As 25 coisas que deverias começar a fazer agora que tens 25 anos
Imagem principal: Foto via Lisbeth den Toom

FYI.

This story is over 5 years old.

vida adulta

As 25 coisas que deverias começar a fazer agora que tens 25 anos

A menos que tenhas cometido uma série de assassinatos, ou algo assim, és uma melhor pessoa que antes.
5.2.15

Este artigo foi originalmente publicado na VICE USA.

Já falámos sobre isto: ter 25 anos é uma maravilha. Tecnicamente, ainda és jovem - ainda és idiota, ainda usas calças de ganga skinny e ainda é aceitável passares o domingo na cama a comer pizza -, mas já não és assim tão novo. Podes encontrar um cabelo branco. Talvez uma ruga. Emites um som muito súbtil quando te levantas do sofá. Ou seja, a morte está mais próxima do que nunca.

Publicidade

Mas não te preocupes, não é assim tão mau. Apesar de o teu corpo estar a envelhecer - e da tua mente estar quase naquele ponto em que estás na discoteca e pensas: "Que merda é esta? Que MERDA é esta? Recuso-me a dançar esta música. Isto nem sequer é música, é só barulho!" -, nem tudo são más notícias. Enquanto choras pelas first times perdidas da tua juventude - o teu primeiro cigarro, a tua primeira discussão, a tua "primeira-vez" -, é ilógico pensar que não venha mais nenhuma novidade por aí.

E mesmo que ninguém escreva artigos sobre a primeira vez que experimentámos, digamos, a ironia, as suaves novidades do final dos teus 20 anos vão preencher as zonas cinzentas de uma vida que, até agora, pareceu mais a um conjunto de explosões de carácter moral, que uma jornada significativa.

Portanto, aqui tens mais abaixo as 25 coisas que vais começar a curtir à séria quando bateres à porta dos 25.


Vê também: "Porno Tecnológico"


1 - Tratar das finanças

Ah pois é! Finge que eu sou o teu pai e vamos lá falar sobre porque é que às vezes fazer um empréstimo para pagar as tuas dívidas é mais barato que pagar os juros de estar a descoberto! Mais tarde vou ensinar-te a arte de "realmente abrires o extracto da tua conta para veres se está tudo nos conformes" e, depois, vamos ver anúncios de televisão para percebermos se mudar de banco realmente compensa.

Para terminar, teremos uma conversa séria sobre não deveres nenhum tipo de lealdade ao teu banco, só porque tinhas lá uma conta universitária e te ofereceram um porta-chaves. Divertido, não achas? Não. É super chato. Mas livrares-te da ansiedade depois do trabalho acima descrito, é altamente. Tratares das tuas finanças é muito mais divertido do que receber uma mensagem do banco no segundo dia do mês a dizer que estás a descoberto.

2 - Decidir com que amigos queres criar memórias

Aos 25, estás a uns três anos daquilo a que gosto de chamar "O Ano Em Que Todos os FDP que Conheces Decidem Casar". Avizinham-se tempos de não dizeres palavrões perto de idosos e perceberes que mandar uns riscos com bebés à volta não é uma boa ideia. Para ti, esse período vai ser complicado. É difícil estar rodeado de toda essa simpatia e amor, quando sabes que estás condenado a morrer sozinho.

Sozinho, fora os amigos. Aos 25 anos tens dois conjuntos de amigos: aqueles com quem cresceste e saías nos tempos da escola e os amigos adultos, verdadeiros, com quem sais todas as semanas. Tens um emprego e coisas para fazer. Casamentos para ir, contas no banco para gerir e, como um quarto da tua vida já foi por água abaixo, o teu tempo agora é finito e precioso. Sentes assim tanta afinidade com o tipo com quem vivias na universidade? Estás a ver aquele gajo que te deu um soco no liceu, mas que agora te dá 10 por cento de desconto no arranjo do carro? Precisas realmente dele? E aquelas raparigas que cagaram em ti quando arranjaram outro namorado, queres tê-las na tua vida? Really?

Publicidade

Eu acho que vai ser assim: no futuro, nos lares de idosos espaciais, todos nós estaremos juntos até à morte e vai ser espectacular. Teremos PlayStations, drogas e vamos rir-nos até perdermos a cabeça. No momento da nossa morte, tiraremos fotos para depois publicarmos nas redes sociais. Quando chegar a minha hora quero estar a rir-me com amigos – os meus amigos de verdade, aqueles com quem não faço fretes – e quero lembrar-me de todas as merdas que fizemos quando tínhamos 20 e tal anos. Por isso, escolhe os teus amigos e vai criar memórias com eles.

3 - Aprender algo novo

Quando era mais novo - antes de me tornar num diabético iminente -, achava ridículo quando via gente crescida a escolher o seu novo passatempo, ou a fazer um desses cursos pós-laboral. Mas tu queres mesmo aprender? No teu tempo livre? Neerrrrrrrrrrrd.

Agora entendo: não aprendo nada de novo há muito tempo e é muito fixe aprenderes ao teu ritmo, sem ser para pôr numa porcaria de um currículo. E depois há outra coisa. Passo o dia inteiro a olhar para um ecrã. Então sim, porra, quero aprender a escalar, a cuidar de borboletas, ou a jogar badminton. Qualquer coisa que me faça passar uma hora menos em frente ao Twitter. E, nesse caso, talvez ainda tenha uma hipótese de ser feliz.

4 - Ouve os teus pais

Agora és adulto. E como os teus pais já não podem pôr-te de castigo ou dar-te um raspanete porque fumas, vão tornar-se cada vez mais relevantes. São o lugar onde vais quando queres comer carne assada, são duas pessoas velhas que se parecem um bocado contigo e que te ligam para perguntar se está tudo bem.

E sim, o teu pai pode ser um bocado chato, assim à primeira vista ("Eu só gosto de duas coisas na vida, filho e/ou filha: ver F1 e pensar em F1"), mas dá-lhe três cervejas e vais ver como tudo muda. Ele não só te contará várias histórias sobre como era o maior antes de conhecer a tua mãe, como também te dará uma data de conselhos piegas. E mais, ele não entende o teu mundo de Netflix, flash mobs e pen drives, por isso, depois dessa conversa vais sentir-te muito mais jovem. Conhece os teus pais. Eles são mais porreiros do que imaginas.

5 - Aprende a fazer certas coisas sozinho

O quadro da luz de casa está sempre a saltar? Sabes que podes resolver o problema sozinho, não sabes? Sabes que não é preciso chamar o senhorio? É só trocar as lâmpadas. Ou trocar o fusível. Duas coisas pequenas que podes comprar em qualquer sítio. Montar móveis sem colocar uma estante ao contrário é algo tão gratificante que pode levar-te aos céus.

6 - Faz aquilo que sempre quiseste fazer

Eu sempre quis ir a Nova Iorque. "Eu sempre quis ir a Nova Iorque", digo eu, a toda a gente, melancolicamente e, regra geral, quando elas voltam de Nova Iorque. Percebes como esse sonho é modesto e tosco? Eu podia fazer isso agora mesmo. Podia ir até ao aeroporto e fazê-lo. Seria um investimento, já para não falar em todos os bagels que aviaria. Mas se sempre quiseste fazer uma coisa, porra, vai fazê-la. Tens 25 anos. Quem é que te vai impedir?

7 - Sê o tio ou a tia mais altamente do Mundo

Talvez já tenhas expelido uma criança humana do teu corpo, ou ajudado outra pessoa a fazê-lo. Se sim, parabéns por seres um indivíduo responsável por outro, a cada segundo que passa, para o resto da tua vida. Se não, só tens de encontrar um primo mais novo, um sobrinho pequeno, ou qualquer coisa parecida que esteja por perto e seres o tio ou a tia mais espectacular do Mundo.

O quê? O teu pai não te comprou um Lego no teu aniversário, porque já tinhas recebido montes de coisas no Natal? Adivinha lá quem é vai ganhar um Lego agora, amiguinho. Ah, a tua mãe não joga Mario Kart contigo porque está ocupada a tratar de tudo para que possas sobreviver? Adivinha lá quem é que te vai dar uma abada. O objetivo é fazeres com que a criança goste mais de ti do que dos próprios pais e meteres o pé na estrada assim que ela começar a chorar, cagar, ou a fazer qualquer coisa que exija uma reacção adulta.

8 - Faz alguma coisa durante o fim-de-semana

O Netflix é tipo heroína, se a heroína fosse uma combinação entre ficar esparramado no sofá e ver todas as temporadas dos Sopranos. O facto de o Netflix ter programado a mensagem "Ainda estás aí? Viste 100 episódios seguidos de Prison Break e eles nem sequer fizeram tantos. Deves ter voltado ao início e repetido alguns" é um sinal.

É fácil perderes um fim-de-semana e outro… e depois pensas: "Não posso sair hoje, tenho uma temporada final para ver". Nesse momento os teus amigos deixam de ligar-te e, em cinco anos, alguém mencionará o teu nome e perguntará o que é que te aconteceu. Dirão: "Ele tornou-se muito chato". Isso não pode acontecer. Vai a uma galeria de arte. Vai dar um passeio. Vai a qualquer sítio onde não possas ir com os genitais mal lavados.

9 - Aprende a cozinhar pelo menos uma refeição decente

Se sabes preparar uma refeição nota oito, não terás problemas de engate (se és uma pessoa bonita, chegas lá com uma refeição nota sete, por exemplo, um bife decente, ou um prato salteado que não seja feito a partir do hambúrguer de ontem).

É assim que funciona. Tu convidas a pessoa, abres uma garrafa de vinho, cozinhas de forma extravagante à frente dela, preparas um tajin ou um guacamole - ou leite creme, as pessoas ficam loucas com leite creme - e está no papo.

10 - Aprende a assar um frango

Pega num frango. Esfrega-o com aquele sal chique que vem numa caixa. Junta um pouco de azeite. Corta dois limões em quatro partes e enfia-as naquela cavidade que costumava ser o cu do frango. Acrescenta tomilho, se tiveres. Assa-o durante hora e meia, duas horas.

Et voilà. Assaste um frango. A pele está crocante e a carne está deliciosa. Com o que sobra do peito faz uma massa para o jantar de amanhã. Assaste um frango, caraças! És o maior.

11 - Nunca deixes acabar a bateria

Quando eras mais novo, seres o gajo "que chega atrasado na sexta, porque saiu na quinta e não dormiu nada", era um traço de personalidade fixe. Eras o protagonista esperto do filme adolescente que é a tua própria vida! Eras tipo a Zooey Deschanel - se a Zooey acordasse num lugar estranho e escovasse os dentes com o dedo para tirar o gosto da noite anterior da boca. Pediste pizza no escritório! És muito jovem!

Mas quando chegas aos 25, os patrões já não acham tanta graça quando chegas ao escritório às 11 da manhã a cheirar a álcool. Uma dica: carrega o telemóvel antes de saíres para uma noitada. Vais precisar de dois carregadores: um em casa e outro no escritório. Esse investimento de cinco euros em qualquer loja do chinês significa que, quando acordares com aquela ressaca e estiveres tipo, numa praia, vais poder dar uma desculpa, responder a qualquer mensagem do teu patrão: "Onde é que estás?", ler os teus e-mails e chamar um táxi para te levar a casa, onde poderás vestir uma roupa lavada e ir directo para o trabalho. Isso é tão 25 anos! Continuas a tomar as mesmas decisões péssimas e irresponsáveis, mas agora tens tu o controlo da situação!

12 - Começa a apagar o teu passado

Na tua juventude fizeste coisas das quais provavelmente te envergonhas. Foste expulso de um bar. Gostaste mesmo de Evanescence. Fizeste voluntariado durante um ano e tiraste mil fotos que depois publicaste no facebook para engatar miúdas. Foste uma pessoa horrível.

Então, começa a apagar essas partes. Estás a ver aquele gajo da escola que todas as vezes que te encontra num bar se lembra daquele dia em que não conseguiste fazer uma flexão na aula de educação física? Livra-te dele. Cartas de amor que escreveste quando eras adolescente? Queima tudo. O ano de folga que tiraste? Apaga-o do teu CV. Aquelas roupas foleiras que já não te servem, mas que não tens coragem de deitar fora, porque te lembram a tua juventude? Adios!

13 - …Mas olha para trás e ri-te de ti mesmo

Tinhas um piercing na sobrancelha. Ficavas acordado até às quatro da manhã para escrever um romance. Compraste um cubo de caldo de carne a pensar que era haxixe. Descobre aquele diário de poemas, o teu perfil do MySpace, ou qualquer coisa assim e ri da desgraça que já foste. É um milagre teres chegado até aqui.

14 - Percebe que fazer uma compra semanal é nice.

Antes dos 25, as tuas experiências de supermercado envolviam pegar numa bolsa daquelas de cookies de marca branca? Quatro latas de milho ou cogumelos? Talvez algumas latas de atum? Não sei. Temos ketchup?

Abre os olhos, fazer uma compra grande é maravilhoso. Parece Natal! Só tens de ir ao supermercado uma vez por semana e comprar montes de carne moída, um frango, legumes e verduras, iogurtes, um chá chique que nunca experimentaste, papel higiénico, algum tempero e salgadinhos congelados dos quais te esquecerás num saco e que acabarão no lixo. Uma boa compra pode mudar a tua vida.

15 - Salva animais ou qualquer coisa do género

Ouve, a cocaína está a destruir a floresta tropical. Sempre que puxas o autoclismo deitas fora oito litros de água limpa. És pior que um frigorífico velho, cheio de latas de aerosol, amarrado a um submarino nuclear, no Delta do Níger. Salva um gato, ou assim. Sê voluntário. Encontra alguma coisa com que realmente te importes e doa-lhes o teu tempo e dinheiro. Viveste 25 anos de egoísmo, por isso procura um novo tipo de felicidade que só pode ser atingido não sendo egoísta.

16 - Começa a dar moedas aos mendigos

Da próxima vez que alguém te peça uma moeda, dá-lha. Não penses em como vai gastá-la. Não contes essas histórias que ouviste sobre mendigos que enganam idiotas como tu. Se uma pessoa está sentada na calçada com um cão que treme de frio é porque não tem uma casa, nem uma cadeira onde sentar-se. Não custa nada ajudar.

17 - Aprende a viver com outra pessoa

Limpa as migalhas, limpa as tuas coisas, apanha a roupa do chão, baixa a tampa da sanita.

18 - Tem sexo sóbrio

Sexo juvenil no vão de uma escada é bom, mas só te metes nesse tipo de aventuras quando estás com os copos. Sexo depois dos 25 é óptimo. Já sabes do que gostas, do que não gostas e sabes o que consegues fazer.

19 - Cuida do teu corpo

Sabes essa coisa de ficar cansado e letárgico? As vitaminas podem ajudar. Estás a ver esse barulho estranho que o teu ombro faz? É melhor ires ao médico. Talvez só precises de uma boa massagem, ou talvez tenhas uma doença de ombro rara ainda por descobrir. Um médico pode esclarecer estas dúvidas.

O Hulk Hogan estava certo sobre as vitaminas e o Mr. Motivator estava certo sobre aqueles exercícios matinais. Parece que os gajos enrugados, de maillot, são mesmo inteligentes. Mexe-te um bocadinho, dorme bem, toma aquelas pastilhas efervescentes de vitamina C de vez em quando. Vais sentir-te óptimo.

20 - Possui qualquer coisa que salvarias se a tua casa estivesse a arder

Antes dos 25 anos, as únicas coisas que tinha e que valiam a pena salvar de um incêndio eram um par de meias muito boas, que hoje estão furadas e, sei lá, o meu passaporte. Não sei. As chaves? Ainda preciso delas se a casa pegar fogo?

Agora tenho um belo conjunto de facas. Isso mesmo: sem meias, nem passaporte. A casa em chamas e eu só quero saber das minhas facas (se tivesse que escolher uma, escolheria a maior).

21 - Arranja um trabalho que gostes de fazer

Claro, a economia está em ruínas e as pessoas têm sorte em ter um emprego, qualquer emprego. Porém, aos 25 anos estás num ponto em que não tens muita responsabilidade, mas ainda tens um restinho daquela atitude "Foda-se, vou ficar seis meses na Tailândia". Se alguma vez pensaste em trocar de profissão, voltar a estudar, deixar tudo para ser freelancer, ou mudar de país, agora é o melhor momento para o fazeres.

22 - Começa a ligar à política

Mesmo que estejas errado, é bom saíres da neblina da ignorância, começares a ver o telejornal e entenderes o que está a acontecer.

Na verdade, é fixe ter uma opinião informada sobre alguma coisa, especialmente quando ganhas aquela discussão de bar, só porque leste um artigo no The Independent. Lê panfletos. Chateia-te. Participa numa manifestação, se achas importante, importa-te.

23 - Pára de tentar ser igual os teus heróis

Falar muito rápido, de pé, não vai transformar-te no Tarantino. És uma pessoa completamente formada. Pára de poupar para comprar o mesmo casaco que o Drake usou no videoclip de "Fuckin' Problems".

24 - Brunch

Vais adorar o brunch. Não é uma refeição de verdade, mas quando as tuas noites de loucura ficarem mais curtas e as tuas ressacas mais longas, vais começar a adorá-lo

25 - Abraça a novidade que é crescer

Existe uma teoria que diz que todas as células do teu corpo são substituídas de sete em sete anos: todos os ossos, todas as veias. Isso é só meio verdade, mas a analogia é boa. És uma pessoa diferente, inteiramente diferente daquele magricelas de 18 anos que eras antes, com aquele cabelinho com gel, a piscares os teus olhos jovens ao Sol, cheio de esperança. Pensa nisto: se tens 25 anos agora, tinhas 18 quando saiu o primeiro iPhone. E vê os iPhones! Tu eras um iPhone e agora és um iPhone 6! Tens uma câmera à frente e outra atrás! Fazes vídeos em câmara lenta! És muito mais largo do que costumavas ser, mas estranhamente, mais fino!

Essa mudança é boa. A menos que tenhas cometido uma série de assassinatos ou algo assim, és melhor pessoa que antes. Estás mais cheio, mais redondo, mais confortável com quem és. O teu corte de cabelo é melhor e é bem provável que as tuas calças de ganga também o sejam. É um bom motivo para comemorar, não achas? Já não és novinho. Nunca mais vão referir-se a ti como um "prodígio" quando fizeres alguma coisa bem. As pessoas já esperam que sejas competente – mas isso não é mau. Muita gente tem medo de envelhecer, não voltar a fazer algo pela primeira vez, não voltar a sentir a urgência do amor no estômago, desaparecer na mediocridade.

Mas não é assim que as coisas se processam. Envelhecer é encontrar coisas novas das quais gostar, sem te agarrares desesperadamente às coisas que estás habituado a fazer.