​Um servidor ilegal de WoW quer fechar outro servidor ilegal de WoW
Crédito: Blizzard

​Um servidor ilegal de WoW quer fechar outro servidor ilegal de WoW

A guerra dos clones, capítulo um.
18.1.17

No ano passado, um grupo de jogadores de World of Warcraft conquistou nossos corações com uma nobre missão: tornar jogável a versão de quando o MMO mais popular da história foi lançado, em 2004. O game evoluiu tanto nesses anos que territórios inteiros muito queridos pelos usuários foram substituídos. O servidor, chamado de Nostalrius, tinha o objetivo de permitir a visitação a esses mundos novamente graças a um servidor que rodava o código antigo do jogo.

Ficamos muito chateados quando, em abril, a Blizzard mandou uma notificação extrajudicial exigindo que o Nostalrius abandonasse o projeto. Mas, após uma série de acontecimentos sórdidos e complicados, parece que a responsável por dar fim a esse nobre esforço será a própria comunidade de jogadores dedicados, e não uma empresa sem rosto. Ironicamente, o que estragou toda a situação é que o Nostalrius, após liberar seu código-fonte, está exigindo que um outro servidor que o usou, chamado Elysium, encerre suas operações.

É isso mesmo. Um servidor ilegal está exigindo o fechamento de outro servidor ilegal. Como você pode imaginar, os jogadores ficaram loucos da vida, todo mundo está odiando todo mundo e toda a missão parece estar fadada ao fracasso.

Mas vamos recapitular a história um pouquinho.

O Nostalrius começou a funcionar num servidor privado francês em fevereiro de 2015. Numa época em que muitos jogadores sentiam que a Blizzard tinha se afastado das ideias que originalmente faziam de World of Warcraft um grande jogo, o servidor permitia que jogadores tivessem a mesma experiência de jogo que existia em 2004 e 2005. Qualquer projeto como esse vai contra os termos de uso da Blizzard, mas para todos os efeitos a equipe do Nostalrius tocava o servidor com um profissionalismo admirável e até seguia o calendário original de atualizações da companhia.

Quando a Blizzard Entertainment forçou o encerramento das atividades do Nostalrius no início do ano passado, foi difícil escapar das calorosas e sinceras demonstrações de afeto e apoio da comunidade quando o fechamento se aproximava. Foi um dos acontecimentos mais notáveis do mundo dos games em 2016. Como muitos outros, eu, um veterano de World of Warcraft que passou tempo demais com o jogo há uma década, li e vi com um pouquinho de arrependimento e nostalgia as histórias de procissões fúnebres solitárias e velórios no último dia. Sem dúvida há argumentos para que servidores mantenham no ar versões antigas de MMOs em constante evolução, como o Nostalrius fazia, mas provavelmente teria sido melhor se os caras deixassem sua história acabar por aí e tivesse como legado a força desses impressionantes últimos momentos.

Crédito: Blizzard

A equipe reuniu 278 mil assinaturas com uma petição online no Change.org pedindo que o CEO da Blizzard, Mike Morhaime, levasse em consideração a possibilidade de criar servidores oficiais com versões antigas do jogo. Eles fizeram tanto barulho que a Blizzard convidou o time francês para uma reunião em sua sede na Califórnia. Mas quando a empresa pareceu não estar aberta a permitir que os servidores nostálgicos operassem de fato, a equipe do Nostalrius anunciou, de maneira desafiadora, que estava liberando seu código-fonte para permitir que outros levassem adiante sua missão e fizessem seus próprios servidores. No início eles disseram que o código-fonte estaria aberto para todo o público, mas em seguida o transmitiram, junto com o banco de dados de personagens, a uma equipe ucraniana que o usou para criar o Elysium, no ar desde o mês passado. Ele é essencialmente um clone do Nostalrius, incluindo até os mesmos personagens (desde que os jogadores se deem ao trabalho de transferi-los).

Num novo post em seu fórum, no entanto, a equipe do Nostalrius agora diz que quer que o Elysium abandone o código e efetivamente encerre suas operações, pois "sentimos que o objetivo principal foi esquecido". Eles também querem que os jogadores levem adiante esse "tremendo sacrifício". Na visão da equipe do Nostalrius, o Elysium agora tem a reputação de ser um servidor pirata, e não um servidor "de fãs". Isso vai de encontro à ideia de que o projeto Nostalrius sempre tinha como objetivo principal a ideia de "conseguir que a Blizzard lançasse servidores nostálgicos oficiais", mantidos pelos próprios desenvolvedores, e "ajudar, como for possível, a unificar a comunidade de World of Warcraft". Entregar o código-fonte e o banco de dados de personagens ao Elysium, segundo eles, tornou essas duas metas "mais difíceis de atingir".

"Até que esse estigma acabe, é improvável que tenhamos qualquer tipo de avanço em direção a um conteúdo nostálgico oficial", afirma o post.

Meu monge pandaren contempla um WoW sem pandas. Crédito: Blizzard/Leif Johnson (captura de tela)

O Elysium inicialmente planejava atender totalmente ao pedido do Nostalrius mais ou menos como foi visto no rascunho de uma resposta que foi acidentalmente postada e depois deletada (mas compartilhada num arquivo no Pastebin). Reconhecendo que a equipe estava "em conflito por sentimentos de decepção e traição", escreveram eles, "personagens do Nostalrius seriam removidos no domingo durante uma manutenção."

Mas a resposta oficial do Elysium é um pouco diferente. É mais desafiadora, e afirma que "todos os personagens que existem no game desde o lançamento do Elysium serão mantidos, e todos os dados específicos do Nostalrius serão apagados." Com base nessa declaração, eles não planejam mais remover personagens que já foram importados do Nostalrius – apenas dados específicos do código-fonte que herdaram do Nostalrius. Esse processo levará várias semanas, segundo eles, e eventualmente todos os arquivos do jogo serão transferidos para uma nova versão, que eles dizem ser "igual ou superior" à que herdaram do Nostalrius. Se tudo correr bem, jogadores do Elysium quase não vão notar qualquer diferença.

"O Nostalrius nos passou a tocha, e não temos nenhuma intenção de apagá-la", diz o post. "O ambiente dentro do jogo é maravilhoso, e é um dos pontos-chave com os quais nos importamos tanto. Divertido, educado, social, e completamente diferente das redes sociais em nossa opinião."

E como a comunidade de jogadores reagiu ao Nostalrius? Olha, naturalmente, os posts no fórum do Nostalrius demonstram aquele tipo de polidez, decência, equilíbrio e respeito que os jogadores nos ensinaram a aceitar e amar nos últimos anos. Veja este maravilhoso exemplo:

Esse é só o começo. Outros posts falam sobre como "esses cornos franceses" deveriam ser "executados", acompanhados por uma imagem editada no Photoshop em que um paladino de World of Warcraft urina em seus túmulos. Um tema comum nos posts seguintes é a ideia de que a Blizzard de alguma maneira está por trás da decisão do time do Nostalrius.

"Então, quanto a Blizzard pagou para vocês fazerem isso? Espero que vocês tenham recebido uma boa grana para trair sua comunidade", disse um comentarista chamado Uncle Py. Ou aqui está outro:

Há, é preciso dizer, algumas conclusões ambíguas no pronunciamento do Nostalrius. A equipe do Nostalrius afirma que a comunidade parece estar do lado deles, já que aparentemente apenas 10% dos jogadores transferiram seus personagens para o Elysium. Mas alguns jogadores do Elysium afirmam que a explicação mais provável para isso é que o programa usado para transferir os personagens parou de funcionar apenas uma semana depois do lançamento. Outros afirmam que os e-mails foram parar na pasta de lixo eletrônico. Em dezembro, a equipe do Elysium colocou a culpa inteira no Nostalrius, dizendo que o problema "está totalmente fora de nosso controle", já que eles não têm "nenhum acesso aos servidores do Nostalrius, e não podem forçá-los a corrigir o problema."

Julgando pelos fóruns oficiais de World of Warcraft, os jogadores da versão comercial do game estão achando tudo isso engraçadíssimo. Havia muito apoio claro aos objetivos do Nostalrius e à ideia de servidores nostálgicos em geral na época sombria de Warlords of Draenor, uma expansão fraca e mal-cuidada de World of Warcraft, mas as opiniões parecem ter mudado desde o lançamento da nova expansão Legion, aclamada pela crítica. Por enquanto, pelo menos, a Blizzard parece ter conseguido recuperar parte do encanto de World of Warcraft, e a ideia de servidores nostálgicos não tem mais o apelo que tinha antes.

"Iniciada, a Guerra dos Clones está", escreveu um caçador elfo noturno chamado Gillian, num post cheio de votos positivos. E também temos Deathchix, um cavaleiro da morte elfo sangrento, que disse: "então um servidor ilegal está tentando fechar outro servidor ilegal?A ironia é uma delícia." E também temos o paladino Armineus, que diz que "a nostalgia é inimiga do progresso."

Mas quase todos concordam que o incidente provavelmente significa o fim de qualquer esperança de criação de um servidor "oficial" de World of Warcraft que recrie o jogo da maneira como ele era em 2004 ou pouco depois disso, não importa o quão nobres as intenções do Nostalrius, vistas de longe, pareçam ser. O dano já foi causado. Como disse o orc xamã Vlarock, "o minuto em que o Nostalrius decidiu ir adiante e liberar o código-fonte, 'autorizando' outros servidores privados a usá-lo (depois de seu encerramento pela Blizzard), foi o momento em que eles perderam toda a credibilidade."

Não é uma notificação extra-judicial, mas sim um "é melhor deixar quieto".