Sexo

Os 19 tipos de like do Instagram

Perceber do que gostamos e porquê.

Por Joel Golby; Traduzido por Madalena Maltez
26 Março 2019, 10:26am

Ilustração, se é que assim podes chamar a isto, pelo autor.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE UK.

Clicas no mesmo botão quando estás com tesão e quando estás triste. O Instagram é assim. Este é o cerne da verdade do chamado “like”. Clicas no coraçãozinho e toda a gama de emoções humanas – a que quer pinar; a que simpatiza profundamente; até a tua mãe, num iPad com a fonte no tamanho máximo, passa metodicamente por cada publicação que fizeste nos últimos cinco anos – se expressa pelo mesmo movimento: clique.

Uma ferramenta bruta para uma variedade pura e infinita de sentimentos humanos. Se pensares, o “like” do Instagram das 18h00 é diferente do das 20h00, que é diferente do da uma da manhã. O like que não dás significa tanto como o like que dás. Cada toque no coração, cada dedo que paira sobre o ecrã, contém multitudes de sentimentos.


Vê: "Alexandra Marzella não pede desculpas a ninguém pelos seus auto-retratos sem roupa"


Portanto, depende de nós – documentaristas antropológicos que somos, tu e eu – tentar adivinhar o que tudo isso significa. O emoji de fogo da resposta automática de um story significa alguma coisa? Não. Na maioria das vezes, é um acidente. Um novo seguidor gostar de oito fotos tuas seguidas significa alguma coisa? Sim. E aquela pessoa que te deu um like perdido numa fotografia de há 14 meses ou te voltou a seguir? Certamente. Tudo significa alguma coisa.

Assim numa de generalizar, aqui vai um enquadramento meio manhoso para tentarmos trabalhar daqui em diante.

instagram hearts line

1. O “LIKE TESÃO”

Quando gostamos de alguma coisa, porque estamos com tesão.

Acho que é importante reconhecer que o sangue que mais pulsa nas veias rígidas do Instagram é o Like Tesão. É o Like Tesão que sustenta tudo. Como a principal plataforma de flirt (e de manutenção de relacionamentos), o Instagram flutua num mar pegajoso de tesão. Clicas no botão de Like Tesão, vais para as DMs, as DMs vêm até ti, o ciclo continua. Mesmo gostar de fotografias de coisas que queremos – camisolas, tacos, serum Glossier – encaixa-se num poço inquieto de tesão. Quando gostamos de alguma coisa, estamos com tesão por aquilo. O Instagram é uma aplicação onde vês coisas e gostas delas. Por isso, é lógico que o Like Tesão é um importante pilar do site.

Dito isto, o básico do Like Tesão é só um degrau da Escada de Tesão do Instagram. O Like Tesão, na verdade nua e crua, é só uma pequena declaração de tesão passageira. O Like Tesão é como o sol que se começa a pôr, quando o céu passa de azul para preto. Tesão persistente, tesão de legado. Os Likes Tesão estão amarrados à rotação da Terra, às marés, aos nossos ritmos circadianos, tesão matinal, respiração pesada no final da noite. Eles aumentam exponencialmente quando estamos bêbados. São a expressão mais verdadeira de nós mesmos.

2. O “NÃO-LIKE TESÃO”

Quando deliberadamente não gostamos de uma foto que gostamos no caso de parecer que estamos com tesão.

E assim começa o ballet. O Like Tesão diz: “Olá. Estou com tesão”. O Like Tesão muitas vezes seguidas diz: “Estou com demasiada tesão e preciso de intervenção médica”. Até que o utilizador cheio de tesão do Instagram precisa de aprender a distribuir os seus Likes Tesão, mas também a poupá-los, para não levantar suspeitas ao seu objecto de desejo e/ou à polícia. Uma dança delicada.

Um comportamento amador com o Não-Like Tesão: não pôr like numa foto, mas voltar lá dois ou três dias depois e dar um like casual tipo "tanto faz”. Não faças isso. Um Não-Like Tesão deve permanecer um Não-Like Tesão. Um Não-Like Tesão permite-te passar pelo Instagram como um espião de fato impecável e escuta na orelha. Permite que a tua tesão passe sem ser detectada e analisada. É uma ferramenta vital para te manter fora da cadeia.

instagram like
Foto: Emily Bowler

3. O “LIKE DE MELHOR AMIGO”

Em que gostas da foto do teu amigo, porque ele é teu melhor amigo.

Gosto de todas as fotografias dos meus melhores amigos, sem sequer pensar. Fico feliz ao vê-los a fazerem as coisas que os fazem felizes. Se gostaste assim tanto disso para pôr na Internet, então vou dar um like, porque gosto de ti. Fico feliz em te ver feliz. Amo-te com todas as fibras da minha alma.

instagram likes line

4. O “LIKE DE AMIGO”

Um like menos claro mas importante, quando gostas porque és amigo da pessoa que fez o post.

Percebi há cerca de seis meses que os likes não significam porra nenhuma e não há motivo nenhum para não andares por aí a dar likes. Porque é que demorei tanto tempo para perceber isso? Porque sou idiota. Tu sabes que os likes não importam? Sabias que não há uma base de dados central de likes, que vai acabar manchada se deres muitos likes em memes?

Tu sabes, honestamente, quão difícil é ver uma lista de todas as fotos que já gostaste? Por quantos menus vais ter que passar? Achas realmente que importa assim tanto a tua curadoria no Instagram e quanto disso aparece no feed de actividade das outras pessoas? Porque não importa! Gosta das fotografias da tatuagem nova do teu amigo! Põe gosto na fotografia do pequeno-almoço dele! Dá um impulso de dopamina a alguém na forma de um like quando ela publica as fotos das férias! Mete like num cão! Curte uma foto de família! Like na fotografia do pai de alguém com ele ao colo em criança! Curte a fotografia da nova sala dele! Like em tudo! Somos amigoooooos!

5. MAS QUANDO É UMA AMIGA DE BIQUÍNI A COISA FICA MEIO ESTRANHA

Quando decides, com dificuldade, que não vais dar um Like de Amigo, porque pode ser interpretado como um Like de Tesão.

É, menos isso. A menos que tenhas a certeza absoluta que vocês têm o tipo de amizade que pode aguentar o teu coraçãozinho vermelho em baixo de uma fotografia da pessoa em fato-de-banho, é melhor não arriscar. A legenda “Primeiro mergulho” nunca significa só "Primeiro mergulho”; quer dizer “aqui vai uma fotografia de fato-de-banho desenvolvida em laboratório e pré-aprovada por um grupo de 10 pessoas no WhatsApp para fazer aquela pessoa com quem estou a trocar DMs carregar no like”. Não entres na zona cinzenta estranha em que acidentalmente dás like na foto "olhem para mim" de alguém, porque habilitas-te a ser desconvidado para o seu aniversário no fim-de-semana. Sê esperto.

6. O “LIKE DE APOIO”

Quando elogias a pessoa por fazer o seu melhor.

E se alguém está doente e publica uma selfie doente a dizer que não está bem? Esse é um like de apoio. Ou: a roupa do primeiro dia num trabalho novo? Like de apoio. Um pão assado que não parece ter ficado muito bom, mas dá para ver que a pessoa realmente se esforçou para assar o pão? Senta o dedo no like de apoio. “Vejo que estás a tentar, mesmo que sem muito sucesso”, dizes com o teu like. “Toma este humilde like, pá”.

drunk instagram like
Foto: Emily Bowler

7. O “LIKE BÊBADO”

Quando tens menos discernimento, porque já bebeste seis cervejas e estás com dificuldade para te levantares da retrete.

Faço as minhas melhores séries de likes no autocarro para casa às duas da manhã, porque toda a gente ganha like: festas onde não fui, pessoas que não conheço, gente a cantar no karaoke, gatos, cães, répteis, infinitas fotos do que as pessoas comeram, flashbacks de casamentos (eu às 13h00, sóbrio, penso: “Sim, que bom, casaste-te. Ultrapassa!”. Eu, 12 horas depois, a beber uma cerveja na paragem de autocarro: “O amor é lindo! Simples... O amor é lindo!”), fotos de praias distantes com a legenda “queria voltar”. Toda a gente ganha like.

8. O “LIKE DE CELEBRIDADE”

Aquele em que pensas porque é que te estás a rebaixar ao seres o 432.757º like do dia da Kim Kardashian.

Muitas vezes penso, enquanto carrego no botão de like na última publicação da Charli XCX, tipo: porque é que estou a fazer isto? A Charli XCX não vai reparar em mim, mas faço na mesma, apesar de ser um exercício inútil. “Joel”, diz, com aquela sua sua voz, num cenário imaginário em que ela delicadamente passa para o meu “Outro” inbox. “Vi que gostas de duas em cada três coisas que eu publico no Instagram, o que é muito bom. É o número perfeito de likes para me fazer reparar que não estás activamente a tentar engatar-me. Eu digo sempre 'aê'.” Apaixonamo-nos instantaneamente (ela obriga-me a usar um crop top transparente, sei lá porquê, mas nesse ponto, que se foda) e mudo-me para a casa que ela comprou em LA, com piscina com vista para a cidade e closets a abarrotar.

“Obrigado, Instagram”, sussurro enquanto admiro o pôr-do-sol. “Muito obrigado”. Mas não, isso nunca acontece e, em vez disso, dás por ti à porta do post de uma celebridade no Instagram, milhares de comentários e milhões de likes e pensas “Sou uma formiga. Sou uma formiga insignificante. Ela nem sabe que estou vivo”. E então, com aquele sentimento pesado de auto-desprezo, clicas no like, não é? É uma aplicação complexa este Instagram. Acaba sempre por aparecer algum sentimento esquisito.

instagram likes line

9. O “LIKE POR DEVER”

Em que gostas do post do teu namorado ou namorada no Instagram, porque é teu namorado ou namorada.

Reparei que assim que os dois descomprimiram de toda a atenção dos media depois de Love Island, Jack Fincham, da última temporada, basicamente comentou a mesma coisa em todos os posts da sua nova namorada, Dani Dyer, no Instagram: simplesmente a palavra “Linda”. Dani de biquini: linda. Dani a anunciar a sua linha com a Boohoo: linda. Dani a apresentar o Prémio de Melhores Óculos de Sol do Ano: linda, linda, emoji de óculos, discussão com o Eyal nos comentários.

Mas, na vida real, sentes-te menos inclinado a fazer isso. Se vês uma pessoa nua mais de duas vezes por semana, tens que gostar de todos os posts no Instagram que ela faz: desculpa, mas é a lei. Quanto mais rápido depois da pessoa publicar, melhor. Sem o coraçãozinho, vais ouvir um (“Tudo bem? Porque é que não puseste gosto na minha foto no Insta?”). Sem o coraçãozinho, vais ter problemas no paraíso. Carregas no coração. Vocês namoram há dois anos e o sexo começou a minguar, mas ainda saem para o brunch todos os sábados e os pais dela convidaram-te para a festa de Natal, por isso estás preso aqui, amigo: clica no coração. Foto de um quarto recém-organizado, foto do crachá da empresa em que ela trabalha que é muito mais fixe do que a tua, fotografia desfocada de um cão a correr: não importa. Tu gostas como um dever, porque é assim mesmo que tem de ser, é o teu trabalho.

10. O “LIKE DE BEBÉ”

Em que reconheces que alguns dos teus amigos estão felizes numa dimensão diferente da tua.

Se tiveste um filho, eu tenho que te dar um like, coisa que não curto. Fico feliz que estejas feliz com o teu bebé, claro, mas ele parece uma massa crua de pizza enrolada numa toalha. Percebo que a parte primitiva do teu cérebro de réptil esteja agora profundamente apaixonada por essa coisinha. Vi a tua ecografia, vi a progressão da tua barriga, vi o chá de bebé para o qual não fui convidado, vi que ficaste discretamente offline por três semanas antes do parto. Estou a dar like há meses. Agora vejo o teu bebé. Toma a porra do teu like, OK. Espero que tu e a tua família sejam muito felizes para o resto da vida! Vou dar like em cada foto que publicares do progresso do teu rebento até ao final dos tempos, caralho!

1553091239407-smoke-like
Foto: Emily Bowler

11. O “LIKE DE OUTFIT”

Quando gostas do visual de alguém mais do que da pessoa como um todo.

Eu diria que fico contente com a roupa que escolho talvez uma manhã em cada 40, por isso podes ter certeza que vais ver uma fotografia minha no Instagram se consegui vestir umas calças, camisa e casaco de maneira coerente. E isso vale o triplo se te sigo no Instagram: blusão novo de Inverno? Toma like e um comentário a perguntar onde é que compraste. Conjunto de camisola nova numa plataforma do metro? Ganhas um like. Quando alguém posta uma selfie, a pessoa não está a dizer “Olhem aqui, as roupas que comprei com o meu dinheiro, são boas”. Não, está a dizer: “Estou a amar-me hoje. Hoje estou do caraças”. E ganha um likezinho pelo esforço.

12. O “LIKE 'GOSTEI DA LEGENDA'”

Em que gostas da legenda, mesmo que não tenhas gostado muito da fotografia.

Se a legenda me faz rir, ganhas um like ainda antes de eu processar a fotografia. Acho que leio mais rápido do que vejo. Isto já funcionou contra mim – uma vez pus like pela legenda engraçada de alguém e, afinal, a foto era uma selfie em lágrimas e tive de mandar uma DM para a pessoa a explicar: “Desculpa, aquele like provavelmente foi inapropriado, mas se eu tirar agora vais chorar ainda mais”. Mas, no geral, a legenda engraçada rende-te mais likes do que, tipo, sair bem na fotografia.

instagram likes line

13. O “LIKE 'JÁ FIZEMOS SEXO, MAS JÁ NÃO FAZEMOS, POR ISSO FAÇO UMA CURADORIA CUIDADOSA DE LIKES, UM EM CADA TRÊS FOTOS, PARA SABERES QUE SOMOS AMIGOS E QUE NÃO ESTOU COM TESÃO'”

O que é como atravessar um campo minado.

Acho que esta não precisa de explicação, mas ainda começas a suar quando carregas no like.

14. O “LIKE RECÍPROCO”

A troca de elogios.

Ao ler isto agora, parece que eu “martelo o L” (uma maneira muito engraçada que inventei para dizer “dar like”) em cada post que vejo no Instagram, o que não é verdade. Dito isto: há sempre umas oito a 12 pessoas na tua pasta de notificações que põem like em literalmente tudo o que fazes, certo? A pessoa mandou um DM a dizer qualquer coisa simpática e, quando estavas a tentar responder, acidentalmente seguiste a pessoa de volta.

Agora seria estranho afastares-te, porque a pessoa responde a todos os Stories que fazes com um emoji a chorar a rir. Vocês agora são... amigos? Nem por isso. Mas, vês a pessoa no teu feed e lembraste daquela vez que ela gostou de 32 das tuas fotografias e isso aqueceu tanto o teu telemóvel que se desligou desligou sozinho e tiveste que pedir ao dono do bar para usar o carregador atrás do balcão e, por causa disso, mesmo sem vontade, mesmo sem nenhuma alegria, pões like nas fotografias dela. Patético. Seu patético impotente.

15. O “LIKE PASSIVO-AGRESSIVO”

Quando queres marcar a tua posição.

O like passivo-agressivo vem de exactamente duas formas: a) tiraste uma foto ao teu amigo, ele publicou a fotografia e foi inundado de likes e tu sentes que mereces algum reconhecimento por isso, então não só dás like como comentas “bela fotografia!!! quem tirou???”, ainda lhe mandas uma mensagem engraçadinha até que a pessoa tem de editar a legenda e dar-te crédito e ganhas dois seguidores com esta história toda; e b) pões like numa fotografia de uma festa com todos os teus amigos a mostrar a língua e a fazer o sinal de paz e amor, mas estranhamente – muito estranhamente – tu não foste convidado. E é bom eles ficarem a saber que viste. Tu viste, OK.

party like
Foto: Emily Bowler

16. O “LIKE NA FOTOGRAFIA DA FESTA QUE A QUE NÃO FOSTE”

O inverso da agressão do like acima.

Quando se chega aos 25 anos, começa-se a cancelar planos em cima da hora cerca de 900 por cento mais do que se cancelava antes e essa festa a que combinaste ir – o aniversário de alguém - é muito longe e os amigos que a pessoa convida para todas as festas são uns chatos, acabas sempre a falar com aquele mesmo gajo, que já encontraste umas sete ou oito vezes, mas nunca te lembras do nome, mas aí está ele, a chegar com uma latinha de cerveja e a perguntar-te como vai o trabalho; é sábado, bicho, não me perguntes sobre o trabalho – bem, baldaste-te porque não estavas com paciência e, além disso, parecia que ia chover e toda a gente publicou exactamente a mesma foto (francamente), então dás like em todas elas e até comentas “que pena ter perdido :(” no post do aniversariante, mas que pena o caralho. Tu, o teu edredon e a pizza que comeste inteira no sofá não estão com pena nenhuma de terem perdido essa festa.

17. O “LIKE DE FOME”

Quando gostamos de uma foto de comida só porque estamos com fome.

Uma vez, estava com tanta fome que gostei de um vídeo do Buzzfeed Tasty e, se já tiveres visto um desses – é sempre alguém a assar um prato de queijo, com marshmallows por cima e a cortar fatias como se fosse uma tarte – isso diz-te tudo o que precisas de saber sobre a sanidade da mente faminta no Instagram, ou seja, é insana. Totalmente insana.

cocaine instagram
Foto: Emily Bowler

18. O “LIKE DE INVEJA”

O que te faz pensar que devias reavaliar as tuas escolhas de vida.

O cenário é o seguinte: acabaste de começar uma cena de engate com alguém e estás naquela zona de sensibilidade aumentada em que tudo o que a pessoa faz ou deixa de fazer é interpretado como um grande gesto focado em ti – não responder à tua mensagem no espaço de uma hora, sair para beber com os amigos, apesar de saberes que ainda é demasiado cedo para que te convide para esse tipo de coisa, ou até comentar as fotos de outra pessoa, já te faz arder de inveja – estás naquele estado delirante entre tesão e raiva e é possível – e não estou a dizer que é saudável, mas é possível – pôr gosto nas fotos de pessoas que são Mais Bonitas Que Tu e Provavelmente Mais Desejáveis Sexualmente, uma coisa que, se feita seis ou oito vezes de seguida, é como uma granada pronta a explodir no feed de actividade da pessoa como um pequeno lembrete que tu também és bonito e desejável. Não faças isto – isso está à beira de um comportamento psicótico. Estou só a dizer que poderias.

19. O “LIKE 'VI QUE NÃO RESPONDESTE À MINHA MENSAGEM, MAS ESTÁS AÍ A PARTILHAR COISAS NO INSTAGRAM'”

Quando entramos no coração sombrio das interacções humanas.

É meio estranho que o Instagram tenha começado como uma forma divertida de documentar os nossos gatos, férias, refeições, aquela vez que fomos a um jogo de futebol ou concerto, até que sofreu uma metamorfose imperceptível, apesar de ter ocorrido à frente dos nossos olhos: modelos tratadas em photoshop com patrocínios e paletas rosa pastel; a ideia ainda estranha de Rede Com Curadoria; toda a gente a fazer parecer que vive uma vida melhor do que realmente vive, enquanto solta um textão de 400 palavras sobre como o “Instagram mostra apenas os destaques da vida”.

Lembro-me que o primeiro post que fiz no Instagram era um postal cortado da Princesa Diana por cima de uma modelo de topless numa revista Bizarre, em cima do tapete castanho do meu primeiro apartamento em Londres, tirada, tendo em conta a qualidade da imagem, com – em vez de uma câmara – o vidro de uma lâmpada partida. E um dia, há dois anos atrás, apaguei essa fotografia (por razões desconhecidas) e agora só publico as melhores e perfeitamente escolhidas fotos minhas (também por razões desconhecidas), entrei no ciclo de altos e baixos de dopamina que vêm com ganhar likes no Instagram. E o que significa um like no Instagram hoje? Será que é: gostei disso? Quero comer isso? Quero pinar com isso? Fico furioso com isso? Convidas-me para mais coisas? Respondes às minhas mensagens? Sê meu amigo. És meu amigo? É uma da manhã e estou bêbado e cheio de tesão? Carreguei sem querer?

É impossível saber o que um like no Instagram significa hoje em dia. Essa é a beleza e a decadência dessa aplicação maldita.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.