FYI.

This story is over 5 years old.

As 101 Faixas Vitais de 2014 | 10 - 1

Aqui está: a lista com as dez faixas do ano.

10. Route 94 featuring Jess Glynne : "My Love" [Rinse]

2014 foi o ano da house britânica com groove e "My Love" foi uma das músicas que ajudou a manter a chama acesa, em grande parte graças ao crooner Jess Glynne. Assim como Glynn, o Route 94 (também conhecido como Rowan Tyler Jones) também é um novato, e a dupla adequadamente contou com referências musicais para além da idade deles (e da maioria dos seus ouvintes). O vídeo de festa com mapa de calor certamente ajudou a divulgar esta música, mas o enxágue vocal que o Route 94 coloca no Glynne é o verdadeiro atrativo aqui. Quase um ano depois de seu lançamento, essa música ainda nos faz não apenas sentir o amor, mas querer fazer café da manhã, almoço e jantar para Jones e Glynne. (DG)

Publicidade

9. FKA Twigs : "Two Weeks" [Young Turks]

A FKA Twigs vive entre espaços indefinidos. Repetidas vezes, ela provou que a sua habilidade para impregnar o vazio com significado é insuperável. Seja através de respiração delicada, ricos silêncios ou produções esparsas, Twigs sabe que aquilo que é deixado não dito é sempre mais poderoso do que qualquer coisa que você possa gritar em um microfone. Em "Two Weeks" - uma música de tendência S&M sobre ciúmes e façanhas sexuais - sua maestria do minimalismo está a todo vapor. O vídeo que faz referência à Aaliyah ainda dá calafrios. Reverências a nova rainha. (ML)

 8. Stromae : "Ta fête" [Republic]

"É hora de dançar", ordena o cantor/compositor e produtor belga Stromae nos primeiros versos de "Ta fête", a primeira faixa de seu álbum de 2013, Racine Carée, e um hit adormecido deste ano. (Os belgas até usaram ele como sua música hype durante a Copa do Mundo). Músicas de festa - especialmente as que são especificamente sobre festas - não são feitas para ter sentido, e Stromae inteligentemente não força a barra. Com uma audiência global crescente, é mais do que certo de que a maioria de seus fãs não entendem francês o bastante para saber sobre o quê é a música. Mas musicalmente, não há lugar para se esconder em meio aos tambores tribais e às quebradas de synth inspiradas pela house dos anos 90. É o rugido do Stromae que junta todas as peças, dando luz a uma música que será uma pedra angular do que promete ser uma longa e bem sucedida carreira pela frente. (ZM)

Publicidade

7. Porter Robinson : "Sea of Voices" [Astralwerks]

Quando o Porter Robinson postou "Sea of Voices", a primeira faixa tirada do seu hiperaguardado álbum Worlds, a internet explodiu instantaneamente. O interessante é que isso aconteceu no meio festival de adoração de celebridades conhecido como Oscar (antes do selfie da Ellen) - mostrando o quão formidável é o seu exército de fãs. A faixa de quase cinco minutos abre com sinos tilintando e cordas infladas, evolui para um canto de voz doce, 
"We'll see creation come undone". E assim Porter Robinson cravou uma estaca no coração da dance music genérica e coroou a si mesmo como o novo rei do movimento pós-EDM. (ML)

6. Tinashe: "2 On" [RCA]

Em "2 On", Tinashe canta sobre fumar maconha enquanto nos entrega um beat que vale a pena. Produzida pelo DJ mustard, a estreia da cantora de R&B atravessou o ano todo, a partir da qual surgiram algumas remixagens inspiradas pelo caminho, de tipos como TOKiMONSTA e Dubbel Dutch. Com apenas uma música, Tinashe anuncia uma nova era de R&B que carrega influências musicais de todo o espectro eletrônico e é liricamente enraizada na realidade das vidas de uma geração (que por vezes inclui beber e se drogar). Além disso, existe mensagem melhor do que "entenda o dinheiro como uma conta para pagar"? (ZM)

5: Lorde : "Tennis Court" (Flume Remix) [Lava/Republic/Virgin/EMI]

Essa música estava destinada a ser qualquer coisa que não enorme? Esse remix de "Tennis Court" é o mais impressionante feito do Flume até o momento, e esse é um título e tanto. O remix também reintroduziu a Lorde àqueles que pensaram que ela havia sido por bem perdida para a rádio AAA. Esse remix aproveita as chances e não está nem aí em tentar convencer você de que no momento 1:30 um drop invertido e um vocal echo vocal de "oh" vai explodir. A força da original desse som significa que essa música poderia ter sido feita em um dia e ainda sim ser brilhante, mas o resultado final sabia exatamente o que ele era: a junção de dois dos mais influentes artistas da Down Under. (ZR)

Publicidade

4. Oliver Heldens featuring Becky Hill :  "Gecko (Overdrive)" [Spinnin']

Nenhuma faixa capturou a energia do som Future House desse ano como "Gecko", do Helden. Quer dizer, até pintar a versão do Overdrive com os vocais estalados da Becky Hill por cima. O retrabalho surgiu para comandar as paradas do Reino Unido - um feito surpreendente até mesmo em um mundo pós-"Animals". O Heldens se tornou um herói improvável entre o contingente de DJs holandeses, graças a essa música e à sua aparente preferência pela música em relação à fama como DJ. Perceba. (JK)

3. ZHU : "Faded" [Mind of a Genius]

Talvez se tenha feito muito da indentidade obscura do Zhu; ele não é o primeiro a lançar uma faixa ID. Com um logotipo e um design gráfico estudado em torno de todos os seus lançamentos. Não é como se ele não estivesse dizendo nada além da própria música. Ainda assim é legal poder interagir com o som sem uma personalidade potencialmente tosca que te distraia da experiência. O fato de que essa faixa tenha sido tão tremendamente tocada e exageradamente remixada, mas ainda consiga ser infinitamente escutável, é a prova do seu valor. Ela é simples, assombrosa, e será lembrada como uma das músicas seminais que levaram o house mais profundo ao mainstream pós-EDM. (JK)

2. SOPHIE: "Lemonade" [Numbers]

Uma das faixas mais faladas do ano, "Lemonade" habilmente dividiu a comunidade dance music entre os fãs emocionados e os céticos desdenhosos. Seja onde você estiver, uma coisa é certa: seus synths encharcados de neon, seus vocais de cartoon e suas texturas mecânicas estranhas soaram como poucas coisas por aí, e deram início ao movimento que se solidificou sob o guarda-chuva da PC Music. Um dia os nossos netos se lembrarão de "Lemonade" como a primeira vez em que a internet engatinhou para fora da escuridão muda e deu voz a si mesmo.(ML)

1. Kiesza: "Hideaway" [Lokal Legend/Island]

As mães adoram, o David Letterman adora, 170 milhões de espectadores do Youtube adoram também. A letra diz tudo: "Você é apenas um refúgio, apenas um sentimento", validando o status da cantora canadense como uma nova presença efêmera na cena dance music. Como isso é raro de se conectar com a dança de verdade? O que sabemos é que em "Hideaway" nós aprendemos tudo sobre a melhor persona da música eletrônica: melódica, divertida e autêntica em sua criação e em sua relação com seu público. Se a Kiesza desaparecesse depois dessa faixa (e ela definitivamente não desapareceu), ela teria deixado para trás uma pegada significativa com aqueles tênis vermelhos, inspirando todos nós a abraçar nossas próprias esquisitices interiores e a mover nossos corpos em uma pista de dança… ou calçadas nesse caso. (DG)

THUMP Staff: Zel McCarthyJemayel KhawajaMichelle LhooqDavid GarberZiad RamleyJosh BainesOlyvia Salyer, and Joel Fowler.