FYI.

This story is over 5 years old.

Outros

O Hóspede Quer Bananas

Esses são só alguns perfis dos macacos "hóspedes" do santuário de Sorocaba do Grupo de Apoio aos Primatas (GAP) -- "movimento internacional cujo objetivo maior é lutar pela garantia dos direitos básicos à vida, liberdade e não-tortura dos grandes...
25.4.11

Cláudio joga e cospe terra sem parar nas pessoas que não conhece. Emílio adora cócegas. Guga namora com Dolores, e Luke ama desamarrar cadarços. Esses são só alguns perfis dos macacos "hóspedes" do santuário de Sorocaba do Grupo de Apoio aos Primatas (GAP) -- "movimento internacional cujo objetivo maior é lutar pela garantia dos direitos básicos à vida, liberdade e não-tortura dos grandes primatas não humanos" -- por acaso a mesma organização que hoje trata do chimpanzé Omega, o tabagista inveterado. São eles que na terça-feira tiveram negado pela Justiça o pedido de habeas corpus para que o chimpanzé pintor Jimmy, 26, fosse transferido do zoológico de Niterói, onde vive há mais de dez anos, para a área no interior de São Paulo. A ONG alegava que o animal vivia sozinho e isolado, e a companhia de semelhantes seria de bom tom.

Só que as leis são válidas para os seres humanos, foi o veredicto. Ainda assim, o grupo já afirmou que não pretende desistir do caso ("seres que merecem um tratamento diferenciado e as leis básicas criadas para os humanos e pelos humanos devem se estender a eles", dizem eles). Se acontecer de o Jimmy de fato ser transferido, ele passará a viver num condomínio já habitado por outros diversos semelhantes, dos mais variados perfis. Elencamos alguns, mantidos no próprio site do projeto, os quais escancaram complôs, inimizades, gostos, aflições e hobbies, pra que o Jimmy tenha uma ideia da vizinhança caso também consiga acessar a internet da jaula.

Publicidade

Guga

Macho, 9 anos. Foi  rejeitado pela mãe e criado por humanos. Foi o inspirador do Projeto GAP Brasil, sendo o primeiro a chegar, em 2000, proveniente de um criador particular. É muito ativo, meigo, sociável, brincalhão, ciumento, inteligente e muito ligado à sua família humana. Hoje vive em um grupo com outros chimpanzés (Emílio, Dolores, Samantha, Carlos, Cláudio, Carol Jr. e Billy Jr.). Guga é o mais velho no grupo e na maior parte do tempo o macho alfa, mas em alguns períodos disputa a dominância com Carlos, com quem tem uma aliança, que faz com que ambos sempre tenham poder sobre os outros.

Carlos

Macho, 8 anos. Foi criado por humanos desde o início de sua vida. É filho de Lulu, irmão de Cláudio e Vítor. Vive no grupo de Guga, com quem as vezes tenta disputar a dominância, mas na maior parte do tempo é seu aliado no grupo.  É muito carinhoso com os humanos, brincalhão, ágil e valente, não tem medo de enfrentar outros chimpanzés e intimida pessoas estranhas arremessando terra.

Cláudio

É filho de Gilberto e Lulu e irmão de Carlos e Vítor por parte de mãe. Chegou ao santuário quando era um bebê. Hoje esta com sete anos é bastante ativo, inteligente e alegre, adora brincar de correr e contar até cinco, que faz emitindo sons como se quisesse falar os números. Vive no grupo de Guga e se dá muito bem com todos, principalmente com Emílio, com quem brinca de correr por longas horas. Detesta câmeras fotográficas, joga e cospe terra sem parar nas pessoas que não conhece.

Emílio

Macho, 7 anos de idade, também foi criado por humanos desde seus primeiros dias de vida. É filho de Gilberto e Margarethe e irmão mais novo de Noel. É chamado de chimpanzé "sorriso", pois quando vê os humanos que o tratam bem, exibe um belo sorriso.  Vive no grupo de Guga e adora brincar com Cláudio. É muito carinhoso, inteligente e adora brincar com os humanos de cócegas. Emílio é um aliado de Guga, e quando Guga não está assume a liderança do grupo.

Dolores

Fêmea, 11 anos. Era do Circo di Napoli e foi confiscada pela Justiça devido a maus tratos e falta de documentação legal. Ficou menos de um ano no Beto Carrero World, em Santa Catarina, onde quase morreu, mas depois se recuperou. Quando chegou ao Santuário do GAP em 2005, ainda tinha problemas respiratórios e deficiências nutricionais. Após a quarentena foi colocada com sua irmã Samantha, Noel e Guga. Dolores é muito agitada, mostrando-se sempre disposta a brincar com seus semelhantes, não sendo muito amistosa à presença humana, provavelmente pelas lembranças do tempo que era maus tratada. Hoje vive no grupo de Guga e no período que morou com Billy Jr., o adotou como seu filho e passa boa parte do tempo brincando com ele. Guga namora com ela quando está no cio.

Noel

Macho, 10 anos. Foi criado por humanos desde seu nascimento, chegado ao Santuário em 2000, junto com Samantha. É filho de Gilberto e Margarethe e irmão mais velho de Emílio. É muito ágil, dominante, observador, e muito inteligente. Costuma chorar e gritar quando sua vontade não é atendida. Não gosta de pessoas estranhas e costuma arremessar nas mesmas qualquer tipo de objeto que estiver ao seu alcance, tendo uma excelente mira. Vive hoje junto com Tião e às vezes com Carlos. Já ficou com Martin e Samantha que viveu com ele boa parte de sua vida.

Samantha

Fêmea, 9 anos. Foi criada por humanos desde seus primeiros dias de vida, chegando ao Santuário em 2000, junto com Noel. É muito ágil, esperta e observadora. É  introspectiva e não gosta muito de demonstrar seus sentimentos, mas é carinhosa e gosta muito de atenção.  Viveu por anos com Noel e hoje está no grupo de Guga, de quem é seu parceiro oficial. Se dá bem com sua irmã Dolores, com quem prefere dormir à noite.

Lilico

Macho, 35 anos. Chegou em 2009 procedente de um Zoológico no interior de São Paulo, onde morou muitos anos. Lilico tem uma história famosa: anos atrás, um dia ele escapou do Zoológico e durante horas ninguém o localizava. À noite o Zoológico recebeu uma chamada falando de um ser estranho que estava em um boteco da periferia. Uma equipe foi lá e encontrou Lilico sentado a mesa, com vários bêbados, também enchendo a cara. Ele não queria sair do bar, então tiveram que dar mais cachaça até que ele ficasse totalmente embriagado e pudesse ser retirado.

Alex

Macho, 24 anos. Naceu no Zoológico de Sorocaba, mas morou e trabalhou durante muitos anos em um circo no Brasil. Para que seu tempo de trabalho nesse circo fosse prolongado, teve todos os seus dentes arrancados quando jovem. No circo era obrigado a fazer exercícios físicos, por isso apresenta um biotipo atlético até hoje. Entende espanhol e português, gosta de doces, comida líquida, côco e milho verde cozido, mesmo não tendo nenhum dente. É amistoso com quem conhece, gostando muito do contato humano, adora fazer grooming* e correr em postura ereta atrás dos carros que passam ao lado de seu recinto. Hoje vive com Carolina e se dá muito bem com ela, os dois se respeitam e parecem muito felizes um na companhia do outro.

Carolina

Fêmea de 25 anos de idade, apesar de ter vindo de circo não perdeu os dentes, já que saiu antes de se tornar adulta e não foi necessário arrancá-los, como os circos habitualmente fazem. É autoconfiante, diplomática e sabe relacionar-se com os outros membros da comunidade. Já viveu algum tempo na turma de Gilberto e também já foi companheira de Luke. Hoje vive com Alex , os dois se dão muito bem e Carol tem bastante ciúmes dele, principalmente em relação a mulheres. Adora frutas e sucos e pede comida apontando para a bandeja dos recintos vizinhos quando a sua não tem mais as frutas que ela quer. Aprendeu com os humanos a mostrar a língua, como provocação, porém é bastante dócil com quem ela confia e troca qualquer comida por um pouquinho de atenção.

Billy

Macho, 15 anos, chegou ao Santuário em 2004, procedente de um circo. Nasceu no extinto Criadouro de Chimpanzés, em Morretes, no Paraná, onde foi comprado pelo circo com poucos meses de idade. É muito inteligente, amistoso com quem conhece e gosta do contato humano. Adora ficar se olhando no espelho e ficar investigando seus olhos, nariz e boca. Billy ainda sente-se criança, passando parte do tempo chupando o dedo. Em virtude de traumas passados, Billy passa por tratamentos homeopáticos. Já dividiu o recinto com Quennie e Frances, Tião, Bruna, mas após desentendimentos, Billy voltou a viver sozinho em seu recinto, de onde se comunica bastante com seus vizinhos pelas janelas. Gosta bastante de seu vizinho Simon e mesmo de longe parecem ser aliados, por isso não gosta de Caco que é inimigo de Simon.

Caco

Macho de 24 anos de idade, foi criado como humano até 12 anos por uma família. Após várias fugas, eles decidiram doá-lo para o Zoológico de Curitiba, que depois o repassou para o Zoológico de Sorocaba, onde ficou durante seis anos isolado, em um pequeno recinto. Devido a sua criação com humanos, e posterior isolamento, Caco desenvolveu a síndrome de auto-mutilação, para chamar a atenção, provocando em seu corpo feridas profundas. Foi submetido a tratamento com calmantes, porém piorou nos últimos dias do ano de 2001. Tudo o que tinha sido feito para eliminar as crises de auto-mutilação, enquanto Caco vivia no zoológico, não teve resultado aparente. Então Caco foi enviado para viver no Santuário, onde teve uma melhora significativa de seu problema. Hoje Caco já não se auto-mutila há mais de 4 anos, ainda precisa tomar doses mínimas de medicamento para depressão, além de medicação homeopática, mas vive em paz e tranqüilo com sua companheira Jully que o apoia quando ele precisa. Tem uma personalidade muito boa, adora brincar e ter contato com os humanos que conhece e confia.

Jully

Fêmea, de aproximadamente 16 anos de idade. Veio do Zoológico de Piracicaba, que foi fechado temporariamente, mas era de um Circo do Nordeste que faliu e foi comprada por um comerciante de animais que, por não ter a documentação legalizada, entregou-a ao Zoológico. Jully vive com Caco, e ajudou-o a vencer suas crises de depressão que geravam auto-mutilações nas pernas. Tem personalidade forte, é ciumenta, mas bastante tranqüila.  Adora refrigerantes e gosta que a cumprimentem beijando a sua mão.

Simon

Macho,16 anos, chegou ao Santuário em 2004 junto com Rakker. Nasceu no Artis Zôo de Amsterdã, na Holanda, onde foi criado com Rakker. Foi integrado a um grupo de oito chimpanzés, junto com Rakker e após algum tempo, tentando disputar a liderança do grupo com o macho alfa, foi atacado levemente, ao contrário de Rakker. Depois de separado do grupo, Simon voltou a viver com Rakker que era muito seu amigo. É um pouco agitado, desconfiado e muito temperamental,  adora brincar de correr quando está bem humorado. Hoje vive muito bem com Rakker que é seu grande companheiro.

Rakker

Macho, 17 anos, chegou ao Santuário em 2004 junto com Simon. Nasceu em um Zoológico na Bélgica, de onde foi levado para ser criado junto com Simon em Amsterdã. Ambos possuem um vínculo muito forte de irmãos. No zoológico foi agredido e quase morto pelo grupo principal de chimpanzés, sendo separado e isolado por mais de dois anos sem acesso a parte externa. É calmo e gosta muito do contato humano, e costuma pedir atenção mandando beijos. Tem muito medo de sair em ambientes abertos como a área cercada, por isso gosta mais de túneis e recintos fechados em que se sente seguro. Apesar do trauma sofrido, está bem adaptado a nova vida no Santuário, vivendo tranqüilamente com Simon.

Jango

Macho, 20 anos. Chegou ao Santuário em 2003. Passou grande parte de sua vida em um circo de Minas Gerais e viajava muito pelo interior do país. É castrado e não possui dentes, já que foram arrancados ainda no circo para prolongar sua vida de trabalho. Jango é muito dócil (devido à castração), tranqüilo, gosta de brincar e de correr. Viveu durante 3 anos com Gil, até seu falecimento que foi muito sentido por ele, já que se adoravam e viveram muito bem juntos. Hoje esta vivendo com Júnior, e apesar do pouco tempo que estão juntos já demonstram muito afeto e companheirismo. Brincam muito de correr e quando Júnior sente medo Jango carinhosamente corre para abraçá-lo e confortá-lo. Gosta de comer macarronada no prato e com colher.

Johnny

Macho, 17 anos de idade. Chegou em 2005, vindo do Zoológico de Curitiba, onde ficou quatro anos e não se adaptou bem. Seus proprietários originais, uma família do Estado de São Paulo, que o criou por 10 anos em sua casa, em uma gaiola de 29 metros quadrados, o tinha enviado a Curitiba, já que ele ficou muito forte e tinham medo que ele escapasse. Johnny é muito humanizado, não se interessa muito por outros chimpanzés, porém, pouco a pouco está perdendo o medo deles. Ele veio da Suíça com dois anos de idade para a família paulista, segundo informações do comerciante que o vendeu. Não possui dois dedos da mão direita e ninguém sabe como os perdeu. Johnny é muito alegre, brincalhão e adora ficar em sua plataforma, embaixo de seus cobertores, faça chuva ou faça sol. Também gosta de contato humano e de brincar de pega-pega pelo túnel que interliga seus recintos, mostrando-se bem adaptado ao Santuário.