Noisey

O Toy Dolls volta ao Brasil pra gente pogar dando risada

Sobrevivente da última geração do clássico punk inglês, banda reconhecida pelo seu elevado senso de humor desembarca para três shows no Brasil.
6.8.18
Foto: Daniel Santín/Divulgação

Oito anos após sua última passagem pelo Brasil, o grupo inglês Toy Dolls retorna ao país para três shows, em Curitiba, Goiânia e São Paulo. Formado em 1979, data limiar entre o punk-rock britânico e o pós-punk, o trio segue afiado no tipo de humor fanfarrão bem representado pelo hit que lhes trouxe ao pop, “Nellie the Elephant”, lançado em 1984. Outra faixa deles que todo mundo conhece é “Dig That Groove Baby” (1983). Certeza que você já ouviu nas rádios rock.

Publicidade

A popularidade do grupo murchou um pouco a partir da era grunge, mas o Toy Dolls nunca deixou de tocar e gravar álbuns, mesmo diante das inúmeras trocas de formação. Assim, acabaram garantindo um fiel público no meio alternativo. O líder do Toy Dolls, Michael Algar, o Olga, dono da voz que é o principal motivo da singularidade da banda, falou à VICE.

VICE: Desde os anos 80, os punks brasileiros adoram Toy Dolls. Quais são as lembranças mais épicas que você mantém dos shows anteriores no Brasil?
Olga: O Brasil sempre foi um lugar de festa, parece que todo mundo está pronto para curtir desde o início do show, tenho sempre boas lembranças do Brasil.

Como é a história de como você teve a ideia de criar o estilo de moda Toy Dolls?
Bem, eu tive a ideia de fazer um logo com tijolos de construção, e algumas coisas escritas. O lance é que queríamos nos vestir de maneira diferente da maioria das outras bandas punks e suas jaquetas de couro.

Os fãs do Toy Dolls estão sempre discutindo se a banda é punk rock, pop punk, Oi!, ou simplesmente rock'n'roll. O que você acha disso?
Boa pergunta. Nossa maior influência é o PUNK, no entanto, nós apenas chamamos a nossa música TOY DOLLS MUSIC!

Os nomes dos mais recentes álbuns, Our Last Album e The Album After the Last, chamam a atenção para quanto a banda sobreviveu ao longo dos tempos e às inúmeras mudanças em sua formação. Por quanto tempo mais vocês se sentem motivados a continuar tocando rock?
Não tem sido fácil, às vezes. A maior motivação é o prazer, nós amamos os shows e o estúdio de gravação também. Eu não faria qualquer outra coisa, é a melhor vida.

Publicidade

O que vocês mais gostam das bandas de punk rock brasileiras?
Parece que as bandas brasileiras de punk e seus álbuns são realmente honestos em falar da realidade de suas vidas no Brasil, como o Cólera, isso é admirável.

Por que o senso de humor, enquanto forma de arte, é tão importante para vocês?
Eu acho que olhar para o lado positivo de situações sérias ou tristes pode ser saudável, precisamos de escapismo na vida. Por um curto tempo, de qualquer maneira, somos todos nós pessoas sérias, mas nas músicas olhamos a vida de um ângulo diferente.

Quem é da banca do Toy Dolls na cena punk inglesa?
Ah, não tenho certeza sobre isso, eu não acho que há bandas na família dos Toy Dolls, mas nós somos companheiros de muitas bandas aqui, The Exploited, UK Subs, Angelic Upstarts, etc., todos ótimos caras.

Olga, o seu vocal é um dos mais originais de todos os tempos. Você se lembra de como você inventou esse estilo?
Sim, nós tivemos um cantor que saiu, e havia um show logo no dia seguinte. O que fizemos foi tirar na moeda para ver quem iria cantar no show. Eu perdi, então disse: “Ok, vou cantar neste show, só DESSA VEZ, pois não posso ser vocalista, não sou um cantor. Então, precisei inventar uma voz falsa para conseguir enganar no show. E aqui estamos, 38 anos depois! Talvez encontremos um cantor adequado em algum momento.

Que fases da banda o público no Brasil pode esperar ouvir nos shows?
Ah, parece que teremos que cobrir a maioria das fases, entre 1979 – 2018.

Serviço

Curitiba
10 de agosto – sexta-feira, a partir das 21h
Hermes Bar
Rua Engenheiros Rebouças, 1645 – Rebouças
pixelticket.com.br

Goiânia
11 de agosto – sábado, a partir das 20h
Centro Cultural Martim Cererê
Rua 94-A, Setor Sul
meubilhete.com/toydollsgoiania

São Paulo
12 de agosto – domingo, a partir das 18h
Carioca Club
Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – Pinheiros
clubedoingresso.com/thetoydolls

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.