Entretenimento

Um guaxinim gorducho que faz o Instagram valer a pena

Conheça Tema, um capeta em forma de guaxinim.
O guaxinim Tema.
O guaxinim Tema. 

Num vídeo que viralizou um mês atrás, um guaxinim foi pego no flagra deitado de barriga pra cima, coberto do que parece ser pipoca, e se mostrou verdadeiramente envergonhado. Em russo, sua dona pergunta por que ele tem que ser tão desobediente.

Esse é o Tema, um guaxinim de dois anos que tem mais de 130 mil seguidores no Instagram, sem dúvida alguma por ostentar uma circunferência impressionante. Ele é enorme, graças a uma dieta de ração de cachorro premium, frutos do mar, vegetais, frutas e castanhas. Tema mora com um cachorro, dois humanos e um gato com quem ele divide a caixa de areia. Sua humana, que aparece no vídeo demonstrando toda sua decepção com a bagunça feita, é Lena Troskina, que ganhou o guaxinim bebê do marido, que era gerente de um zoológico na época. “Quando o vi pela primeira vez ele era muito pequenininho, e meu coração derreteu. Foi amor à primeira vista mesmo”, contou à VICE por e-mail.

Publicidade

Troskina expressa seu amor por Tema apesar da natureza destrutiva e bagunceira dele. Ela disse que se esforça para mantê-lo em casa e feliz. Quando bebê, Tema precisava ser alimentado com uma mamadeira de duas a três horas por dia, seguido de uma massagem na barriga para ajudar na digestão. Troskina diz que não pode assistir programas de TV ou filmes porque Tema tenta destruir seu notebook. Se ela tenta limpar a casa, Tema derrama água por todo lado. Quando ela come, Tema tenta roubar sua comida. “Apesar de tudo isso”, diz Troskina, “tento passar o maior tempo possível com ele”.

Quando Tema ficou mais velho e começou a engordar, Troskina diz que ela e o marido tiveram que reformar a casa toda para manter suas posses seguras. “Guaxinins são muito inteligentes. Eles sabem como abrir qualquer porta. Eles sabem alcançar armários, guarda-roupas e gavetas. Eles sabem abrir a geladeira e virar os botões do fogão. O Tema já destruiu o chão da cozinha, rasgou o papel de parede, as cortinas e quebrou canos no banheiro. Então, por enquanto, temos que manter todas as portas trancadas”, falou. Na verdade, o que parece ser pipoca no primeiro vídeo de Tema é enchimento rasgado do colchão. “Você tem que saber que sua casa não será mais sua”, acrescentou Troskina sobre o pesadelo ambulante que ela escolheu amar.

Como gambás, guaxinins não deveriam ser mantidos como bichos de estimação. “As pessoas os acham fofinhos quando pequenos, mas em oito meses eles se transformam em monstros destrutivos que podem morder. Então as pessoas fazem o que você já imagina… e os soltam na natureza”, diz a dra. Suzanne MacDonald, psicóloga comportamental que documenta a população de guaxinins na cidade de Toronto – que é chamada de “a capital mundial dos guaxinins”. Tema e alguns outros guaxinins famosos do Instagram parecem ser exceção, mas lugares na Alemanha e Coreia do Sul estão infestados de bestas de rabo listrado, onde eles se especializaram em coexistir com a humanidade, mas aterrorizam o resto do ecossistema e espalham doenças. Fora da América do Norte, eles são uma espécie invasiva.

Publicidade

Mesmo assim as pessoas ainda tentam domesticá-los. MacDonald diz que já foi entrevistada várias vezes sobre a moda dos café de guaxinins na Coreia do Sul. “E sempre digo para os sul-coreanos: 'Olha, essa é uma má ideia', e eu diria o mesmo para os russos.”

Diante de todas essas evidências, Troskina continua descaradamente devotada ao seu pet. Ela transformou essa devoção num negócio de camisetas, canecas e calendários, além de ter patrocinadores que vão de biscoitos e brinquedos de cachorro até outros bichos aspirantes a celebridade. Cerca de 40 a 80 mil pessoas assistem os vídeos dela regularmente.

“No começo, foi difícil pra mim aceitar o comportamento do Tema”, menciona. “Eu chorava porque não tinha nada que eu pudesse fazer, especialmente quando chegava em casa e via as cortinas rasgadas ou os canos do banheiro quebrados. Mas agora nosso apartamento é adaptado para o guaxinim. Temos cortinas mais curtas e todas as portas são trancadas. Agora estou bem com tudo que o Tema faz. Eu o amo muito e não consigo imaginar minha vida sem ele.”

Siga o Beckett Mufson no Twitter e Instagram.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.