Fotos do meu relacionamento com a mãe do meu melhor amigo
Viagem

Fotos do meu relacionamento com a mãe do meu melhor amigo

O fotógrafo Alexander Deprez é casado com uma mulher 24 anos mais velha.
1.12.17

Ensaio publicado originalmente na VICE UK.

O fotógrafo belga Alexander Deprez é casado com Natalie Nijs, 24 anos mais velha que ele e mãe de seu melhor amigo. Seu projeto NN é uma série de fotos analógicas da vida que eles levam juntos. Falei com Alexander sobre amor, tabus e honestidade.

VICE: Quando você conheceu a Natalie?
Alexander Deprez: Uns três anos atrás, passei um verão na casa do meu melhor amigo Niels em Gante, na Bélgica. Eu tinha acabado de terminar com a minha ex e me sentia um prisioneiro em Kuurne, onde eu morava na época. Gante era muito mais divertido. A Natalie é mãe do Niels, então estávamos vivendo sob o mesmo teto e lembro que a gente ficava sentado na varanda juntos sempre — só conversando e fumando.

Publicidade

Assim que nos conhecemos, não dava pra negar que tínhamos uma conexão, mas não fizemos nada por um tempo. Ela era mãe do meu amigo e tínhamos consciência de diferença de idade também. Isso até acabarmos transando depois da festa de aniversário dela naquele ano.

Como seu amigo reagiu ao relacionamento?
Tinha muita gente na sala quando começamos a nos beijar — a festa ainda estava rolando. Algumas pessoas ficaram bem chocadas, eu conseguia ouvir os “opas” e “uaus” ao redor, mas todo mundo riu também. Até o Niels. A gente estava bem bêbado.

Mas ele pareceu ter um momento difícil quando eu e a mãe dele começamos a namorar oficialmente. Na época, ele se sentiu meio que segurando vela — eu era o cara interferindo na família dele. Mas no final deu tudo certo e acho que estamos bem agora.

Vocês encaram muitas reações fortes quando as pessoas veem vocês juntos?
Nem tanto. Tem alguns comentários aqui e ali, mas sempre de pessoas que não conhecemos bem. Já aconteceu de algumas garotas da minha idade ignorarem a Natalie quando ela está comigo. E caras da idade dela agem de maneira competitiva perto de mim. Parece que eles sentem a necessidade de se gabar sobre o que fizeram quando eram mais jovens e sobre as mulheres que poderiam ter tido.

Mas sinto que muita gente não leva esse relacionamento a sério. Acho que eles acreditam que, cedo ou tarde, vou querer estar com alguém da minha idade. Mas não ligamos para o que os outros pensam. Natalie e eu preferimos rir disso tudo em vez de ficarmos frustrados. Na verdade, eu gosto de ver as caras confusas quando nos beijamos em público.

Você fotografa a Natalie desde que a conheceu, mas por que decidiu publicar as fotos agora? Tem alguma coisa a ver com quebrar tabus?
Acho que já quebramos tabus estando juntos. Com essa série eu queria abordar outra coisa, algo muito comum em Flandres, talvez especificamente em Flandres Ocidental. As pessoas aqui se importam demais com o que os outros pensam. Estamos muito acostumados a usar máscaras. Quando você está com problemas ou tem algo errado, você não tem permissão para mostrar. Todo mundo sabe dos problemas dos outros, mas não falam sobre isso. Claro, isso pode levar a colapsos quando as pessoas não aguentam mais tanta pressão. Acho que é uma cultura muito opressiva.

Nessas fotos, sou muito honesto sobre mim, minha vida e o ambiente em que vivo, porque acho que o mundo seria um lugar muito mais fácil de existir se todo mundo fosse mais aberto. Às vezes as pessoas pensam que faço isso só pra chocar, mas não é verdade. É só que não tenho medo de mostrar quem sou, mesmo que minha vida envolva coisas que são consideradas tabu — como sexo, festas e drogas.

O que você mais gosta na Natalie?
Gosto muito de como ela é confiante. Isso traz muita estabilidade e confiança para o nosso relacionamento. Os jovens muitas vezes estão ocupados demais exigindo seu próprio espaço, tanto em relacionamentos como na sociedade, o que pode causar ciúmes e suspeitas.

Ela me deixa fotografá-la mesmo nas situações menos lisonjeiras. Ela concorda com quase tudo. Algumas pessoas são muito rigorosas com a maneira como querem ser retratadas, mas ela não liga tanto assim. Ela mostra quem ela é e isso é suficiente. Estar com ela me ajudou muito a desenvolver meu estilo próprio. Não que ela determine isso pra mim, ela me ensina como ser realmente eu.

Publicidade

Saque mais fotos do Alexander Deprez abaixo.

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram .