FYI.

This story is over 5 years old.

Noticias

Entrevistas com Pessoas que Acabaram de Transar

A regra aqui é simples. Esperamos do lado de fora do quarto enquanto esses casais transavam, depois entramos e eles nos contaram como foi, lance a lance.
2.2.12

A regra aqui é simples. Esperamos do lado de fora do quarto enquanto esses casais transavam, depois entramos e eles nos contaram como foi, lance a lance.

AHAVA e LD

VICE: Então vocês acabaram de transar…

LD: Primeiro tomamos um pouco de vinho, pra ir entrando no clima, aí comecei a beijá-la. Foi assim que começou.

Ahava: Não demorou pra eu ficar com tesão. E a gente só transou umas quatro vezes antes, então ainda é excitante.

Publicidade

LD: Mas já estamos confortáveis o suficiente ao ponto de não ficamos ansiosos.

Ahava: E tinha uma semana que eu não trepava.

OK, e depois? Vocês já estavam excitados?

Ahava: Ele tirou minha blusa. Acho que eu tirei meu shorts.

LD: Sim você mesma tirou seu shorts, aí você tirou toda a minha roupa. Você queria começar logo.

Então vocês estavam prontos mesmo. Quanto tempo levou?

LD: Já estava dentro nos primeiros cinco minutos. O sexo todo levou uns 40 minutos no total.

Ahava: Acho que demorou um pouco mais.

LD: Eu olhei no relógio.

Ahava: Eu não estava tão por fora do que estava acontecendo.

E depois?

Ahava: Aí eu fiz um boquete bem rápido.

LD: Foi rápido demais. Tipo um minuto.

Ahava: Acho que foram uns três minutos. Não sou muito fã de boquetes.

LD: Eu nunca fiz sexo oral nela, então acho que é justo.

Ahava: Eu estava sendo educada.

Por que tão rápido?

LD: Eu tava curtindo.

Ahava: É, ele estava, acho que foi esse o problema. Tinha muito empurra-empurra e eu tenho uma boca pequena! Eu nunca faço garganta profunda. Aí decidi parar.

LD: Não vou fazer de novo, acho.

Ahava: Ele é bem grande, pelo menos comparando com outros. Então eu estava meio que despreparada.

O boquete de um minuto acabou e aí…

LD: Aí ela ficou por cima e começamos a meter.

Você já estava molhada?

Ahava: Não muito, mas aconteceu rápido.

LD: Ela estava fazendo a maior parte do trabalho. Eu só fiquei ali agarrando os peitos dela. Ela gosta desse negócio de morder, deixar marcas, sangrar um pouco e tal.

Publicidade

Ahava: Morder forte mesmo.

LD: Foi a primeira vez que realmente entrei nessa. Ela me disse que gostava e eu achei um pouco esquisito, mas dessa vez eu fui em frente. Mordi um pouco o peito dela.

Você gostou?

LD: Depois que comecei, achei bem legal.

Ahava: Acho que a reação que ele conseguiu de mim ajudou. Eu curti muito.

LD: Ela ficou meio louca.

Ahava: E ele gosta de me dar uns tapas quando eu estou por cima. Isso aconteceu também.

Então vocês fizeram muito barulho?

LD: Ela fez.

Ahava: Ele fez só um pouco de barulho, não muito alto, mas fez. Só alguns gemidos e resmungos. Eu diria que foi legal porque ele foi consistente, e eu entendi que ele estava gostando.

LD: Às vezes é um decisão consciente fazer barulho, e um indicador para a outra pessoa saber que você está gostando.

Ahava: Às vezes gosto de fazer barulho.

E vocês falaram alguma coisa na hora?

LD: Não, às vezes eu pergunto se está gostoso.

Ahava: Ou ele pede pra eu fazer algumas coisas. Pessoas que gostam muito de falar sacanagem me assustam, mas tinha um cara que me chamava de várias coisas e eu achava bem excitante.

Vocês dois estavam gostando dela por cima?

LD: Bom, ela gozou depois de uns sete minutos.

Ahava: Eu sempre gozo quando fico por cima, porque sei o que fazer pra atingir o orgasmo. É por isso que eu não posso começar por cima, mas sempre volto pra essa posição.

LD: Eu estava dentro dela literalmente a cinco minutos.

Publicidade

Ahava: Eu diria dez.

O que você pensou quando ela gozou?

LD: Pensei: “Cara, eu sou bom”.

Você estava pegando nela ou só metendo?

LD: Não, ela fica completamente no controle quando está por cima. Eu não preciso fazer muita coisa, eu tenho uma ereção e fico deitado lá.

Ahava: Não, você estava me tocando!

LD: Sim, nos seus seios, achei que a gente estava falando do seu clitóris.

Você gosta quando a pessoa fica só deitada lá?

Ahava: Sim, é meio irritante quando a pessoa fica cheia de mãos. Eu sei o que estou fazend. Sinto que algumas vezes as pessoas só estão me fodendo do jeito que eu deixo elas me foderem.

Então ela gozou. O que veio depois?

LD: Nós trocamos e fizemos várias posições. Eu estava por cima, estilo papai e mamãe tradicional, aí fizemos de lado por um tempo, depois de volta ao papai-mamãe. E foi assim, na verdade, só sexo.

Mas não aconteceu nada durante?

LD: Só penetração, nada de especial.

Ahava: Teve mordidas.

LD: Sim, no braço dela, ombros e nas costas. Isso ainda é um conceito relativamente novo, morder pra machucar, eu realmente não conhecia.

Morder parece uma coisa especial. Mas continuem.

LD: Aí ela ficou de costas. Era estilo cachorrinho, mas não arqueado, ela só estava deitada com o rosto no colchão. O que eu mais gosto nessa posição é que quando você empurra a garota pra baixo, as molas da cama empurram ela de volta, então ela meio que fica involuntariamente pulando na cama, e isso é muito interessante visualmente. Eu meio que gosto daquela cena do filme Estragos de Sábado à Noite quando a garota fica pulando no meio deles. Mas você precisa de um colchão de molas, então eu recomendo fazer sexo numa cama.

Publicidade

Você gostou disso?

Ahava: Sim, porque ele estava mordendo minhas costas e estava bem empolgada, então fiquei bem excitada. Mas, quando ele estava pronto pra mudar eu não liguei.

O que veio depois?

Ahava: Aí ficamos de lado de novo e ele começou a meter os dedos na minha bunda. Eu gostei bastante.

Foi um teste pra ver se você conseguia colocar o pau?

LD: Não, porque a gente já fez sexo anal antes. Todas as vezes ela disse: “Você tem que me deixar pronta”. Certo momento eu consegui colocar uns quatro dedos dentro, fiquei impressionado! Nem sei se ela percebeu.

Ahava: Eu senti uma coisa diferente, e fiquei meio confusa, mas continuava bom então não fiz perguntas.

LD: Agora que eu sei que ela não se importa, vou fazer o que eu quiser.

Aí vocês foram direto pro anal?

Ahava: Não, eu neguei no começo. Achei que ele ia simplesmente meter lá, aí falei que precisava de um lubrificante e precisava de preliminares.

LD: Eu consegui esse lubrificante incrível, de graça! After Hours Inc. Eles simplesmente me deram numa esquina em Bushwick. Camisinhas grátis, lubrificante grátis, teste de HIV grátis. É o melhor lubrificante que já usei, a bunda dela virou um escorregador.

E você normalmente gosta de anal?

Ahava: Sim, eu gosto porque todas essas garotas dizem que é degradante, mas não é. O cara tem que se esforçar pra conseguir, não é só enfiar lá. Então o cara realmente se empolga porque precisa se esforçar pra conseguir.

Publicidade

LD: Tem muita coisa em jogo pro cara, então você presta mais atenção do que o normal. Se você quer fazer sexo anal, você certamente tem que se esforçar mais. É quase como se você tivesse que convencer fisicamente a mina a fazer isso.

Ahava: Apesar do lubrificante é sempre um pouco doloroso, mas eu gosto de dor física com o sexo. Eu fiquei bem excitada. E ele estava me tocando ainda. Mas aí chega uma hora que não dá mais pra aguentar.

LD: Que foi o que aconteceu quando meu pau acidentalmente escapou.

Ahava: Eu me virei e disse: “OK, agora chega”.

LD: Pior erro da minha vida.

Como vocês se recuperaram?

LD: Eu decidi que o único jeito de gozar era me masturbando. Sempre demora um tempo pra eu atingir o orgasmo através do sexo. Voltamos para o papai e mamãe depois do anal, mas estava demorando. Eu já me masturbei tanto na vida, eu sei como gozar em um minuto.

Ahava: Cada um sabe melhor o seu jeito.

LD: De qualquer maneira achei que ela devia estar ficando cansada.

Ahava: Não, eu ainda estava excitada. Você saberia se eu não estivesse.

LD: Eu meio que ajoelhei por cima do rosto dela e pedi pra ela lamber minhas bolas.

Ahava: Aí eu lambi a bunda dele.

Ele te pediu pra fazer isso ou foi uma iniciativa sua?

Ahava: Um pouco dos dois. Ele me pediu pra lamber as bolas dele, o que eu estava fazendo. Aí ele se moveu um pouco pra frente e eu fui em frente. Foi a primeira vez que fiz isso, mas eu continuei, por causa da reação dele.

Publicidade

LD: Foi incrível. Metade de mim pensava: “É tão gostoso”. A outra metade pensava: “Não acredito que ela está fazendo isso”. Eu gosto muito de garotas que tentam coisas novas. Aí eu gozei na cara dela, o que foi muito legal. É uma coisa meio Neandertal, é tipo deixar uma marca de que você esteve ali, e isso é bem legal.

Ahava: Eu sou um pouco submissa, então eu curti.

Foi o melhor sexo que vocês dois já fizeram um com o outro?

Os dois: Com certeza.

ANDY e ALANA

Vice: OK. Comecem do começo.

Andy: Tomamos umas cervejas e fumamos uns cigarros, e falamos sobre trepar em vários lugares.

Alana: Aí ele disse: “Vamos transar”.

Como você começou?

Andy: Nos beijamos um pouco, aí eu tirei a meia-calça dela, tirei a camisa porque estava muito calor aqui. Aí pedi pra ela tirar o vestido, mas acabei tirando pra ela. Depois tivemos que ir até o banheiro e colocar um cobertor no chão porque ela estava menstruada e a gente não queria fazer bagunça.

Alana: É natural e é lindo!

Se você tá dizendo. Que mais?

Andy: Ela estava usando sutiã e calcinha combinando hoje, foi excitante.

Alana:I sso nunca acontece, sou muito desorganizada.

Andy: Então colocamos o cobertor no chão, ficamos confortáveis. Nos acariciamos um pouco e continuamos nos beijando. Eu comecei a agarrar e beijar e chupar os peitos dela.

Alana: Isso foi legal.

Andy: Aí eu comecei colocar os dedos.

Alana: Eu comecei a ficar molhada, com a coisa dos dedos.

Publicidade

Andy: Ela começou a brincar com o meu pau.

Brincar como?

Alana:Tocando, esfregando um pouco por cima da cueca.

Andy: Ela estava usando as duas mãos e isso foi bem excitante. Tirei a calcinha dela e joguei longe, e continuamos a masturbar um ao outro. Eu continuei beijando os seios dela e a barriga. Estávamos dando um tempinho. Eventualmente eu fiquei por cima dela, direto no papai e mamãe.

Alana: Ele levantou minhas pernas pra cima, e isso foi gostoso.

Andy: A Alana é muito flexível, e ela tem essas pernas longas também.

Alana: Sou professora de ioga.

Rolou oral?

Alana: Eu preciso conhecer bem o cara antes disso, e a gente não se conhece há muito tempo.

E nesse ponto vocês estavam só metendo ou se tocando também?

Alana: Eu diria que só metendo, mas não parecia que era só isso.

Andy: A gente se beijou um pouco no começo, quando estávamos entrando no clima. Começou devagar. Estávamos facilitando no começo.

Alana: Mas não por muito tempo. Eu queria mais forte e mais rápido, e aconteceu e foi incrível.

Andy: Eu curti porque ela estava se segurando nas barras da cama, e garotas agarradas em coisas sempre me deixam excitado. É como quando elas apertam o travesseiro, só que melhor.

Alguma mudança de posição?

Andy: Eu ainda estava por cima e dobrei as pernas dela mais em direção à barriga. Eu estava metendo forte mesmo.

Alana: Eu estava bem perto de gozar, mas só quando ele dobrou minhas pernas. Aí ele alcançou um ponto diferente.

Publicidade

Andy: Aí eu gozei dentro, já que ela estava menstruada e isso foi bem legal.

Alana: É, foi legal que ele não teve que tirar e toda aquela coisa.

Andy: A gente devia fazer isso mais vezes.

Por que vocês dois curtiram tanto toda essa história de gozar dentro?

Andy: Não precisamos passar por aquela coisa de se masturbar no final.

Alana: Ele pode ficar dentro de mim sem estressar por causa disso.

A menstruação mudou alguma coisa?

Alana: Bom, nós colocamos o cobertor, mas acabou não fazendo tanta sujeira.

Andy: Minhas partes estavam todas ensanguentadas quando terminamos. Mas escuta, eu não vou negar sexo só porque ela está naqueles dias. Nada daquela coisa “a mulher tem que ficar trancada em casa por uma semana”. Foda-se isso.

CAITLIN e ANDY
VICE: Ei, você não é o mesmo cara da outra entrevista? Você é um gigolô?

Andy: Hum, sou só um cara legal, acho.

OK, garanhão. Essa foi uma tarde de prazer e tanto, hein? Me conta.

Caitlin: Fizemos esta manhã depois de acordar, e de novo uma hora atrás. De manhã, eu estava indo embora, mas percebi que ele estava de pau duro, aí pensei: “Hum, agora não, ele está dizendo olá”.

Andy: Começamos a nos agarrar de olhos fechados, aquele tipo de coisa que depois você não lembra direito.

Caitlin: Estávamos de conchinha, e foi tipo: “Que isso? Oh, um pau duro!”.

Andy: É tipo gente cega se agarrando de manhã cedo. Aí fomos direto pra metida. Eu estava por cima e bem perto dela, me segurando. Gozei bem rápido.

Publicidade

Tipo, cinco, dez minutos?

Caitlin: Talvez uns três minutos.

E o que isso quer dizer pra você?

Caitlin: Que eu sou muito gostosa e que minha boceta é apertada pacas! [Risos]

Como foi da segunda vez?

Andy: A gente estava só de roupa de baixo, e começamos a nos beijar. Aí ela ficou por cima…

Caitlin: É assim que eu faço.

Andy: Aí eu meio que escorreguei os seios dela pra fora do sutiã.

Caitlin: Eu não uso mais sutiã com fecho, é sempre uma trabalheira pra tirar. Às vezes é mais fácil usar o estilo amamentação.

E o que estava acontecendo com os seios?

Andy: Eu estava beijando, chupando e apertando. Ela estava esfregando o clitóris em mim, meio como uma transa à seco.

Caitlin: Ficamos nisso um tempinho, mas eu quis ter certeza que ele ainda tinha camisinhas.

Andy: Peguei uma e voltei pra cama. Cueca sai, camisinha entra. Camisinha idiota.

Caitlin: Bom, eu não curto muito bebês. Eu tenho essas camisinhas especiais suecas e japonesas.

Andy: Tem diferença, com certeza. Elas são bem finas e não parecem ser simplesmente tubulares. Elas têm mais o formato do pênis, acho.

Quem ficou por cima?

Caitlin: O Andy, porque ele saiu e depois voltou, e eu só fiquei deitada lá.

Você já estava molhada?

Caitlin: Sim, sem problemas, ele foi lá e entrou. Isso geralmente não é um problema pra mim, é só deslizar pra dentro.

E como foi o papai e mamãe?

Andy: Foi bem legal. Depois a gente entrou mais no clima.

Publicidade

Caitlin: Estava indo bem rápido, e aí eu agarrei a bunda dele pra ele ir mais devagar porque estava bem gostoso.

Andy: Ela enroscou as pernas em mim, o que foi bem excitante. Aí nós entrelaçamos as pernas.

Caitlin: Foi um ótimo papai e mamãe, uma boa retomada de um velho clássico.

Alguém gozou?

Caitlin: Eu gozei. Foi um orgasmo forte. Eu geralmente gozo só com a penetração. Tende a ser o jeito mais fácil pra gozar. Descobri na faculdade que pra muitas das minhas amigas não é assim.

Sorte sua. De qualquer maneira, vocês continuaram no papai e mamãe o tempo inteiro?

Andy: Começamos assim e depois fomos pra de quatro.

Caitlin: Fiquei apoiada nos meus cotovelos, porque é mais confortável.

Andy: Estava demais, mas fiquei cansado, então paramos.

Você simplesmente parou? Foi isso? Você não gozou?

Andy: Eu tinha gozado de manhã. E estou de ressaca.

Caitlin: Eu não tinha gozado da primeira vez, então empatamos.

TINA e BUCHANAN
VICE: Como foi a foda?

Buchanan: Primeiro, a gente não se via tinha um mês, quando a gente se conheceu, e a gente transou muito no mato na época, então foi legal ter um sofá.

Tina: E eu disse pra ela: “Imagine o que a gente faria numa cama, porra”. Mas primeiro bebemos uísque. Aí tiramos a camiseta uma da outra.

Buchanan: Aí bebemos mais uísque.

Tina: Então colocamos Bob Dylan pra tocar. Acho ele sexy.

Buchanan: Aí a gente começou a se beijar. Foi um tesão.

Tina: Nós brincamos com os seios uma da outra.

Publicidade

Continuavam de calça?

Buchanan: É, mas depois fui ao banheiro e voltei com a calça aberta.

Tina: Ela estava usando cueca boxer. Eu estou de calcinha.

Buchanan: Continuamos nos beijando e começamos a tocar nas “áreas especiais” uma da outra. A calça dela estava muito difícil de tirar.

Tina: Choveu ontem à noite, então ela ficou meio que grudada! Tivemos que puxar muito.

Buchanan: Ela ficou por cima. Estava usando calcinha rosa. O beijo dela é perfeito.

Tina: Eu fiz ela tirar a cueca também. E então ela botou pra foder comigo.

Opa, calma aí. Volta um pouco.

Tina: Ela definitivamente me fodeu primeiro.

Buchanan: Ela estava por cima e eu comecei a tocá-la com a mão. Primeiro só esfregando, depois escorreguei um dedo dentro. Ela deitou e comecei a beijar todo o peito dela e depois as coxas, e depois outras partes. Chupei o clitóris dela por um tempo, com o meu dedo dentro dela. Eram dois dedos nessa hora.

Tina: Eu fiquei subindo e descendo a minha bunda. Gemi muito.

Você faz muito barulho geralmente?

Tina: Só se eu gosto muito da pessoa. Se só aconteceu por acontecer então nada de gemidos. Mas se é alguém especial então eu expresso isso. Foi por isso que a gente colocou Bob Dylan.

Buchanan: As frequências dele encobrem qualquer coisa. E como eu estava dizendo, a boceta dela é uma delícia.

Tina: Realmente me expressei.

OK, e depois?

Buchanan: Ela gozou, e a gente foi mais devagar um pouco. Eu continuei com os dedos dentro, mas comecei a beijar ela na boca e tal.

Tina: Eu gozei a primeira vez em dois minutos. A segunda, terceira e quarta vez foram todas consecutivas. Então eu disse: “Você não pode só ficar me dando prazer, reciprocidade é importante”. Aí eu comecei a fazer sexo oral nela.

Buchanan: Eu geralmente não deixo garotas fazerem isso comigo. É só minha preferência. Eu estava sentada no sofá e ela estava no chão, eu agarrei o cabelo dela ela colocou os dedos em mim. Ela tem mãos incríveis.

Tina: Eu não coloquei muito pra dentro. Eu tenho dedos longos.

Você gozou?

Buchanan: Sim, o que é novidade pra mim. Só começou a acontecer de uns anos pra cá.

Tina: É, a gente fodeu muito. Primeiro ela me fodeu, depois eu fodi ela. Finalmente ela me deixou encostar nas partes dela.

Como vocês terminaram?

Buchanan: Fumamos e tomamos um pouco mais de uísque, ouvimos Mamas and the Papas. Desenhamos carinhas felizes uma na outra, em volta das nossas pintas.

Que fofo.