FYI.

This story is over 5 years old.

O novo clipe do MC Kauan é exatamente como ele deveria ser

Conversamos com o funkeiro sobre ‘O Terror Tem Nome’, curta que faz jus às horripilantes performances do santista com monstros horríveis, palhaços ameaçadores e bad girls de alta periculosidade.

MC Kauan chocou todo mundo ao lançar seu primeiro vídeo de grande porte na segunda-feira (3). Com nove minutos, o clipe mostra o Koringa Brasileiro, aterrorizando uma família tradicional brasileira ao lado da sua corja de malfeitores formada por monstros, palhaços, a MC Tati Zaqui (agora sua ex-namorada) e as suas tradicionais Arlequinas apavorando tudo em um ferro velho. Para celebrar a sua nova fase, descrita como um "amadurecimento profissional", Kauan também lançou o DVD A Fúria dos Palhaços, trazendo os melhores momentos de sua carreira em um show na Nitro Night, casa noturna na zona sul de São Paulo. É um passo largo na carreira do funkeiro santista. "Quis estrear da forma correta, inédita e impactante", contou MC Kauan ao THUMP por email.

Publicidade

Pra quem já conhece a carreira do Koringa Brasileiro, sabe que seus shows são verdadeiros resgates das saudosas Noites de Terror do Playcenter cheio de fogos de artifício, sinalizadores, pirotecnia, dançarinos mascarados e trocas de figurino. O "proibidão light" do MC, somado à sonoridade do funk da baixada, encaixou muito bem com a história criada pelo próprio artista e roteirizada e dirigida pelo cineasta Miguel Rodrigues. O funkeiro disse ter se inspirado em clássicos como Thriller do Michael Jackson, a franquia Mad Max e artistas performáticos como Marilyn Manson e a banda Slipknot para idealizar o videoclipe, em que Kauan atende o desejo de uma jovem fã de assistir um show do funkeiro, mas é repreendida pelo pai.

Animado com as críticas positivas que recebeu dos fãs e espectadores desavisados, Kauan contou que o clipe será "o primeiro de muitos" nessa nova fase de sua carreira. "O motivo do investimento pesado na produção pra mostrar minhas características de showman e artista é um fato ", diz. "Queria algo grandioso para os meus fãs. (…) Quem chega junto nos bailes já sente o clima quando eu estou na área. É um universo único dos cabelos verdes. Então, tentei conectar essa atmosfera dos megashows do Koringa, da performance dos atores que interpretam os palhaços, toda a temática do terror e a própria letra. Como já me definiram em que faço uso de figura de linguagem de exagero, neste estilo criado por mim mesmo chamado de "neurótico". Fui atrás de um diretor de cinema que assimilasse tudo isso e que fosse tão louco como eu, pra criar algo inédito e grandioso para o público."

Ao lado de MC Kauan está também a — belíssima, diga-se de passagem — MC Tati Zaqui, uma das maiores funkeiras do Brasil e agora atual ex-namorada de Kauan, após um ano e pouco de namoro. Pra quem acompanhou Tati desde o começo da sua carreira, sabe que começou a ganhar o público quando fez uma homenagem ao próprio MC, chamada simplesmente de "Um Salve pro MC Kauan". O namoro acabou pouco tempo antes do lançamento do clipe, mas não teve como não achar fofo o casal de cabelo colorido lado-a-lado trocando socos com os inimigos durante um jogo de cartas ou andando de moto pra meter uma banca.

MC Kauan é um dos principais nomes do funk paulista atual. Porém, seus shows performáticos e a criação do Koringa, um "vilão do bem" segundo o próprio Kauan, o ajudaram a romper as barreiras do proibidão, evoluindo para um subgênero próprio dentro do funk, quase um horrorfunk. "É um estilo único, que se inspira tanto na ficção como na realidade e é feito pra todas as idades. Por isso, até da personagem Helena, menina fã, que faz parte da dramaturgia do filme. Aqui é paz, é união, é funk, cultura popular, cultura de periferia, de coração e alma", sustenta o MC.