FYI.

This story is over 5 years old.

Motherboard

Quantos trabalhadores poderão ser substituídos por robôs nos próximos anos?

Economistas mostram que o cenário é mais sombrio do que eles mesmos previram no passado.

Parece inevitável a caminhada do mundo para a robotização do trabalho. Isso já vem acontecendo há décadas na indústria. Agora, a invasão das máquinas começa a se insinuar por profissões nas quais parecia impossível obter êxito, como o jornalismo, por exemplo. Não há mais área imune ao avanço da tecnologia, seja ela um autômato bípede ou uma inteligência artificial disponível na nuvem. Nossos empregos correm perigo?

Publicidade

Exterminador de empregos

De acordo com um estudo feito pelos economistas Daron Acemoglu (M.I.T.) e Pascual Restrepo (Universidade de Boston), o estrago é grande. Nos Estados Unidos, para novo robô introduzido na manufatura, seis trabalhadores perdem seus empregos (dentro de um universo de mil), e o salário cai até 0,75%. Pode parecer pouco, mas estima-se que 670 mil empregos deixaram de existir no país entre 1990 e 2007, por culpa da robotização da indústria. A tendência é que esse quadro piore ainda mais, já que a expectativa é que o número de autômatos quadruplique nos próximos anos. Outro achado importante do estudo é que a automação é a maior responsável pelo desemprego da classe média americana, o que contraria a ideia de que os empregos dos EUA foram "exportados" para linhas de produção na China e no sudeste asiático.

Leia o resto da coluna em Motherboard