Vem aí o Milhões de Festa

Preparem-se: temos nomes do cartaz em primeira mão.

|
jun 22 2012, 2:30pm

Há dois tipos de festivais de Verão: os que tomam marcas por nome próprio e que contam a afluência às dezenas de milhares, trazendo nomes escolhidos a dedo consoante o 

hype

 actual, e depois há o Milhões de Festa. Um tem piscina, todos os outros não.


Fotografia tirada pela Filipa Alves durante a gravação do videoclip da "Bardamu Girls" dos The Glockenwise, na piscina do Milhões.

O festival deve o seu curioso nome a uma pequena aventura na ponte da última edição de Vilar de Mouros, em 2006, na qual um gajo, provavelmente em ácido, atirava pequenos tufos de tabaco de enrolar ao chão enquanto afirmava convictamente estar a atirar milhões de contos fora (mais sobre isso aqui). Reza a lenda que o festival foi concebido com o único propósito de reencontrar a sua mascote anónima, o Milhões do Tabaco, como ficaria conhecido.

Meses depois, acontecia no Porto primeira edição do Milhões de Festa, famosa por ter mais pessoal das bandas do que público, o que levou a um ataque de fofice por parte dos The USA Is A Monster que, ao perceberam que a coisa não estava a correr bem, se voluntariaram para ficar no Porto mais um dia para cozinhar para as bandas que iam tocar no dia seguinte, poupando assim dinheiro em refeições à desanimada organização.

O Milhões mudou-se para Braga em 2007, desta vez sem bandas estrangeiras. Foram dois dias de festa rija espalhada pelos três pisos do Censura Prévia, um edifício desabitado que funcionava como uma espécie de centro cultural de uma associação de esquerda — daquelas em que nunca se percebe bem a ideologia.

O público aderiu, assim como a polícia, que acabou por ser o headliner de ambas as noites, aparecendo para mandar o pessoal embora mal os DJs começavam a tocar. A polícia é a pior banda do mundo. O backstage, onde se chegaram a combinar idas às putas, estava artisticamente forrado a folhas de papel branco e é milagroso como tudo aquilo não acabou num enorme incêndio, dada a quantidade de ébrios fumadores que por lá passaram, incluindo um roadie de Motornoise que conseguiu beber as trinta cervejas que restavam para as bandas durante as quatro horas que lá esteve (já para não falar da quantidade ridícula de charros seguidos que fumou).


A decoração do Censura Prévia em 2007.

A casa de banho dos homens tinha um CD na sanita que lá esteve o festival inteiro e aos concertos, rápidos e furiosos, não faltaram crowdsurfing e mosh qb. Ainda não consegui ultrapassar a triste memória da entrada do meu “concerto”, que idealmente começava com a chegada de uma mota que buzinaria ao som de hard techno, mas que acabou por não ser bem assim porque o raio da mota ficou sem bateria. Meio chapada na tromba.


Mijinha CD-ROM.

Deu-se então um hiato de dois anos no festival que lá acabou por chegar, em 2010, à sua morada actual: Barcelos. Este é o Milhões do hino ao Verão, o Milhões das tardes de chillanço na piscina, das noites quentes de concertos inesquecíveis e das manhãs tórridas de ressaca. O Milhões do campismo com aves raras em gaiolas grandes e algumas aves ainda mais raras em tendas pequenas. O Milhões senhor de um dos ambientes mais relaxados e divertidos que este tipo de eventos pode proporcionar.

Toda a gente é feliz em Barcelos durante os três dias em que os irredutíveis gauleses da cena festivaleira portuguesa resistem na cidade minhota que conseguiram, a custo, colocar no mapa dos melómanos e de todos os outros (dos que só querem passar três dias em grande).


O Fua leva a sério o festival que inventou.

Este ano a festa decorre nos dias 20, 21 e 22 de Julho dividida por quatro palcos, entre os quais o nosso preferido (o da VICE), mais um palco móvel que promete levar o festival aos quatro cantos da cidade do galo. Temos também o prazer de anunciar, em primeiríssima mão, que aos Baroness, Publicist, Red Fang, Youthless,  Weedeter (e tantos outros) se juntam Meneo, com o seu reggaeton progressivo, Summer Recreation Camp, que vão inundar Barcelos com o seu chillwave etéreo, os portugueses Savanna, sci-fi rock do bom, e finalmente o hip-hop dos Quartel 469.

Ah, isto também vos deve interessar: estamos a inaugurar uma secção no nosso site totalmente dedicada ao Milhões de Festa (olhem em volta) e online todo o ano, que é para não perderem pitada e matarem saudades nos outros 11 meses do ano.

O Verão começou ontem, mas para o Verão a sério ainda falta um mês.

Mais da VICE
Canais VICE