Saúde

Como álcool, drogas e cigarro afetam seus 'ganhos' na academia

Uma noitada no rolê limita seu crescimento muscular?
MS
Traduzido por Marina Schnoor
20.1.20
two women child's pose
Foto por Charlie Kwai, tirada na @outrivals_oldst.

Em literalmente qualquer rave de deep house, de Ilford a Ibiza, você encontra um monte de caras bombados com pochete Gucci e tatuagens toscas no peito.

Sei que você não quer pensar nesse pessoal nos grupos do WhatsApp deles mais do que eu, mas sempre fico pensando sobre uma coisa específica. Esses caras provavelmente usam MDMA, cocaína e ketamina regularmente, além de provavelmente beber e fumar, mas ainda parecem os competidores do Love Island, e diferente de mim, o Grant Mitchell se ele se vestisse como um membro do Odd Future.

Publicidade

Mas como exatamente eles fazem isso? Cocaína e MDMA são vasoconstritores – então devem atrapalhar pacas o crescimento muscular, ou seja, os “ganhos” que todo frequentador de academia que vale seu peso em proteína vegana busca quando vai malhar, né?

Usar drogas afeta o crescimento muscular?

“Acho que não diretamente, em moderação”, diz o personal trainer e ex-lutador de MMA Max Cotton. “Indiretamente, isso afeta sua habilidade de treinar pesado, além de prejudicar seu sono. Dormir bem é um fator importante para criar músculos. Conheço alguns caras sarados que são bem parciais com MDMA e cocaína.”

“Se uma pessoa está interessada em sua saúde mas ainda usa estimulantes às vezes, então anfetaminas e MDMA são menos prejudiciais, mas ainda estão longe de ser livres de riscos”, acrescenta Guy Jones, cientista sênior da agência de testes de drogas The Loop. “Outro problema é que a cocaína é um motivador de consumo de álcool – e enquanto acrescentar outra toxina já é ruim, a interação das duas substâncias aumenta a toxidade.”

OK, o primeiro round vai para o cara de Huaraches limpinhos: parece que dá pra usar drogas de classificação A e continuar parrudo, mesmo que obviamente não seja lá muito bom pra saúde. Mas e drogas menos “pesadas”, como o álcool?

legs with vodka

Foto: Emily Bowler

Álcool afeta o crescimento muscular?

“Álcool é uma das drogas mais 'pesadas' que existe!”, diz Guy. “Consumo não é só questão de frequência, mas também de intensidade. Um drinque ou dois numa balada vai ter um impacto limitado, mas nove pints na sexta e no sábado garantem um impacto negativo significativo.”

“Álcool pode inibir a produção de testosterona e também a recuperação”, acrescenta Max. “Crescimento muscular é basicamente uma questão de quão bem você consegue se recuperar de estresse nos tecidos musculares causados por puxar ferro, então se você vai direto da academia pro bar, não é o ideal, viu.”

Publicidade

Agora estamos chegando a algum lugar. Então: drogas pesadas não zoam necessariamente com seus ganhos, mas cervejas demais sim. E fumar tabaco e maconha? Isso interfere no crescimento muscular, além de prejudicar os pulmões?

Fumar afeta o crescimento muscular?

“Para cigarros, não acho que faz muita diferença para o objetivo de hipertrofia [ganho muscular]”, diz Max. “No caso da maconha, o oposto provavelmente é verdade em alguns casos. Um fisiculturista pode relaxar chapando em vez de ficando bêbado, o que significa que ele vai se recuperar melhor.”

“O fato é que inalar fumaça de qualquer tipo tem um impacto negativo na saúde e condicionamento físico de uma pessoa, mesmo se ela ainda consegue alcançar grandes metas”, diz Guy, quando pergunto sobre os efeitos de fumar no fitness especificamente. “Tabaco é particularmente insidioso por causa das nitrosaminas cancerígenas que são produzidas por sua combustão.”

Para quem quer ficar “saudável” em 2020 sem largar as coisas que você curte usar na balada na quinta, sexta e sábado, temos boas e más notícias. Se você já se abstém de todas as coisas que seus pais falaram para não usar, e acha que já é o suficiente para ter corpo de influencer do Instagram, não se empolgue: gente definida e musculosa preta muita atenção na dieta e se exercita pelo menos cinco dias por semana.

“Os benefícios para a saúde de exercícios moderados regulares são impressionantes”, diz Guy. “Se tivesse uma pílula com os mesmos benefícios de exercícios, as pessoas estariam pagando milhares de dólares por ela.”

@tom_usher

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.