FYI.

This story is over 5 years old.

Noticias

Ataque com caminhão mata quatro em Jerusalém

Um homem atropelou um grupo de soldados israelenses em Jerusalém no último domingo (8), matando pelo menos quatro e ferindo mais de uma dúzia.
9.1.17

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE NEWS .

Um homem atropelou um grupo de soldados israelenses em Jerusalém no último domingo (8), matando pelo menos quatro e ferindo mais de uma dúzia no que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou de "um ataque terrorista não-provocado". Apesar de nenhum grupo ter assumindo a responsabilidade pelo ataque ainda, Netanyahu aponta a autoria para o Estado Islâmico.

Publicidade

Se ele estiver correto, domingo marcou a segunda vez que o EI inspirou um ataque em Israel.

Três mulheres e um homem, todos de 20 e poucos anos, morreram. O ataque aconteceu enquanto um grupo de soldados fazia um passeio por Armon Hanatziv, um posto de observação numa área disputada de Jerusalém Oriental. Imagens fortes mostram um caminhão acelerando na direção dos soldados enquanto eles saíam de um ônibus, jogando várias pessoas pelo ar.

Depois o caminhão dá ré, numa tentativa de investir novamente contra mais pessoas.

"Vi o caminhão vindo na nossa direção", disse Eitan Rod, o guia do grupo, à Rádio do Exército Israelense. "Depois de rolar algumas vezes na grama, vi o caminhão começar a dar ré e então percebi que não tinha sido um acidente. Senti que ainda estava com minha arma, então corri até ele e comecei a esvaziar meu cartucho. Ele conseguiu dar ré e avançar de novo contra os feridos."

O motorista, que foi morto pelos tiros, foi identificado pela agência de notícias palestina Al-Manar como Fadi al-Qanbar, um palestino casado na faixa dos vinte anos que já tinha cumprido pena numa prisão israelense.

Netanyahu disse que o incidente tem semelhanças com outros ataques inspirados pelo Estado Islâmico utilizando caminhões. "Sabemos a identidade do agressor", ele disse. "Tudo aponta que o responsável tinha apoio do EI."

Enquanto o grupo perde o controle de territórios no Iraque e Síria, o EI vem encorajando simpatizantes a realizar ataques contra civis no Ocidente com veículos pesados. O ataque no Dia da Bastilha em Nice, França, em julho passado, deixou mais de 80 mortos, e um ataque a um mercado de Natal em Berlim matou mais de doze pessoas mês passado.

Publicidade

Em novembro, as Forças de Defesa Israelenses afirmaram ter matado quatro militantes ligados ao EI, depois de um ataque a soldados israelenses com uma metralhadora montada sobre um veículo nas Colinas de Golã.

"Condenamos nos termos mais fortes o terrível ataque cometido por um terrorista hoje em Jerusalém", disse o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano Mark Toner numa declaração oficial. "Condenamos a glorificação do terrorismo agora e sempre, e pedimos que todos mandem uma mensagem clara de que o terrorismo não deve ser tolerado."

As tensões entre Israel e Palestina tiraram várias vidas ano passado. Segundo a AP, palestinos mataram 36 israelenses e dois norte-americanos, enquanto 229 palestinos foram mortos pelas forças israelenses.

Tradução: Marina Schnoor.

Siga a VICE Brasil no_ Facebook, Twitter e _Instagram.