Tudo o que sabemos sobre a explosão no metrô de São Petersburgo
Noticias

Tudo o que sabemos sobre a explosão no metrô de São Petersburgo

Pelo menos 11 pessoas morreram e 45 ficaram feridas. Autoridades investigam as motivações da explosão.
3.4.17

Foto acima via REUTERS/Anton Vaganov.

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE News .

Pelo menos 11 pessoas morreram e 45 ficaram feridas quando uma bomba explodiu na tarde desta segunda-feira (3) no metrô de São Petersburgo, segundo o ministério da saúde da Rússia. Autoridades estão investigando a explosão como um ataque terrorista, e mandados de busca foram emitidos para dois suspeitos segundo a Interfax.

Publicidade

O ataque aconteceu entre duas das estações do metrô mais movimentadas da segunda maior cidade da Rússia, com imagens e vídeos postados nas redes sociais mostrando um vagão com as portas arrancadas. O Comitê Antiterrorismo russo disse que um segundo dispositivo foi encontrado numa estação próxima, mas as autoridades conseguiram desarmá-lo, segundo informações da Associated Press.

O presidente russo Vladimir Putin foi cuidadoso para não rotular o ataque como um incidente terrorista mais cedo, mas o primeiro-ministro Dmitry Medvedev disse que "todos os feridos no ataque terrorista no metrô de São Petersburgo vão receber o tratamento médico necessário", no Facebook.

Putin, que estava na cidade no momento da explosão, falou brevemente após o incidente, oferecendo "condolências às famílias das vítimas e feridos".

A explosão em São Petersburgo veio meses depois que as autoridades russas prenderam cinco suspeitos de ligação com o Estado Islâmico, por planos de atacar Moscou e a região russa do Cáucaso.

A rede russa Interfax relatou que filmagens de uma câmera de segurança do metrô podem ter capturado os suspeitos envolvidos na explosão desta segunda. Nenhum grupo ou organização assumiu o atentado até agora.

O que sabemos:

  • O Comitê Antiterrorismo Nacional disse que a explosão, que aconteceu às 14h45 do horário local, foi causada por um dispositivo explosivo não identificado em um dos vagões que viajava entre as estações Sennaya Ploschad e Tekhnologichesky Institut. As autoridades evacuaram e fecharam o metrô.
  •  "Até agora, dizemos que foi um dispositivo explosivo não identificado, enquanto investigadores e especialistas em bombas do Serviço de Segurança Nacional estabelecem a causa exata dessa explosão", Andrei Przhezdomsky disse ao canal estatal Russia 24.

Publicidade

  • Um segundo explosivo foi desarmado na estação Ploshchad Vosstaniya no centro de São Petersburgo, a apenas 3 km da estação Tekhnologichesky Institut. O Comitê Antiterrorismo Nacional disse que um "dispositivo explosivo improvisado foi descoberto e desarmado a tempo".
  • O foco agora é em identificar quem estava por trás do ataque. Em novembro de 2015, o ISIS pediu ataques a Rússia, dizendo: "A Europa está tremendo, a Rússia está morrendo. O Kremlin será nosso". Em novembro passado, a inteligência russa prendeu cinco membros do ISIS suspeitos de planejar um ataque a Moscou.
  • A Rússia apoia o presidente sírio Bashar al-Assad em sua luta contra o ISIS com ataques aéreos contra posições do grupo no país. O ISIS também assumiu responsabilidade pelo ataque ao voo 9268 da Metrojet sobre a Península do Sinai, Egito, viajando de Sharm el-Sheikh para São Petersburgo, matando todas as 224 pessoas a bordo.
  • Serviços russos de segurança federal estimam que cerca de 2.500 russos se juntaram às fileiras do grupo desde 2015. Como resultado, combatentes russos, chechenos e daguestaneses estão entre militantes de alto escalão do ISIS.

Esta matéria será atualizada quando tivermos mais informações.

Tradução do inglês por Marina Schnoor.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.