons. O principal single desse trabalho, "Vermillon", já foi escolhido como um Essential New Tune por Pete Tong, e mostra amplamente as diretrizes do álbum - explodir a mente do ouvinte levando-o direto para uma nova dimensão.

Agora, para dar a essa imensa faixa um pouco mais de brilho, Jamie Jones nos deu sua visão pessoal da música. Enquanto você ouve o remix exclusivo acima, dê uma sacada no que mais Lazarus teve a dizer sobre o álbum, que será lançado dia 18 de maio.


Message From The Other Side

THUMP: Quando a ideia da banda e do álbum veio a você e quem foi a primeira pessoa com quem você discutiu isso?
Damian Lazarus: Durante a gravação do disco, eu estava usando um sintetizador modular para fazer efeitos sonoros e recorri a James Ford que sugeriu que eu usasse uma máquina como essa no palco com uma banda. É uma proposta assustadora porque o sintetizador modular pode ser um pouco errático e ter uma mente própria, mas eu adoro desafios.

Você já usou seus próprios vocais em faixas antes, mas isso é obviamente algo muito mais imersivo. Você ficou com medo de que pudesse ser um desastre?
Como eu disse eu gosto de desafios e não sou conhecido por pegar o caminho mais fácil em nada. Eu sou o primeiro a admitir que eu não tenho a melhor voz para cantar mas eu acho que quando é a sua própria música, o mais honesto e verdadeiro que você pode ser é colocar sua própria voz nela. Com o álbum, eu coloquei a minha voz firmemente no fundo, e ela está lá cumprindo seu papel.

Você é mestre em levar seus ouvintes em jornadas. Como esse disco difere dos que você já fez?
Essa é a progressão natural para mim. Eu acho que todos os planetas se alinharam para me ajudar a montar esse novo projeto, então de certa forma, houve algum tipo de trajetória cósmica ao fazer Message from the Other Side.

O álbum parece ter inspirações puxadas de todo o mundo, o que faz sentido olhando para você. Você pode descrever alguns dos lugares que influenciaram o projeto?
Existem músicos no álbum que são de lugares como Egito, Paquistão e Nigéria - eu me sinto muito abençoado em ter a oportunidade de viajar para tantos lugares maravilhosos ao redor do mundo e eu tenho muita sorte em colaborar com tantos artistas incríveis. Viajar o mundo como um DJ pode ser muito inspirador e você toma o tempo para olhar em volta nas suas viagens fora da combinação típica aeroporto-hotel-clube-hotel-aeroporto.

Eu gravei muito do álbum em um lugar chamado Casa del Arbol (Casa das Árvores), um pouco ao norte da Cidade do México, que é um retiro muito espiritual e especial, assim como a Orquestra Sinfônica de Yucatan em Merida. Mexico sempre teve um lugar especial em meu coração e eu continuamente extraio coisas de lá.

Imagem cortesia de Hellodf.com

Quantos dos cativantes eventos que você faz todo ano mexeram com o ethos do LP? O disco certamente parece feito para a divindade do nascer do sol...
Exatamente. Eu tirei algum tempo para pensar onde eu cheguei na minha vida, o que eu me tornei e como. Eu percebi que eu me sinto mais confortável e artistico discotecando ao ar livre, sob as estrelas, com o fundo da lua subindo ou do sol se pondo. Eu quis compor um album que encapsulasse esses momentos, que unisse a noite e o dia, escuridão e luz, e as conexões entre os humanos e os espíritos.

Que tipo de prazeres você teve até agora se apresentando com uma banda ao invés de discotecar?
Nós só fizemos três shows até agora mas eu estou absolutamente amando. Em Zulu, Rob e Ben eu achei três músicos perfeitos e a energia que estamos criando como The Ancient Moon é muito poderosa. Depois de anos viajando o mundo sozinho apenas com os discos, chaveiros de USB e um par de fones de ouvido, agora eu tenho um time maravilhoso de sete ou oito pessoas, muito equipamento e a oportunidade de compartilhar o palco com esses caras e criar magia juntos.

Como o figurino de palco surgiu? Eles são incríveis.
Na verdade são criações da minha namorada, Elisa Ciolli, que vem trabalhando em uma coleção para o Crosstown Rebels. Nós discutimos o visual do Ancient Moons e depois de muita pesquisa e compra de tecidos do mundo todo, ela veio com essa coleção de figurinos que nós vamos usar no palco. Nós dois adoramos nos vestir quando saímos então ir lá e fazer nossa própria roupa é uma extensão natural. Eu devo acrescentar que meu designer de sapatos preferido, Bruno Bordese, e eu colaboramos nos sapatos.

Existe uma espécie de narrativa correndo através do disco que aparece quando ele é escutado de uma vez só?
Eu espero que as pessoas tomem o tempo de ouvir ao álbum do começo ao fim, pode soar meio bobo mas é realmente algo como uma "jornada" psicodélica. Eu não quero entregar muito, mas há alguns momentos interessantes e empolgantes e normalmente esses momentos são muito sutís e precisam de uma concentração profunda, ou pelo menos uma hora de relaxamento.

O título do álbum é uma referência a tais experiências psicodélicas? Ou falar com os mortos? Ou os dois!?
Esse é um disco para experienciar em qualquer dimensão que você esteja. Eu espero que seja ouvido através de muitas galaxias e realidades alternativas tanto pelos vivos quanto pelos mortos.

Damian Lazarus está no Facebook

Message From The Other Side:
1. House Of The Hidden Places
2. Adventures Of The Ancient Moons
3. Vermillion
4. Amber Palace
5. Lovers' Eyes (Mohe Pi Ki Najriya)
6. Inner Core
7. Message From The Other Side
8. Trouble At The Seance (Edit)
9. We Will Return
10. Sacred Dance Of The Demon
11. Eyes Won't Let Me Hide
12. Create The Age
13. Tangled Web
14. Vermillion (Reprise)

Agora, para dar a essa imensa faixa um pouco mais de brilho, Jamie Jones nos deu sua visão pessoal da música. Enquanto você ouve o remix exclusivo acima, dê uma sacada no que mais Lazarus teve a dizer sobre o álbum, que será lançado dia 18 de maio.

Message From The Other Side

THUMP: Quando a ideia da banda e do álbum veio a você e quem foi a primeira pessoa com quem você discutiu isso?
Damian Lazarus: Durante a gravação do disco, eu estava usando um sintetizador modular para fazer efeitos sonoros e recorri a James Ford que sugeriu que eu usasse uma máquina como essa no palco com uma banda. É uma proposta assustadora porque o sintetizador modular pode ser um pouco errático e ter uma mente própria, mas eu adoro desafios.

Você já usou seus próprios vocais em faixas antes, mas isso é obviamente algo muito mais imersivo. Você ficou com medo de que pudesse ser um desastre?
Como eu disse eu gosto de desafios e não sou conhecido por pegar o caminho mais fácil em nada. Eu sou o primeiro a admitir que eu não tenho a melhor voz para cantar mas eu acho que quando é a sua própria música, o mais honesto e verdadeiro que você pode ser é colocar sua própria voz nela. Com o álbum, eu coloquei a minha voz firmemente no fundo, e ela está lá cumprindo seu papel.

Publicidade

Você é mestre em levar seus ouvintes em jornadas. Como esse disco difere dos que você já fez?
Essa é a progressão natural para mim. Eu acho que todos os planetas se alinharam para me ajudar a montar esse novo projeto, então de certa forma, houve algum tipo de trajetória cósmica ao fazer Message from the Other Side.

O álbum parece ter inspirações puxadas de todo o mundo, o que faz sentido olhando para você. Você pode descrever alguns dos lugares que influenciaram o projeto?
Existem músicos no álbum que são de lugares como Egito, Paquistão e Nigéria - eu me sinto muito abençoado em ter a oportunidade de viajar para tantos lugares maravilhosos ao redor do mundo e eu tenho muita sorte em colaborar com tantos artistas incríveis. Viajar o mundo como um DJ pode ser muito inspirador e você toma o tempo para olhar em volta nas suas viagens fora da combinação típica aeroporto-hotel-clube-hotel-aeroporto.

Eu gravei muito do álbum em um lugar chamado Casa del Arbol (Casa das Árvores), um pouco ao norte da Cidade do México, que é um retiro muito espiritual e especial, assim como a Orquestra Sinfônica de Yucatan em Merida. Mexico sempre teve um lugar especial em meu coração e eu continuamente extraio coisas de lá.

Imagem cortesia de Hellodf.com

Quantos dos cativantes eventos que você faz todo ano mexeram com o ethos do LP? O disco certamente parece feito para a divindade do nascer do sol…
Exatamente. Eu tirei algum tempo para pensar onde eu cheguei na minha vida, o que eu me tornei e como. Eu percebi que eu me sinto mais confortável e artistico discotecando ao ar livre, sob as estrelas, com o fundo da lua subindo ou do sol se pondo. Eu quis compor um album que encapsulasse esses momentos, que unisse a noite e o dia, escuridão e luz, e as conexões entre os humanos e os espíritos.

Publicidade

Que tipo de prazeres você teve até agora se apresentando com uma banda ao invés de discotecar?
Nós só fizemos três shows até agora mas eu estou absolutamente amando. Em Zulu, Rob e Ben eu achei três músicos perfeitos e a energia que estamos criando como The Ancient Moon é muito poderosa. Depois de anos viajando o mundo sozinho apenas com os discos, chaveiros de USB e um par de fones de ouvido, agora eu tenho um time maravilhoso de sete ou oito pessoas, muito equipamento e a oportunidade de compartilhar o palco com esses caras e criar magia juntos.

Como o figurino de palco surgiu? Eles são incríveis.
Na verdade são criações da minha namorada, Elisa Ciolli, que vem trabalhando em uma coleção para o Crosstown Rebels. Nós discutimos o visual do Ancient Moons e depois de muita pesquisa e compra de tecidos do mundo todo, ela veio com essa coleção de figurinos que nós vamos usar no palco. Nós dois adoramos nos vestir quando saímos então ir lá e fazer nossa própria roupa é uma extensão natural. Eu devo acrescentar que meu designer de sapatos preferido, Bruno Bordese, e eu colaboramos nos sapatos.

Existe uma espécie de narrativa correndo através do disco que aparece quando ele é escutado de uma vez só?
Eu espero que as pessoas tomem o tempo de ouvir ao álbum do começo ao fim, pode soar meio bobo mas é realmente algo como uma "jornada" psicodélica. Eu não quero entregar muito, mas há alguns momentos interessantes e empolgantes e normalmente esses momentos são muito sutís e precisam de uma concentração profunda, ou pelo menos uma hora de relaxamento.

O título do álbum é uma referência a tais experiências psicodélicas? Ou falar com os mortos? Ou os dois!?
Esse é um disco para experienciar em qualquer dimensão que você esteja. Eu espero que seja ouvido através de muitas galaxias e realidades alternativas tanto pelos vivos quanto pelos mortos.

Damian Lazarus está no Facebook

Message From The Other Side:
1. House Of The Hidden Places
2. Adventures Of The Ancient Moons
3. Vermillion
4. Amber Palace
5. Lovers' Eyes (Mohe Pi Ki Najriya)
6. Inner Core
7. Message From The Other Side
8. Trouble At The Seance (Edit)
9. We Will Return
10. Sacred Dance Of The Demon
11. Eyes Won't Let Me Hide
12. Create The Age
13. Tangled Web
14. Vermillion (Reprise)