FYI.

This story is over 5 years old.

Como um DJ Pode Envelhecer Sem Perder o Mojo

O produtor de techno alemão Oliver Huntemann explica que a juventude não está na sua idade, mas na sua atitude.

Oliver Huntemann é um produtor de 47 anos de idade de Hamburgo, Alemanha, que faz parte do universo obscuro do techno há quase duas décadas. Ele comanda as labels Senso Sounds, Ideal Audio e Confused Recordings e desde 2008 vem lançando uma série de colaborações com o DJ Dubfire. Huntemann também remixou o The Chemical Brothers, Underworld, John Dahlbacj e Cirez D. Com sua extensa carreira e senso de humor afiado, ele é o cara ideal para trocar uma ideia sobre a tênue linha entre relevância e maestria à medida em que os DJs envelhecem.

Publicidade

Até agora, não me preocupei muito com a minha idade — meu eu mais jovem provavelmente ainda me cumprimentaria com um "qualé, mano?" ao invés de um aperto de mão formal. Graças aos meus nítidos 47 anos de idade, já fui rotulado como DJ veterano por alguns, mas isso não significa que fui deixado de lado.

Leia: "A Herança do Seu Osvaldo, o Primeiro DJ do Brasil"

Admito que foi meio constrangedor quando meu filho, há três anos, me disse que começaria a trabalhar como DJ no metrô em Oldenburg, o mesmo clube que eu estava brincando com os meus sets em 1990. E sejamos sinceros: teoricamente, eu ainda conseguiria me imaginar matando tempo no pátio da escola, tocando singles do Afrika Bombaataa e Egyptian Lovers com meus chapas Mathias e Selcuk sem chamar nenhuma atenção. Se bem que ir até um pátio de escola com um vinil embaixo do braço hoje provavelmente faria a galera rir dessa "sua porcaria ultrapassada".

Vasculhando minhas fotos antigas para esse artigo, raramente vejo motivos para querer voltar no tempo. Se não fosse eu mesmo mais jovem em quase todas essas fotos, provavelmente riria pra cacete olhando pra esse cara esquisitão. Não sei se era meu corte de cabelo oitentista, meus óculos com armação vermelha, ou a combinação do terno de marinheiro com aquela barba rala de adolescente, mas definitivamente não tenho vontade nenhuma de reviver aqueles dias.

Alguns amigos de infância já tinham perdido a leveza e pareciam desiludidos. Apesar (ou por causa de) seus empregos fixos, casas em condomínio, famílias e carros luxuosos, eles parecem se preocupar apenas com seus chefes, esposas e dinheiro. Às vezes me sinto como se tivesse sido jogado dentro do universo do The Office e todos os meus chapas das antigas tivessem substituído o elenco original.

Publicidade

Leia: As Dez Coisas que Aprendemos no Workshop do KL Jay

Conquistas verdadeiras não são mais valorizadas. Se dar conta das suas realizações e ficar feliz pelo que você conquistou até agora é o suficiente para eliminar todas aquelas rugas de preocupação (sem cosméticos caríssimos).

Atualmente, há três gerações de ravers trabalhando no meu escritório e essa mistura é o jeito ideal de ficar sempre atualizado, ao mesmo tempo que desenho um grande conjunto de conhecimento especializado. DJs também têm que aceitar que terão de lidar com os gostos e preferências dos jovens, e esta é uma forma incrivelmente fácil de se manter jovem também.

Viajar é outro aspecto importante dessa vibe "jovem para sempre". Qualquer pessoa que escolhe seguidamente passar os dias nas mesmas piscinas entediantes comandadas por alemães em hotéis em Mallorca, não deveria se surpreender ao rapidamente começar a parecer mais velho. Não tenho nada contra uma viagem relaxante, mas ir em busca do desconhecido demanda sua atenção e libertação da sua mente.

Leia: "Uma Entrevista com a Vovó Techno"

A juventude não está na sua idade, mas na sua atitude. O segredo é ser permanentemente curioso sobre qualquer coisa nova. O vinil era legal, e você enquanto DJ precisava saber usá-lo corretamente, mas é muito mais importante aprender coisas novas e ter a mente aberta em relação a novas tecnologias. Eu desprezo meus colegas de trabalho que ainda acreditam que o vinil é o cálice sagrado de um bom set, ao mesmo tempo que falam mal de laptops, sync e USB, como se esses facilitadores fossem as piores coisas do mundo.

Sem sequer considerar possíveis prós e contras do uso de CDJs ou softwares de mixagem no seu laptop, os aspectos mais importantes de um bom set sempre será a seleção das músicas e a composição dramática [da sua playlist]. Muitas pessoas focam somente nas ferramentas. Vinil não é garantia de um set incrível, assim como usar o Ableton Live também não irá automaticamente resultar num set ruim, e vice-versa.

No fim das contas, o cerne da música techno e house é transportar emoções, e esse é o meu segredo para continuar jovem. Desde que, a cada semana, novas músicas consigam me tocar num patamar emocional, me sentirei vivo e atualizado.

O Oliver Huntemann está no Facebook // Soundcloud // Twitter

Tradução: Stefania Cannone