Identidade

Fotos raras de Jonestown, o culto mais mortal da história dos EUA

A vida dos 909 seguidores de Jim Jones, antes de “beberem o Kool-Aid”.

Por VICE Staff; Traduzido por Marina Schnoor
16 Outubro 2017, 11:32am

Imagens cortesia de Laura Johnston Kohl e Fielding McGee.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE Austrália.

As imagens abaixo são cortesia de Laura Johnston Kohl e Fielding McGee, do Instituto Jonestown. A maioria é da autoria de fotógrafos desconhecidos, que estavam integrados no Projecto Agrícola Templo dos Povos na Guiana, mais conhecido como "Jonestown". A 18 de Novembro de 1978, os moradores de Jonestown cometeram suicídio em massa liderados por Jim Jones.

No dia 18 de Novembro de 1978, mais de 900 cidadãos norte-americanos cometeram suicídio em massa numa pequena comuna no meio da floresta sul-americana. Até ao 11 de Setembro, este tinha sido foi o maior massacre da história dos EUA. A história de Jonestown e do Templo dos Povos não começou, ou acabou, naquela noite. Mas, depois de décadas de sensacionalismo dos media, campanhas de propaganda e contradições, separar os factos da ficção continua a não ser tarefa fácil.

Em 2010, o Instituto Jonestown, formado por ex-moradores e membros do Templo dos Povos, fez uma requisição de liberdade de informação ao FBI, pedindo a divulgação de milhares de documentos e fotos encontrados em Jonestown. Imagens dos primeiros anos mostram casas de madeira construídas à mão e jovens a jogar basquetebol ao Sol. Mas, como sempre acontece nestes casos, Jonestown era mais do que aparentava ser.


Vê também: "'The Family', a mais notória seita religiosa da Austrália"


A maioria das fotos eram encenadas como parte de uma campanha de propaganda do líder do Templo, Jim Jones, para desviar as preocupações cada vez maiores nos EUA. A realidade era que os moradores estavam severamente desnutridos, sem dormir e trabalhavam sete dias por semana sob o sol tropical. Jones era depositário das economias e cheques de benefícios de todos os membros e espalhava rumores e notícias falsas terríveis sobre os EUA terem voltado a um estado de segregação racial e revogado os direitos dos cidadãos afro-americanos. O Templo dos Povos foi originalmente fundado sob a premissa de igualdade racial e três quartos das vítimas eram afro-americanas. Jonestown foi erguida no meio da selva, como uma utopia socialista onde "todas as raças, credos e cores encontram um lar".

No final, com Jones cada vez mais psicótico, "beber o Kool-Aid" com cianeto parecia a fuga certa a uma vida de terror e tortura psicológica. Apesar das manchetes sensacionalistas com que estamos familiarizados, este não foi um salto de fé totalmente às cegas. A esperança de muitas das vítimas, registada em notas de suicídio secretas, era que as suas mortes chamassem atenção para o facto de que elas se sentiam mais bem-vindas em Jonestown e na sua promessa de igualdade racial, que nos EUA.

Com o passar das décadas, as intenções desse acto foram obscurecidas por generalizações, mas, encenadas ou não, estas fotos mostram pessoas reais, amigos e famílias que só queriam ter a possibilidade de viver num mundo melhor.

1506309501695-jonestown-commune
Jonestown vista do ar. Foto tirada pelo FBI, 1978
1506310028463-jonestown-1978-guyana-hair
Poncho Johnson a trançar os cabelos de Tinetra Fain, numa cabana em Jonestown. Shandra James, Gerald Johnson, Al Smart e Teri Smart também aparecem na foto. Crédito: Juanell Smart
Membros de Jonestown (da esquerda para a direita) Lew e Chaeoke Jones, Christa Amos e Joel Cobb
1506306888891-JIM-JONES
Jim Jones
1506476796145-cottages
As casas onde vivia a maioria dos moradores
Shanda James a ensinar em Jonestown
1506477098264-Untitled-13
Crianças a brincar. Possivelmente uma foto encenada, como parte da campanha de propaganda de Jones
1506310497894-jonestown-chimpanzee
(À esquerda) Claire Janaro e Mr. Muggs em Jonestown. (À direita) desconhecido
1506477222427-bball
Um dos rapazes, a jogar basquete emJonestown
1506477257909-1506309881678-plane-bullet-hole-at-jonestown
Buracos de bala num avião na pista de aterragem de Porto Kaituma, após o assassinato do congressista visitante, Leo Ryan, a 18 de Novembro de 1978
1506477449078-heli
A força aérea americana a voar para Jonestown, em 1978
1506477335707-Untitled-7
1506477499451-FBI-RAID
Primeiros investigadores do FBI em Jonestown
1506309332341-jonestown-1978-guyana
Moradores a caminharem para a área das casas onde a maioria vivia. Os idosos moravam em grandes dormitórios no centro da comunidade
1506477600336-Untitled-11
Professores, Don Jackson e Jann Gurvich, numa aula
1506477712560-Untitled-3
Durante uma paragem para reabastecer, no caminho para a Guiana; Maria Katsaris, Annie Moore, Laura Johnston, Phyllis Chaikin e Terry Carter Jones.
1508153295819-1506477758947-Untitled555png
Barbara Hoyer a ensinar crianças
1508153319364-1506477815904-4733422653_b95c724e62_o
Sebastian McMurry a carregar Kimo Prokes aos ombros. Uma foto encenada e utilizada em campanhas de marketing para atrair mais membros para a Guiana
1508153404211-1506477865236-Untitled-2png
Crianças a brincar
Tinetra Fain na floresta em torno de Jonestown
1506477986778-Untitled-6
Outra fotografia encenada para o folheto de campanha
1506478073359-Untitled-14
A foto do folheto de Jonestown, com Joyce Touchette e uma criança, usada na propaganda para atrair mais membros para a Guiana
1506478147556-stuff
Reunião de Jones com membros do comité de construção.
1506478199137-monkey
Sr. Muggs, um chimpanzé de estimação
1506478256542-hasss
Uma das salas de aula
1506478311603-ahsu
Por detrás dos edifícios principais

Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.