Cientistas dizem que um químico encontrado no espinafre é basicamente um esteroide e deve ser proibido para atletas

Não culpe sua pílula de ereção pelas acusações de doping, culpe a salada!
spinach leaves lettuce

O corredor americano Dennis Mitchell perdeu uma medalha de bronze por 0,05 segundos na final dos 100 metros masculino nas Olimpíadas de 1988 em Seul, Coreia do Sul. Esse evento deveria ser conhecido como a “Maior Corrida da História”. Mas o vencedor Ben Johnson perdeu sua medalha de ouro quando não passou no teste de doping; o segundo lugar, Carl Lewis, tinha dado positivo para drogas de melhora de performance antes; então o evento acabou conhecido como a “Corrida Mais Suja da História”. Quando Mitchell não passou no teste de doping uma década depois, ele colocou a culpa em cinco cervejas e em ter feito sexo com a esposa quatro vezes na noite anterior. “Era o aniversário dela”, ele disse. “A moça merecia um presente.”

Publicidade

LaShawn Merritt, duas vezes medalhista de ouro nos 400 metros e no revesamento 4 x 400 metros, disse que seu teste deu positivo para drogas por causa do ExtendZe, uma pílula para ereção vendida em posto de gasolina. “A ideia dele ao tomar o produto era fazer sexo com uma mulher”, dizia a decisão da American Arbitration Association contra ele. “Ele admitiu que não leu a embalagem.” E quando quatro jogadoras do time de futebol da Coreia do Norte não passaram no teste de doping durante a Copa do Mundo Feminina de 2011, oficiais norte-coreanos disseram que as jogadoras tinham sido atingidas por um raio antes da partida, e foram tratadas com “glândula de almíscar de cervo”. Foi isso, segundo eles, que causou o positivo no teste.

Sim, é muita conversa fiada – menos a história do ExtenZe, talvez – mas se um atleta profissional não passar num teste de doping e disser que foi por ter comido vários quilos de espinafre, bom, aí pode ser até verdade. Cientistas da Freie Universität de Berlim recentemente recomendaram que a ecdisterona, um químico encontrado no espinafre, seja acrescentada à lista do Código Mundial Antidopagem (WADA em inglês) de substâncias banidas por seus efeitos similares aos de esteroides.

Segundo o DW, os pesquisadores conduziram um estudo de 10 semanas com 46 homens, que tomaram um placebo ou um suplemento diário contendo a mesma quantidade de ecdisterona de 4 quilos de espinafre. Os participantes seguiram o mesmo programa de treinamento de força, mas os homens que receberam as pílulas de ecdisterona desenvolveram mais massa muscular, e tiveram três vezes mais ganho de força que o grupo do placebo. “Ainda mais revelante com respeito a performance esportiva, foram observados aumentos significativamente mais pronunciados em desempenho de repetição de supino”, os autores escreveram no resumo. “Esses dados destacam a eficácia do suplemento de ecdisterona em se tratando de performance esportiva.”

Os pesquisadores disseram que, baseado em estudos anteriores envolvendo ecdisterona, eles já esperavam que o grupo do suplemento superasse a performance do grupo placebo, mas não tanto assim. “Nossa hipótese era que veríamos um aumento na performance, mas não esperávamos algo tão grande”, disse a coautora do estudo Maria Parr. “No nosso relatório, recomendamos que o WADA acrescente a substância na lista de doping. Achamos que se a substância melhora a performance, então seria uma vantagem injusta.”

E não é a primeira vez que Parr e sua equipe sugerem que a ecdisterona deve entrar na lista de substâncias proibidas do WADA. Em 2015, ela foi coautora de outro estudo chamado “Ecdisteronas: Uma nova classe de anabolizantes?”, que testou os efeitos da substância química em ratos, e os resultados mostraram que a ecdisterona podia induzir o mesmo tipo de hipertrofia (crescimento muscular) que alguns anabolizantes. “Para prevenção de doping, a alta potência anabólica da ecdisterona justifica sua classificação como anabolizante e portanto precisa ser listada na categoria 'Agente Anabólico S1' na lista de substâncias proibidas do Código Mundial Antidopagem”, eles escreveram.

Ainda não sabemos quando e se o WADA vai acrescentar a ecdisterona na lista de substâncias proibidas, mas vamos esperar pra ver futuros corredores, ciclistas e jogadores de futebol dando entrevistas coletivas e colocando a culpa no espinafre que comeram antes do teste de doping.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.