Influencers amam um lago de chorume químico na Sibéria

Um lindo lago poluído na cidade siberiana de Novosibirsk se tornou um destino popular para os usuários russos do Instagram.
MS
Traduzido por Marina Schnoor
Sérgio Felizardo
Traduzido por Sérgio Felizardo
12.7.19
Russian Instagrammers Are Flocking to a Toxic Blue Lake Nicknamed the ‘Novosibirsk Maldives’

Autoridades russas da cidade siberiana de Novosibirsk estão pedindo para as pessoas pararem de fazer sessões de foto perto de um lago de dejetos tóxicos de uma usina.

Um lago artificial, apelidado de “Maldivas de Novosibirsk” por sua água de cor azul, se tornou um fundo pitoresco para fotógrafos que parecem não se importar que a coloração venha de uma mistura tóxica de sais de cálcio e óxidos de metais.

Publicidade

Dezenas de milhares de pessoas já visitaram o local, segundo um blogueiro russo entrevistado pelo Siberian Times na terça-feira.

Posts no Instagram marcados na localização revelam fotos de recém-casados e bebês, além de mulheres de biquíni posando na costa suja. Em outra foto, um cara está flutuando no lago numa boia de unicórnio usando uma balaclava. “Minhas pernas ficaram vermelhas e coçando por dois dias”, ele escreveu.

Duas pessoas que se aventuraram nas águas em pranchas de remo comentaram que uma “análise química” recente mostrou que o lago “não é tão perigoso assim”.

Uma conta no Instagram chamada “Maldivas de Novosibirsk” já apareceu e está pedindo que as pessoas mandem suas fotos.

Mas as águas azuis não são um oásis. A proprietária do lago, a Siberian Generating Company, chamou o local de “depósito de cinzas” numa postagem na rede social russa VK.

“Por causa disso”, dizia o post, “pedimos encarecidamente que você não venha tirar selfies num depósito de cinzas!”

A empresa diz que o lago é altamente alcalino com um pH maior que 8 – aproximadamente o mesmo nível da água do mar. Eles também disseram que a água não é radioativa nem venenosa, mas que pode causar irritações de pele. A empresa atribui a cor azulada a uma mistura em particular de sais de cálcio e óxidos de metais – subprodutos das cinzas de queima de carvão de uma usina termoelétrica local – que se dissolvem num reservatório de 0,6 a 1,8 metro de profundidade depois de passar por vários canos. Eles disseram que outro lago de depósito recebe resíduos da queima de um tipo diferente de carvão e “geralmente tem uma cor normal”.

Publicidade

“Nadar no depósito de cinzas é PROIBIDO”, dizia o post da empresa no VK. “O fundo do lago é lamacento! Sair da água sozinho é praticamente impossível.”

Como um comentarista do VK escreveu, há placas ao redor do lago dizendo que a entrada é proibida. A usina até tem tentado fechar as estradas que levam ao local, apontou o Guardian, mas ainda não está claro se isso está realmente impedindo a entrada de visitantes.

Considerando lugares perigoso, uma certa lei da internet diz que as pessoas vão chegar lá, tirar fotos e postar nas redes sociais. Recentemente, usuários do Instagram foram criticados por tirar fotos em Chernobyl, na cidade ucraniana abandonada de Pripyat.

Pessoalmente, acho que ficar com o corpo todo coçando não vale a pena por um punhado de likes.

Dane Maximov contribuiu na tradução do russo para esta matéria.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tradução do inglês por Marina Schnoor.