Actualidade

“Safety Dance”. Fizemos uma playlist para mandar o Corona bugiar

Depeche Mode, Bob Marley, The Strokes, Beastie Boys, GNR, Natércia Barreto ou Johnny Cash, fazem parte de uma lista de 48 canções que tem um simples propósito: mandar a Covid-19 à merda.

Por Carlos Reis
04 Maio 2020, 2:23pm

 A máscara de todas as máscaras gostaria de estar agarradinho, sem que nada o disturbe. (Imagem do filme The Mask com Jim Carrey e Cameron Diaz - 1994. Cortesia New Line Cinema)

Stop and rewind.

Como o inimigo oculto está longe de ser erradicado, esta é a nossa carta sonora ao execrável Sars-Cov-2. São 46 canções que correspondem a 46 dias de confinamento (19 de Março a 3 de Maio) e ainda incluímos um duplo bónus com Patti Smith e Nina Simone, que precede ao single The Safety Dance dos canadianos Men Without Hats.

Dos anos 60 à década passada e percorrendo diversos géneros musicais, o alinhamento inclui festas de arromba, linguados fortíssimos, baba e ranho na praia, passeios no supermercado, maconha psicadélica e um manguito com atitude. Entre os portugueses, podes encontrar B Fachada, Doce, Gala Drop, Gemini, GNR, Heróis do Mar, Natércia Barreto, Márcia, Miúda, Pinto Ferreira e Xinobi - este último num edit para uma faixa de Nicolas Jaar.

É tempo de espantar o raio do vírus que paralisou (quase) tudo e todos. Play it now, Lily!

01. “Fuck you” (ao vivo) - Lily Allen

Segue o título: Sim, é a pensar em ti, Covid-19.

Álbum: It’s Not Me, It’s You (2009). A versão live faz parte da digressão do mesmo disco.

Nota: Quem é que disse que fazer um pirete não é sexy?

02. “Just cant’t get enough” (ao vivo) - Depeche Mode

Segue o título: É como muita gente se deve sentir dentro de casa, por estes dias…

Álbum: 101 (1989).

Nota: A roupinha dos anos 80 dispensa qualquer comentário. Quanto aos DM, isto: são os maiores.

03. “Hung up” - Madonna

Segue a letra: “Time goes by so slowly”. 2020 está a ser o oposto do habitual “como o tempo passa rápido”. Seja com o Estado de Emergência ou com a entrada do Estado de Calamidade.

Álbum: Confessions On A Dance Floor (2005).

Nota: Louise Ciccone a dar um show de elasticidade, enquanto imaginas o retorno ao ginásio.

04. “Does your mother know” - Abba

Segue o título: Se pudesses, onde irias num Sábado à noite? (se calhar, a resposta vem nos dois próximos temas).

Álbum: Voulez-Vous (1979).

Nota: Vale a pena dar uma “ouvidela” à cover dos Ash.

05. “Hustler” - Simian Mobile Disco

Segue a letra: “It's eight o'clock and I've got nothing to do, Can't go to the club”. Como eu a entendo.

Álbum: Attack Decay Sustain Release (2007).

Nota: Dá para entrar no teledisco? Nem que vá mascarado de “lésbico” fofinho.

06. “Pursuit of happiness” (Steve Aoki Dance remix) - Kid Cudi

Segue o título: Saudades de festas bombásticas? Nostalgia…

Álbum: Project X: Original Motion Picture Soundtrack (2010).

Nota: Os cães sabem-na toda (parar o clip aos 38 segundos).

07. “Roadrunner” - The Modern Lovers

Segue a letra: “Going faster miles an hour, Gonna drive past the Stop 'n' Shop with the radio on”. Conduzir sem restrições, controlos policiais e com a telefonia bem alto. Em Maio, começa a ser mais possível.

Álbum: The Modern Lovers (1976).

Nota: Quando te pedirem bandas dos anos 70, favor incluir os “amores modernaços”.


08. “The Modern Age” – The Strokes

Segue o título: Tanta tecnologia, tanto avanço na ciência e, de repente, sofremos um abalo do tamanho do planeta. O “astrólogo” Bill Gates tinha avisado sobre essa possibilidade em 2015.

Álbum: Is This It (2001).

Nota: O melhor LP de rock deste milénio (so far).

09. “Impressões digitais” - GNR

Segue a letra: “Acho que o que gosto em mim, o que me motiva é uma preguiça transcendental”. E a ti? O que te acalenta por estes dias?

Álbum: Valsa dos Detectives (1989).

Nota: Filomena Cautela: “Que droga é que não experimentaste?”; Resposta de Rui Reininho: “O clister”. As conversas/entrevistas com o vocalista dos GNR são um must. Lembra a sua passagem pelo 5 Para a Meia-Moite (RTP1) aqui.

10. “Óculos de sol” - Natércia Barreto

Segue o título: Praia, aqui vou eu! (quando for autorizado, claro. Para já, é só para a prática de desportos náuticos)

Álbum: Portugal Deluxe - Volume 1: Um Cocktail Estereofónico (1997). O tema foi editado originalmente em 1968.

Nota: Um clássico obrigatório para bailaricos sofisticados.

11. “Pensado em ti” - Gemini

Segue o título: O projecto “Caixa Solidária” é uma das iniciativas que a sociedade civil criou para ajudar quem mais precisa (norte a sul do país). É fixe ter vizinhos assim.

Álbum: Pensando em Ti (1977).

Nota: Na capital também existe a Rede Solitária de Lisboa.

12. “Three little birds” - Bob Marley & The Wailers

Segue a letra: “Don't worry about a thing, Cause every little thing gonna be alright”. Esperança.

Álbum: Exodus (1977).

Nota: A enrolar a “broca” ou o cartoon fez-te perder o filtro?

13. “And I say” (Xinobi edit) - Nicolas Jaar

Segue a letra: “ 7 in the morning got a wake up look like my name”. Acordar tão cedo deixou de ser um problema para muitos.

Remix feito em 2012.

Nota: E que tal espreitar a editora Discotexas onde joga o craque Xinobi?

14. “Can I Kick it?” - A Tribe Called Quest

Segue o título: Como é que é? Pedimos ao Ronaldo ou ao Messi para pontapear o malvado para fora do planeta?

Álbum: People's Instinctive Travels and the Paths of Rhythm (1989).

Nota: Pelo caminho, podem expulsar um determinado conselheiro de Boris Johnson…

15. “(You gotta) Fight for your right (to party)” - Beastie Boys

Segue a letra: “You missed two classes and no homework”. É animador ver a telescola com uma excelente audiência na RTP Memória.

Álbum: Licensed to Ill (1986).

Nota: O festival Alive acolheu a estreia do trio norte-americano nos palcos portugueses. Corria o ano de 2007. (por falar em concertos, o projecto Gigs em Casa promete dar alento e rendimento financeiro à prata da casa)

16. “Young adult friction” - The Pains of Being Pure at Heart

Segue a letra: “I never thought I would come of age, Let alone on a moldy page”. A solidão anda aí. (se te sentires demasiado sozinho, sem ter com quem desabafar e a cogitar o precipício, há entidades aptas para lidar com estes momentos delicados)

Álbum: The Pains of Being Pure at Heart (2009).

Nota: “Estar sozinho não é estar só” é um texto da psicóloga clínica-psicanalista, Ana Eduardo Ribeiro, que vais gostar de ler no Observador.

17. “Nothing to be done” - The Pastels

Segue a letra: “ What do you say we go and get a beer?”. A MUSA criou uma nova cerveja para ajudar músicos e artistas portugueses. A With A Little APA From My Friends está à venda online.

Álbum: Truckload of Trouble (1993).

Nota: Pelos vistos, o Coronavírus fez diminuir o consumo de álcool e drogas junto dos jovens.

18. “In between days” - The Cure

Segue a letra: “Yesterday I got so scared, I shivered like a child”. Digam o que disserem, é impossível ser desleixado com este vírus.

Álbum: Head On The Door (1985).

Nota: Com tantos laboratórios a tentar alcançar o antídoto em tempo recorde (habitualmente leva entre 5 a 10 anos), na melhor das expectativas a vacina deve chegar no Outono e a comercialização durante o primeiro semestre do ano que vem. Crossed fingers.

19. “Common people” - Pulp

Segue a letra: “Cause everybody hates a tourist”. Bem, os que odeiam devem andar com menos razão de queixa.

Álbum: Different Class (1995).

Nota: No meio da epidemia, há casais que combinam encontros no supermercado (#covidsuperdate).

20. “Da ya think I’m sexy” (DiscoTech more sexy remix) - Rod Stewart

Segue o vídeo: O flirt num bar dá outra pica, mas com a possibilidade de usar máscara vai ser, no mínimo, bizarro. Quanto houver bezanas então…

Álbum: Blondes Have More Fun (1978). A remistura é deste milénio.

Nota: FYI, as morenas também são “rock & roll”.

21. “Animal” (Punks Jump Up remix) - Miike Snow

Segue o título: Se, por acaso, as condições para criar o bicharoco se degradarem (ou souberes de quem esteja nessa posição), consulta o site encontra-me. Nele, podes aceder a uma lista de associações de protecção de animais de companhia.

Álbum: Miike Snow (2009). A remix surgiu no mesmo ano.

Nota: É melhor evitares a série Tiger King. Não que não seja interessante e repleta de twists, é só porque mostra alienados que utilizam animais como “cifrões de estimação”.

22. “Amanhã de manhã” - Doce

Segue a letra: “Abre os braços, acende um beijo, fica dentro de mim”. Ontem, hoje e depois. A vontade de copular resfria o medo do contágio (ou será o contrário?).

Álbum: Ok, Ko (1980).

Nota: Para quem o desejo carnal não pode ser satisfeito face to face, há sempre o atalho virtual. Já ouviste falar do "Covid-69”?

23. “Alegria” - Heróis do Mar

Segue o título: É uma alegria ver os profissionais de saúde serem elogiados, mas é uma tristeza verificar que o seu salário não foi aumentado em contraponto ao que acontece com os outros funcionários públicos. Inconcebível.

Single lançado em 1985.

Nota: O escritor Kenan Malik tem um artigo no The Guardian sobre heroísmo que vale a pena ser lido.

24. “Alright” - Jamiroquai

Segue o título: Ainda é cedo para determinar todas as características do “monstro”. Nem os experts sabem, por completo, com o que lidamos. O melhor é acreditar que, passado a tormenta, vai ficar tudo bem.

Álbum: Travelling Without Moving (1996).

Nota: O nome do CD tem tudo a ver com dois mil e vinte. Outras opções: documentários na RTP2, na Netflix ou, se é hedonismo que pretendes, vê o LuxeTV.

25. “Inside and out” (Bee Gees cover) - Feist

Segue o título: Cá dentro e lá fora, os óbitos atingem números surreais. O Corona é um grande cabrão. Ponto.

Álbum: Let It Die (2004).

Nota: É inqualificável quem utiliza os números de vítimas de malária para justificar o seu negacionismo em relação ao perigo do novo Coronavírus. Quando é que eles entendem que a primeira está amplamente estudada e, por isso, a sua expansão é controlável? Menos, please.

26. “Upside down” - Diana Ross

Segue o título: O mundo virado do avesso. E daqui a um ano?

Álbum: Diana (1980).

Nota: A realidade na série Stranger Things parece reconfortante. Ao menos, é ficção.


27. “Warm in the shadows” - Music Go Music

Segue o título: Deve ser como o dito cujo se sente.

Álbum: Expressions (2009).

Nota: Ao quarto minuto e trinta e nove segundos, achas que é olhar matador ou algo humoradamente creepy?

28. “Style” - Taylor Swift

Segue a letra: “We never go out of style”. A Clara de Sousa está sempre na moda. O melhor pivô da TV nacional é um dos rostos do Jornal da Noite, da SIC.

Álbum: 1989 (2014).

Nota: Sabias que Ryan Adams fez a versão completa do longa-duração de Swift? Not bad.

29. “One by one” - Whitey

Segue o título: Especial agradecimento a cada uma das pessoas que exerce profissões bastante expostas. Vocês sabem quem são.

Álbum: Great Shakes (2012).

Nota: Depois de ter “leakado” na rede, em 2007, o cantor britânico preferiu protelar a edição oficial do disco.

30. “Elogio da estupidez” - Pinto Ferreira

Segue a letra: Tens o toque de midas, só que ao contrário”. Bolsonaro e o "resfriadinho”; Trump e o uso de desinfectante e ainda a ideia de ter o seu nome impresso nos cheques do Estado. A imbecilidade em tempos de pandemia.

Álbum: Pinto Ferreira (2010).

Nota: E o presidente das Filipinas que sugeriu disparar contra quem furasse o confinamento?

31. “Insatisfação” - Márcia

Segue o título: Os sectores da Cultura, do Turismo e do Desporto são dos mais afectados com as restrições em vigor. A mudança chega no Verão? A economia agradece, mas o desagrado pode aparecer por parte de quem acha que a urgência sanitária pede outro tipo de contenção.

Álbum: Quarto Crescente (2015).

Nota: O momento “lobo mau” foi um dos melhores tópicos na conversa entre Márcia e João Manzarra, nos directos do Instagram da Agência Arruada.

32. “Heaven knows I’m miserable now” - The Smiths

Segue a letra: “I was looking for a job and then I found a job”. Que o mesmo resultado se aplique a todos os que andam à procura de emprego.

Álbum: Hatful of Hollow (1984).

Nota: O semanário Expresso apresenta quatro dicas para criares uma rede de contactos profissionais neste período conturbado. A B!t Magazine revela como a Talkdesk está a reunir empregadores e candidatos a emprego, a fim de oferecer alternativa “para as pessoas cujo trabalho foi impactado pela Covid-19”.

33. “Beautiful ones” - Suede

Segue o título: A maior parte dos portugueses enclausurou-se e só sai quando é estritamente necessário. Custa imenso, mas tem de ser.

Álbum: Coming Up (2006).

Nota: Foi bonito ver o 25 de Abril ser celebrado nas janelas e varandas. Simbólico e sentido.

34. “Kids” - MGMT

Segue o título: As crianças têm-se portado bem? Ou estás a ficar sem imaginação para as entreter? Entretanto, a reabertura das creches e as aulas presenciais dos estudantes do secundário (do 11º e 12º ano) estão previstas para 18 de Maio.

Álbum: Oracular Spectacular (2007).

Nota: Até recomendava a série BoJack Horseman, mas é talvez um “pouquinho” provocante.

35. “I am the resurrection” - The Stone Roses

Segue a letra:Down down, you bring me down”. Sentimento que perpassa o espírito quando consumimos demasiada informação mono-temática.

Álbum: The Stone Roses (1989).

Nota: Podes ver o documentário The Stone Roses - Made of Stone no youtube.

36. “Never tear us apart” - INXS

Segue o título: Que a desintegração da União Europeia esteja longe de ser um facto. Todos iguais, todos diferentes… e todos juntos.

Álbum: Kick (1987).

Nota: Se a banda australiana capta a tua atenção, vais curtir a performance ao vivo de Courtney Barnett baseada no registo que conta igualmente com as faixas Mistify e Need You Tonight. Podes ver aqui.

37. “Só te falta seres mulher” - B Fachada

Segue o título: Portugal, 46 anos depois do 25 de Abril de 1974. Nada contra o género masculino ser o dominante nos cargos de Presidente da República e de Primeiro-Ministro. Como se sabe, só Maria Lurdes Pintassilgo desempenhou as funções de PM durante sete meses. Quando é que vamos ver uma mulher a cumprir um mandato completo num destes lugares? Seria uma verdadeira lufada de ar fresco.

Álbum: B Fachada (2009).

Nota: Jacinda Ardem (Nova Zelândia), Tsai Ing-wen (Taiwan) e Mette Frederiksen (Dinamarca) são exemplos a seguir.

38. “Samba da maconha” - Gala Drop

Segue o título: Outra vez a fazer "essa"?

Álbum: II (2014).

Nota: Quem te avisa teu amigo é, por isso explora a discografia da formação portuguesa e deixa a fragrância tribal e psicadélica seduzir-te.

39. “Le Patron Est Devenu Fou” - Etienne de Crecy

Segue o título: Um jornalista espanhol deixou a mulher possessa (e, provavelmente, o patrão incrédulo). Enquanto Javier Negre comentava a sua experiência de isolamento em directo no youtube (ele que está num apartamento diferente do da esposa), de forma subtil vê-se uma mulher a passar ao fundo do ecrã. Não tendo ele filha…

Álbum: Super Discount (1996).

Nota: Vi num filme (ou teria sido numa série?) que só é traição se o outro souber. Desculpas…

40. “Mirrors” - Justin Timberlake

Segue a letra: “Yesterday is history, Tomorrow's a mystery”. Claríssimo.

Álbum: 20/20 Experience (2013).

Nota: Se a ginga de Timberlake e dos bailarinos do videoclip anterior forem insuficientes, podes recordar a cena em que a personagem de Jim Carrey extravasa na pista de dança em The Mask.

41. “Good vibrations” - The Beach Boys

Segue o título: Sublime o live no instagram de Bruno Nogueira em que este observa Vhils a esculpir o retrato de Zeca Afonso na parede.

Álbum: Smiley Smile (1967).

Nota: "A tua voz já não assenta nessa cara”. Trocado por miúdos (gozões), viste este encontro entre Nogueira e Manzarra? Demais.

42. “Ring of fire” - Johnny Cash

Segue a letra: “Love is a burning thing”. Como estamos de novas paixões? Romance na costa transformado em namoro através da webcam?

Álbum: Ring of Fire: The Best of Johnny Cash (1963).

Nota: Conheces a versão de Cash para I see a darkness, de Will Oldham? “Well, I hope that someday, buddy, we have peace in our lives”.

43. “This too shall pass” - Darrin Bradbuy

Segue o título: Sim, sim, sim, mesmo que não haja uma data concreta.

Álbum: Talking Dogs & Atom Bombs (2019).

Nota: Pegando numa parte do nome do LP, continua a ser exagerado fazer a analogia entre o vírus e qualquer guerra que seja. Mais: a discussão entre salvar vidas ou salvar a economia é capaz de roçar o ridículo. É que da morte ninguém recupera…

44. “La prima state” – Erlend Øye

Segue a letra:È il tempo per ballare, Oppure di andare, Alla zona balneare”. Os italianos podem finalmente arejar e sonhar com danças e ir a banhos.

Single editado em 2013.

Nota: Também França e Espanha dão os primeiros passos no “desconfinamento”.

45. “Com quem eu quero” - Miúda

Segue a letra: “Faço o que me apetece”. Agora, nem por isso. A liberdade anda condicionada…

EP: Miúda (2012).

Nota: Num país com muitos indivíduos com mentalidade “Neto de Moura” (eles ou elas), é uma honra ver esta letra na boca de um ser feminino.

46. “The safety dance” - Men Without Hats

Segue o título do texto: Obviamente.

Álbum: Rhythm of Youth (1982).

Nota: A lista segue abaixo com um “Extra Extra".

BÓNUS – Dois temas por cantoras e compositoras excepcionais.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.

Tagged:
Noisey
Playlist
quarentena
COVID-19