Noisey

Björk contou suas experiências de assédio sexual com um diretor de cinema

"Fui inspirada por todas as mulheres falando sobre isso na internet."
16.10.17
Foto por Santiago Felipe

Matéria originalmente traduzida do Noisey US.

Na semana passada, mulheres de todos os cantos estiveram discutindo suas experiências de assédio sexual ou bullying de homens em muitos campos diferentes. No último domingo (15), foi a vez da Björk de falar sobre suas próprias experiências, especificamente incidentes envolvendo um diretor de cinema cujo nome não é mencionado.

Num post do Facebook, Björk descreve receber propostas sugestivas "repetidamente" do diretor, e apontou isso como uma tendência que notou quando se foi para o cinema de sua "posição de força na indústria da música". E, embora ela tenha conseguido se livrar dessa situação — uma decisão que ela atribui "à minha foça, ao meu grande time e porque eu não tinha nada a perder já que não tinha ambição no mundo do cinema" — ela também diz que está preocupada que outras atrizes não tenham a mesma sorte. Ela atribui isso ao que ela vê como uma onipresença desse tipo de comportamento na indústria cinematográfica. Ela escreve:

"Eu entendi que é um entendimento universal que o diretor pode tocar e assediar suas atrizes quando tiver vontade, e que a instituição do cinema autoriza que isso acontece. Quando eu recusei os avanços do diretor repetidamente, ele se irritou e me castigou e criou para sua equipe uma impressionante rede de ilusão onde ele me colocava como uma pessoa difícil de lidar.

Björk termina o post com um apelo pelo fim do abuso sexual, e diz que quando ela levantou essas questões com o diretor, ele "teve uma relação mais justa e significativa com suas atrizes depois do meu confronto, então há esperança."

Leia a declaração completa abaixo:

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.