Entretenimento

Conheça o tatuador que cria retratos realistas incríveis em ASCII

Tatuagens com textos muito pequenos são muito difíceis de fazer, mas isso não impediu Andreas Vrontis de criar imagens feitas totalmente nesse estilo.
Imagem: Andreas Vrontis/Divulgação.

Muito antes de o Microsoft Paint ser adotado como o estilo artístico pela geração Tumblr, havia arte feita com o humilde ASCII. Essas peças da arte eram criadas usando unicamente os 95 caracteres do Código Padrão Norte-americano para Intercâmbio de Informações (cuja sigla em inglês é ASCII), que definia como os textos seriam codificados nos computadores.

A arte com o ASCII surgiu com a necessidade de representar imagens em sistemas de bulletin board (BBS) nos anos 1970 e 1980, mas rapidamente ganhou vida como estilo de arte de um modo próprio. Hoje, existem comunidades artísticas de ASCII na internet e até programas de aprendizado automático capazes de converter automaticamente ilustrações para seus equivalentes em ASCII. E para Andreas Vrontis, tatuador cipriota de 31 anos, a arte em ASCII gerada por computadores não é suficiente para criar um template para essas tatuagens hiperdetalhadas em ASCII.

Publicidade

“Eu não gostaria de revelar meu processo criativo, pois levei muitos anos para desenvolvê-lo e aperfeiçoá-lo”, Vrontis me contou por e-mail. “Existem muitos programas de computador por aí; contudo, o resultado final não é tão realista quanto se pode imaginar. Às vezes eu começo com um programa aleatório, para ter uma ideia de como o retrato vai ficar, mas não paro por aí. Tento definir o retrato com meu próprio conhecimento.”

Vrontis trabalha como tatuador há seis anos, mas ele desenvolveu sua marca registrada com o ASCII recentemente. Ele fez sua primeira tatuagem em seu pai, mas com “estilo e conteúdo tradicionais” — duas mãos em oração. Em 2015, ele fez um retrato de John Lennon como sua primeira tattoo em ASCII. Ele me contou que estava muito nervoso a respeito de todo o processo, mas que, no fim das contas, acabou recebendo o prêmio “Best in Show” na Convenção Internacional de Tatuagens do Chipre com ela.

Vrontir afirmou que, até onde ele, ele ainda é o único tatuador trabalhando com ASCII no mundo. “Sempre fui fascinado em como um simples padrão de letras pode criar tanto detalhamento e simetria no resultado final”, ele afirma. “Letras, números e sinais de pontuação não são nada, apenas formas, mas quando reunidas, podem se tornar algo muito maior.”

Tatuagens com texto são notoriamente mais difíceis em comparação com os outros tipos, porque costumam envolver linhas muito finas e letras muito próximas umas das outras. Se um tatuador insere a agulha muito profundamente na pele, a tinta poderá se espalhar formando linhas não desejadas e causar um efeito borrado no letramento final. Na arte com ASCII, os caracteres são necessariamente muito pequenos, o que significa que Vrontis precisa usar as menores agulhas de tatuagem existentes. O resto, ele afirma, vem com muita concentração e paciência.

Publicidade

“As linhas são muito finas e as letras são tão próximas umas das outras, então, de certa forma, não dá nem pra pensar em cometer um erro”, Vrontis me contou. “É um processo longo e exaustivo. Pode levar até oito horas para finalizar uma tatuagem e você precisa estar focado até o fim.” Vrontis afirma que esse esforço a mais compensa. Seu estilo único proporcionou reconhecimento internacional na cena da tatuagem e ele costuma sair de seu estúdio de tatuagem no Chipre para apresentar o estilo em convenções por todo o mundo.

“O que acho incrível nessa técnica é a capacidade de produzir uma nova compreensão ou percepção do que é real e do que não é”, Vrontis afirma. “Um tipo mais tradicional de tatuagem é, talvez, representativa de coisas de um modo preciso e verdadeiro para a vida. Esse tipo de design faz o mesmo, mas de um modo mais complexo e criativo.”

Para ver mais tinta em ASCII, acesse a página do Instagram de Vrontis.

Leia mais matérias de ciência e tecnologia no canal MOTHERBOARD.
Siga o Motherboard Brasil no Facebook e no Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, no Instagram e no YouTube.