A geração de mulheres que está a redefinir o conceito de beleza
Fotografia por Douglas Irvine

FYI.

This story is over 5 years old.

Mulheres

A geração de mulheres que está a redefinir o conceito de beleza

​Graças às novas líderes da Geração Z, coisas como as manchas de nascença, ou o pêlo corporal já não têm importância. Os padrões de beleza estão a mudar.
8.4.15

Este artigo foi originalmente publicado na nossa plataforma i-D.

Graças às novas líderes da Geração Z, coisas como as manchas de nascença, ou o pêlo corporal já não têm importância. Os padrões de beleza estão a mudar. Branca, preta, gorda ou magra, masculina ou feminina…

As novas gerações já não precisam de escolher entre estes termos para descreverem o significado de beleza. As redes sociais fizeram com que desenvolvessem uma afinidade especial com o "real" e há cada vez mais gente contra o abuso do retoque fotográfico.

Vivemos o "aqui e agora", onde tudo é possível. Os mais jovens estão dispostos a acabar com o status quo e a estraçalhar as fronteiras da beleza e das imperfeições. Cicatrizes, borbulhas, deficiências, pneus, androginia, celulite… já não são relevantes. Vamos apresentar-vos as mulheres que, hoje em dia, nos demonstram que qualquer pessoa pode ser linda…

Hari Nef

Fotografia por Michael Bailey Gates

"Quero ser a primeira mulher transexual a ganhar um Oscar" - Hari Nef

A prova viva de que já não tens de te conformar com as noções arcaicas daquilo que é masculino ou feminino é Hari Nef. A artista e actriz nova-iorquina tem liderado a revolução transgénero e demonstrado a sua força a cada capa de revista, ou desfile de moda em que participa.

Ashley Graham

Fotografia por Tulk-Hart

"Não quero que me considerem como uma modelo XL. Sou uma modelo e ponto final. Não creio que o meu título profissional tenha de condicionar as dimensões do meu corpo" - Ashley Graham

O que é que entendemos como sendo grande? Em 2010, um anúncio de roupa interior em que entrou foi censurado pelo Superbowl, alegadamente por causa do seu peso. Desde então, Ashley Graham iniciou uma campanha a favor da diversidade nos desfiles. Agora, a modelo foi contratada pela agência IMG, está na capa da nova edição de fatos de banho da Sports Illustrated e acaba de lançar a sua própria linha de roupa interior.

Jillian Mercado

Fotografia por Barbara Anastacio

"Para mim, a beleza é ter a energia e a confiança para seguir em frente, mesmo que as pessoas te intimidem e que tenhas o Mundo inteiro contra ti" - Jillian Mercado

Jillian Mercado tem distrofia muscular e está numa cadeira de rodas, mas isso não a impediu de participar na campanha Primavera/Verão da colecção de Nicola Formichetti para a Diesel - #Reboot. Desde então tem redefinido as normas convencionais de beleza.

Myla Dalbesio

Imagem cedida por Myla Dalbesio

"Esta indústria tem de abrir-se a um grupo de pessoas mais diverso e não falo somente em termos de peso. Homens e mulheres de todas as formas, raças e idades também têm direito a estar representados" - Myla Dalbesio

Quando é que o Mundo vai deixar de usar termos absurdos para categorizar as mulheres pelo seu peso? Myla Delbesio é considerada uma modelo "intermédia", porque está demasiado "gorda" para ser uma modelo "normal" (veste um 42!!??!), mas demasiado magra para formar parte da categoria "XL". No entanto, Myla converteu-se num dos nomes com mais repercussão do momento, depois da sua participação na última campanha de roupa interior da Calvin Klein.

Grace Neutral

Fotografia de Douglas Irvine

"Não desejo parecer-me com ninguém em concreto. Altero a minha imagem para exteriorizar a alma, assim sinto-me mais confortável com o meu próprio corpo" - Grace Neutral

Grace Neutral é uma princesa alienígena e a representante da beleza mais extrema: tem o corpo coberto de tatuagens, olhos violeta, orelhas de elfo, língua bifurcada e não tem umbigo. Não é uma doçura?

Chatelle Winnie

Fotografia de Harry Carr

"Sou simplesmente eu mesma. Sinto-me bem e sou feliz" - Chantelle Winnie

Não importa se és branca, preta ou multicolor: a beleza está nos olhos do observador. A modelo canadiana Chantelle Winnie nasceu com uma condição auto-imune, que lhe causou uma despigmentação parcial da pele. Agora, com apenas 20 anos, é todo um exemplo de diversidade nesta indústria. Desde que participou no programa televisivo America's Next Top Model, Chantelle posou para fotógrafos como Nick Knigth e fechou o desfile de Ashish na Semana da Moda em Londres.

Lineisy Montero

Fotografia de Piczo

"Quero ser reconhecida pelo meu trabalho e por quem sou, não só pelo meu cabelo, ou pela cor da minha pele" - Lineisy Montero

Apesar de andarmos há décadas a ver modelos de várias etnias em campanhas de moda e desfiles, estas continuam a ser submetidas às normas de beleza das mulheres brancas. Algo de que Lineisy Montero fugiu. A modelo dominicana, com o seu cabelo afro natural, abriu caminho entre dezenas de rabos de cavalo no desfile Outono/Inverno'15 da Prada e fez furor. Precisamos de mais miúdas assim!


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.