FYI.

This story is over 5 years old.

Conheça o Funketon, o Encontro do Funk com a Cultura Latina

A mistura do baile funk com reggaeton está ganhando espaço depois do hit “Água na Boca”, com Tati Zaqui e DJ Perera na produção.
Renato Martins

Foto, no topo, por Renato Martins.

O ritmo que conhecemos por funk carioca costuma mudar muito lentamente. Pra se ter uma ideia de como é osso para os produtores incorporarem novos sons ao gênero, a batida do tamborzão desde o fim dos anos 90 é a principal célula rítmica da gigantesca maioria das produções no gênero. Ainda assim, resistindo ao padrão que se repete ad nauseam e outros pequenos porém importante micro-movimentos como a rasterinha, surgiu o funketon que mistura o reggaeton ao funk.

Publicidade

O novo gênero, porém, não é exatamente uma novidade. Depois do percussor da parada, MC Papo que lançou "Piriguete" em 2006, o funketon ganhou mais espaço por meio da produção do DJ Perera para a Tati Zaqui com a música "Água na Boca", que tem mais de dois milhões de views no YouTube; o MC Menor da DS com "Final de Semana", que acumula 800 mil views e o MC R1 que lançou a "Treme Bunda" que já vai em 450 mil vizualizações.

MC Papo - "Piriguete"

O MC Papo, codinome de Alexandre Materna, 25, me contou como surgiu a ideia de misturar o funk com reggaeton: "A gíria 'piriguete' era a sensação da Bahia na época e caiu no mesmo momento de eu gravar um reggaeton, porque achava que era um ritmo irmão gêmeo do funk".

O reggaeton vem da América Central, herança de uma cultura musical latina e caribenha. É um som predominantemente das periferias dessas capitais e também tem uma dança sensual: o nosso "sarrar" é o "perreo" deles. Eles também curtem uns paredões de som na hora do baile.

MC Papo - "Só um Tikin"

O MC Papo acredita que o funketon não estourou porque ainda são poucos artistas desenrolando o gênero no Brasil. Mesmo assim, ele vê com bons olhos novos artistas que resgatam o estilo como a Tati Zaqui no som "Água na Boca". "Isso pode ajudar a crescer e unir o movimento", afirma Papo.

MC Papo, foto cedida pelo artista.

MC R1 - "Treme Bunda"

MC R1, que se diz um grande fã desse rolê, manda: "Eu acho perfeito, é o que estava faltando pro funk. Antigamente os produtores colocavam só um solo ou arranjo em cima da base das músicas, já o reggaeton trabalha muito mais a parte instrumental", compara R1. Sua música "Treme Bunda" caiu no gosto dos dançarinos de plantão do YouTube e virou tema do 'Desafio Treme Bunda' — se liga na quantidade de vídeos que as pessoas já mandaram para o desafio. Parece que o funk com reggaeton é bom de dançar.

Publicidade

MC Tati Zaqui - "Água na Boca"

Na música "Água na Boca", da MC Tati Zaqui, é possível perceber a influência de mais instrumentos. A MC contou que tentou criar uma levada diferente: "Queria criar algo dançante, que não fugisse do funk, mas que fosse diferente de tudo!". Ela ainda tirou uma onda e arriscou algumas rimas em espanhol.

Mesmo sendo um ritmo novo, a levada tem dado certo. "No baile, quem conhece começa a cantar, quem não conhece [a música], começa a dançar". Tati acredita que o funketon tem chance de virar moda. "É bem bacana, fica na mente e ninguém consegue ficar parado!", diz ela.

MC Menor da DS - "Final de Semana"

Na linha ostentação, o funketon "Final de Semana" do MC Menor da DS fez sucesso nos bailes. "Cara, o público reage bem quando toca", diz o MC. Com apenas um funketon, o jovem conta que se inspirou no proibidão "Castelo dos Horrores", obra do falecido MC Felipe Boladão. "Essa ideia veio do nada, apareceu o ritmo na minha cabeça e eu comecei a fazer a música. Me lembrei da música do Felipe Boladão que tinha uma levada parecida", lembra o Menor.

Com apenas 18 anos, Pedro Henrique acumula 800 mil views no seu videoclipe e fez muitos shows graças a essa música. Ainda assim, o produtor não sabe se continua no funketon ou envereda de vez para a putaria. "Essa foi a primeira e única música que fiz com essa levada. Mas gravei uma putaria que vai estourar", avisa.

Sobre esse rolê todo, MC Papo concluiu: "O funk é coisa nossa, é o resultado do encontro da cultura estrangeira com a nossa cultura. Assim como o reggaeton é o retrato da galera do Caribe que foi influenciada pelo dancehall jamaicano". Já é.