Motherboard

As piores maneiras de se livrar do lixo nuclear

Banheiro de gato e lançamento ao Sol são algumas das piores soluções de armazenamento do lixo nuclear que a humanidade já pensou.
22.5.17
Crédito: Ralph Damman

Em 1945, quando o físico Robert Oppenheimer testemunhou a primeira detonação de bomba nuclear, citou erroneamente o texto religioso indiano Bhagavad Gita e afirmou: "Agora me tornei a Morte, a destruidora dos mundos".

É provável que Oppenheimer se referisse ao potencial destrutivo da arma mais poderosa já criada, mas sua observação também se aplica à energia nuclear de forma geral. Afinal, ainda que desenvolvida para propósitos bélicos, a fissão nuclear também foi utilizada a fim de gerar energia com propósitos civis.

Há muito a ser dito a favor do uso da energia nuclear em detrimento dos combustíveis fósseis, mas, para todos os propósitos, ela gera um problema óbvio: o que fazer com os resíduos?

O gasto de combustível nuclear, principalmente na manufatura de armas nucleares, está se empilhando em reatores ao longo dos EUA e em outros países, como o Canadá. Esse lixo pode permanecer tóxico por centenas de milhares de anos, o que exige soluções de engenharia inéditas.

Ao longo dos últimos 50 anos, surgiram várias ideias de como fazer o descarte de material radioativo. Como era de se esperar, algumas são muito mais idiotas do que outras. Já que ainda não chegamos a um consenso acerca do melhor método para descarte do lixo nuclear, compilamos um guia prático para descrever os melhores e os piores métodos.

Leia o resto da reportagem em Motherboard.