finanças

Como deixar de comprar roupas baratas salvou o meu orçamento

Dar prioridade à qualidade sobre a quantidade fez-me poupar, a longo prazo, milhares de euros.
28.3.18
Foto via Getty Images

Este artigo foi originalmente publicado na nossa plataforma Free.

Há uns anos, estava completamente falida. O tipo de falida que te faz repensar todo e qualquer movimento financeiro e questionar o que é que está a ir mal. Auditar o meu orçamento passou a ser uma constante da minha vida, para tentar perceber o que devia fazer. A causa era clara: estava sobrecarregada de dívidas devido a más decisões de compras e falta de conhecimento de finanças.

Publicidade

Comecei a escrever sobre estes problemas com dinheiro no meu blog, porque achei que muita gente se poderia identificar com a minha história. E assim foi. Milhares de pessoas por mês liam o blog e as minhas histórias. Rapidamente tornou-se claro que não era a única pessoa a sofrer por causa do dinheiro. Enquanto documentava a minha jornada a caminho de uma vida sem dívidas, foquei-me em descobrir qual seria a fórmula para a liberdade financeira.


Vê: "Escravos financeiros"


Tinha deixado de usar os meus cartões de crédito - bem, na verdade, também porque já tinha esgotado o crédito -, mas, por alguma razão, mesmo assim não conseguia ganhar folga para o meu objectivo financeiro. Foi então que decidi fazer uma loucura. Durante 365 dias deixei de comprar qualquer coisa que fosse para usar no corpo. Juro. Acabei com compras durante um ano e descobri que as compras casuais eram um dos grandes motivos que faziam de mim pobre. Chocada? Também fiquei.

Já dizia Benjamin Franklin: “Tem cuidado com as pequenas despesas. Uma pequena fuga pode afundar um navio”. Quem diria que o meu hábito de dar um saltinho à Forever 21, H&M e TJ Maxx seria uma das razões cruciais para não conseguir gerir o meu dinheiro?

Durante o meu ano sem compras, de cada vez que me dava a vontade de ir gastar dinheiro, reflectia. Nesses momentos, tornou-se óbvio que era um hábito que tinha de largar.

  • Se estava aborrecida, ia às compras.
  • Se estava sozinha, ia às compras.
  • Se estava nervosa, ia às compras.

Publicidade

Ao acabar com o hábito, tinha que aprender a lidar com estas emoções de outra forma. Quando estava aborrecida passei a ir fazer escalada, quando estava sozinha via se um amigo meu ou a minha mãe queriam fazer alguma coisa. E, quando estava nervosa, tentei esta nova coisa de encarar o problema e tentar resolvê-lo. No fim do desafio, tinha gasto cerca de 3.200 euros a menos que no ano anterior. Chocante. Mas, não tinha poupado só dinheiro, também tinha poupado energia e tempo.

Como é que me apercebi que estava a gastar milhares de euros por ano em roupas merdosas? Bem, passei muito tempo a olhar para os meus extractos bancários. E, ao começar a somar os valores gastos na Forever 21 e outras lojas low cost, tive vergonha. Perguntei a mim mesma: como é que é possível gastar este dinheiro todo em roupas usadas ou de má qualidade? Mas, os números não mentem. Não só é possível, como gastava mesmo e acredito que muitas outras pessoas também o façam. Sem notarem. Basta irem entrando nas lojas e comprando uma peça de cada vez.

Para o caso de quereres examinar um bocadinho os teus gastos, isto é o que tens de fazer. Guarda algum tempo para estudares os teus extractos financeiros. Quando entras na tua conta online, vê mês a mês e soma quanto gastas em compras. Se tens cartões de crédito, olha para o extracto deles também, para somar o que gastas em roupa.

Depois, divide o total do valor pelo teu ordenado - ou quanto ganhas ao mês - e multiplica por 100. Essa é a percentagem do salário que gastas em compras. Quando olhei para a minha conta poupança - anémica - e para a percentagem que gastava em vestuário, percebi que tinha que mudar alguma coisa.

Passou-se um minuto desde que acabei o meu desafio de um ano sem compras e deves estar a pensar que já estou a gastar como gastava antes.

Não.

Publicidade

Mas, aconteceu uma coisa interessante. Apesar de gastar menos alguns milhares de euros do que gastava anteriormente, as coisas que compro tendem a ser bastante mais caras do que as que comprava.

Isto é o que faço agora. Primeiro, ainda gosto de ir às compras de vez em quando. No entanto, agora olho para isso de maneira diferente. Uma das coisas mais estranhas que descobri durante o ano foi que ninguém se lembra do que vestes. As pessoas da minha vida esqueciam-se que eu estava a fazer um ano sem compras e perguntavam-me frequentemente sobre a minha “nova roupa”. Perceber isto inspirou-me a passar mais tempo a reinventar como usar o que já tenho. O factor acessórios ganhou muita importância. E, agora, foco-me na qualidade e não na quantidade. Compro roupas de estilo mais clássico e intemporal e uso os acessórios para as tornar mais stylish.

Estas são algumas das ferramentas que uso para me ajudar a poupar dinheiro:

  • Ebates: Adoro esta plataforma de poupança. Basicamente recebem-se descontos. A única parte negativa: tens que te lembrar de fazer log in antes de começares as compras online. Já não gosto de ir a centros comerciais, portanto isto funciona na perfeição para mim.
  • ThredUp: É uma loja de encomendas online, com uma quantidade ridícula de roupas de alta qualidade, assim como roupa normal. Adoro a experiência toda de fazer compras na ThredUp e já pedi sacos de limpeza de armário para enviar para a empresa a roupa que já não uso. Não é que paguem muito bem, mas sempre é uma boa maneira de me livrar das coisas e conseguir crédito para novas.
  • Email signups: sim, eu sei que toda a gente odeia a quantidade de e-mails que recebe diariamente, mas as lojas normalmente alertam para saldos e cupões de desconto por e-mail. Junta-te à lista das tuas lojas preferidas e vê quanto é que consegues poupar.
  • Desafios sem compras: continuo a fazer uns desafios destes para me livrar do hábito das compras. Cada vez é mais fácil que a anterior. O meu conselho para quem está a sofrer com o orçamento é começar por experimentar desafios de 30 dias sem compras.

Publicidade

Fazer "compras" no meu próprio armário é o próximo passo em que me estou a focar. Também descobri que tinha MUITA roupa duplicada. Basicamente, andava a comprar a mesma coisa com algumas variações, uma e outra vez. Já não o faço.

É chocante para mim perceber como um mau hábito foi capaz de fazer descarrilar completamente a minha vida financeira. Agora, imagina quando se tem vários maus hábitos financeiros. Pega num de cada vez e começa a mudar as tuas finanças. A tua conta bancária e o teu futuro vão agradecer-te.


Michelle Jackson tem um blog e um podcast, Michelle is Money Hungry. Ainda está na sua viagem em direcção a uma vida sem dividas, mas já está perto do fim. Quando não está no blog, podes encontrá-la a escalar as montanhas do Colorado. Segue-a no Twitter.

Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.