Quantcast
noticias

Donald Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, estiveram cara-a-cara

O presidente norte-americano e o líder supremo da Coreia do Norte apertaram as mãos em Singapura, poucos minutos depois das 9 da manhã de terça-feira, hora local, madrugada em Portugal.

Greg Walters

Imagem: AP

Este artigo foi originalmente publicado na nossa plataforma VICE News.

Donald Trump acaba de se tornar o primeiro presidente dos Estados Unidos da América - e a segunda estrela de "The Celebrity Apprentice" - a apertar a mão a Kim Jong-Un.

Trump esteve cara-a-cara com o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, em Singapura, poucos minutos depois das 9 da manhã de terça-feira, 12 de Junho, hora local (madrugada em Portugal), marcando assim o arranque de uma movimentação geopolítica sem precedentes, par atentar convencer o "Reino Eremita" a desistir do seu armamento nuclear.

Os dois líderes deram início à cimeira com um encontro privado, onde apenas estiveram presentes os seus tradutores e que durou quase uma hora. O evento teve lugar no Capella Hotel, na ilha de Sentosa, um antigo porto de abrigo de piratas, transformado agora num resort de luxo rodeado de campos de golfe. Trump e Kim encontraram-se num tapete vermelho à entrada do hotel, onde posaram em frente a uma fila de bandeiras dos EUA e da Coreia do Norte, antes de entrarem no edifício para uma série de curtas declarações aos jornalistas presentes.

Ambos expressaram optimismo em relação ao encontro. "Sinto-me muito bem. Vamos ter uma excelente conversa e, penso eu, um tremendo sucesso", salientou Trump. E acrescentou: "É uma honra. Vamos ter uma excelente relação, não tenho dúvidas". Já Kim, através do seu tradutor, expressou: "Os antigos preconceitos e práticas foram obstáculos para que pudéssemos avançar, mas conseguimos superar tudo isso e hoje estamos aqui".

E, ao mesmo tempo que gesticulava para as máquinas fotográficas que disparavam consecutivamente, Donald Trump dirigiu-se a Kim com uma espécie de piada: "Eles nunca param".

A maior parte da hora em que os líderes estiveram juntos foi passada à porta fechada. Depois, Trump e Kim apareceram na varanda do Hotel e acenaram aos jornalistas, tendo o presidente norte-americano garantido que os dois têm "uma excelente relação" e que, até ao momento, a cimeira estava a correr "muito, muito bem".

O encontro foi o culminar de semanas que envolveram um trabalho diplomático ao mais alto nível. Mesmo nas horas que antecederam o arranque da cimeira, os emissários de ambos os países mantiveram conversações intensas, de forma a que pudesse ser produzida uma declaração conjunta que todos conseguissem aceitar. No entanto, há coisas para as quais ninguém está preparado. A poucos minutos de se encontrar com Kim, Trump revelou no Twitter que o conselheiro da Casa Branca para assuntos económicos, Larry Kudlow, tinha sofrido um enfarte e estava hospitalizado em Washington.

E é preciso não esquecer que há uma autêntica "wild card" na cimeira. A lenda do basquetebol, Dennis Rodman, está em Singapura, embora ainda não seja claro se irá participar em alguma das conversações. Rodman continua a ser uma das poucas pessoas à face da Terra a ter privado tanto com Trump, como com Kim, tendo visitado a Coreia do Norte por cinco ocasiões e aparecido duas vezes no reality show de Trump na NBC, "Celebrity Apprentice”.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.