Vê Ryley Walker a tocar uma música inédita no gnration
Ryley Walker. Foto por Ana Cláudia Silva
exclusivo

Vê Ryley Walker a tocar uma música inédita no gnration

Chama-se "Head Through the Glass" e foi captada durante o soundcheck do músico norte-americano para o recente concerto que deu em Braga. Um portento.
23.4.17

Ryley Walker tem a América toda nos acordes da guitarra. Pode até ser um cliché gigante - seguramente que sim -, mas haverá poucas outras formas de descrever uma música tão árida, como reconfortante, tão livre, como magnificamente burilada.

Talvez se deva aos seus anos formativos, numa Chicago então dominada pelos tentáculos de uma espécie alienígena de jazz experimental, que não poucas vezes se embrenhava furiosamente pelo formato canção adentro. Eram os anos 90 e, para o Mundo (ou para um certo Mundo melhor), a capital do Illinois eram os Tortoise ("before they went electronic"), Gastr del Sol, Jim O'Rourke, Chicago Underground Duo, David Grubbs, Sam Prekop, Chad Taylor, Rob Mazurek, John McEntire, The Sea and Cake, a Thrill Jockey… avant-garde jazz, post-rock, math-rock, "indie rock with a jazz influence"… o que seja. Estavam todos ligados e fizeram mossa. Ainda fazem.

Publicidade

Ryley é tudo isso e mais uma carrada de coisas. Coisas americanas. Folk impregnada de tonalidades mais ou menos psicadélicas, mais ou menos blues. Pouco importa. A música de Golden Sings That Have Been Sung (2016), disco maior de uma carreira que leva já quatro álbuns e três EPs editados em nome próprio, é suficientemente esclarecedora.

"A América que nos formou também a nós, europeus viciados em cultura popular, agarrados a uma perspectiva cinematográfica e sonora de um país que amaremos sempre mais do que muitas vezes nos apetece admitir".

As palavras que se ouvem a Walker neste vídeo, também não o são menos. O "romantismo dos comboios europeus" inspiram-no, mas não desdenha uma boa viagem por uma qualquer auto-estrada, com paragem obrigatória em bombas de gasolina. "Adoro comida de bombas de gasolina", diz. Está a falar da América. Da sua América. Aquela que percorreu de lés a lés a tocar. A América que nos formou também a nós, europeus viciados em cultura popular, agarrados a uma perspectiva cinematográfica e sonora de um país que amaremos sempre mais do que muitas vezes nos apetece admitir.

"Head Through the Glass" é o melhor Ryley Walker. Aquele que chega, ajeita s instrumentos em palco, pega na guitarra e experimenta tocar uma música nova. Só para quem ali está a ligar cabos e a acertar volumes. Uma conversa íntima com uma sala vazia.

Abaixo podes ver este vídeo em estreia exclusiva na VICE Portugal, através do gnration. A produção é da Neva Films, câmera por João de Sá, o som ficou a cargo de João Coutada e a produção de Ilídio Marques. Agradecimentos especiais à RUM - Rádio Universitária do Minho, Secretly Canadian, Dead Oceans e Wichita Management. Podes ver mais fotos da Ana Cláudia Silva aqui