Sexo

Como chupar xoxota direito

Muita gente por aí, em algum momento, vai fazer sexo oral em alguém com uma vulva. Aqui você aprende como não estragar tudo.
MS
Traduzido por Marina Schnoor
21.2.20
fruta parece vagina
Foto: Svetlana Farafonova / Alamy Stock Photo.

A gente aprende muita coisa na escola: quem inventou a lâmpada, por exemplo, ou uma rima engraçada sobre Henrique VII decapitando as esposas. O que não nos ensinam são lições que realmente úteis na vida adulta, como fazer seu imposto de renda, a receita de curry de berinjela ou como chupar xoxota.

Homens héteros cis, especialmente, são ensinados pela cultura pop mainstream que o simples ato de lamber as partes íntimas de alguém já é bom o suficiente: só usar um pouco a língua e… uau, um orgasmo enlouquecedor (se não, a pessoa pelo menos tem que ficar feliz por ele estar tentando).

Publicidade

Mas como qualquer pessoa com uma vulva sabe, há uma diferença entre sexo oral bom e sexo oral não tão bom assim (o mesmo vale para pintos, certeza, mas essa é outra matéria). O “truque do alfabeto”, por exemplo – onde dizem pra você escrever o alfabeto com a língua – provavelmente foi inventado por alguém do outro lado de muitos orgasmos falsos.

Se você quer saber como chupar xoxota direito, é melhor não ouvir ninguém a não ser a fonte. Pra isso, coletamos a sabedoria de pessoas com vulvas para descobrir o que constitui sexo oral bom.

'Não ache que o que funcionou com uma vulva vai funcionar com outra'

“O que eu faço é perguntar do que a pessoa gosta, porque toda vulva/vagina é diferente. Sempre vou defender o máximo de comunicação possível e perguntar pras pessoas como elas querem ser tocadas. O problema é que pessoas com vaginas geralmente são desencorajadas até mesmo a explorar o próprio corpo, e quase são alimentadas com a ideia de que sexo 'não é pra elas', então muitas pessoas nem sabem o que querem, porque não conhecem seu corpo muito bem.

“Pessoalmente, ainda tenho vergonha internalizada e constrangimentos que nem sempre me deixam dizer pra alguém parar de fazer algum movimento ou coisa. Então acho que é importante para a pessoa fazendo o oral dizer 'Se você gostar de algo que eu fizer, diga', ou, tipo, o equivalente gostoso disso.

“Além disso, não ache que o que funcionou com uma vulva vai funcionar com outra. Pergunte regularmente, e não fique magoado se alguém te disser para mudar seu método. Além disso, caras héteros precisam passar menos tempo no buraco, porque a festa não é aí.”

Publicidade

Alex, 26 anos

'Comece de leve – e use bastante saliva'

“Eu diria que você precisa de calma e intuição. Além disso, tenha confiança pra perguntar o que a pessoa quer exatamente porque te excita saber. O melhor jeito de trabalhar essa intuição – e sei que parece banal – é ler as expressões corporais da pessoa. Mas eu sempre começaria de leve. Ah, e use muita saliva.”

Eleanor, 35 anos

'Se você não está relaxada, você não vai gozar'

“Pessoalmente, acho que muito de atingir o orgasmo está na mente – se você tem uma vagina, né. Não tenho ideia de como é como o pênis. Se você não está relaxada, você não vai gozar. É tanto uma coisa mental/emocional quanto física. Se você quer ser bom/boa em sexo oral, tenha certeza que sua parceira está relaxada e conectada. Crie o clima certo. Tente aliviar qualquer pressão que você ou ela possa sentir. Ninguém precisa gozar. Acho que quando essa pressão acaba, você tem mais chances de gozar mesmo.

“Em se tratando da técnica, essa parte é complicada, porque todo mundo gosta de coisas diferentes. É uma questão de aprender o que um indivíduo gosta. Por exemplo, conheço alguém gosta muito de ser penetrada ao mesmo tempo. Mas eu não gosto disso, porque não respondo bem a penetração. Além disso, tipo… seja criativo! Coloque água quente na boca e chupe a pessoa? Experimente tipos diferentes de lubrificante. Sexo é pra ser divertido.”

Rhiannon, 29 anos

'Encontre um movimento repetitivo que dê prazer'

“Explore todos os elementos: tem mais ali que apenas a superfície. Não fique lá eternamente sem saber do que a pessoa gosta. Pergunte, converse, explore. Se você encontra um ponto e a pessoa diz que aí é bom, não saia dali até ela dizer pra sair! Fique ali – e repito, FIQUE ALI. Encontre um movimento repetitivo que dê prazer. E não ache que só acariciar com a língua é superexcitante – às vezes o trabalho é mais pesado. Além disso, obviamente, não chupe alguém que você não quer chupar, ou se sinta obrigado. E não faça piada com o tamanho ou formato.”

Angela, 29 anos

'Não existe um método universal pra chupar xoxota'

“Todo corpo é diferente. Alguns gostam de leve, alguns preferem mais forte, alguns gostam de certas áreas e outros preferem em outras. Então eu diria que não tem uma abordagem universal para fazer sexo oral em alguém. Em vez disso, leva um tempo e exploração do corpo da pessoa. Pergunte se ela gosta do que você está fazendo e experimente coisas diferentes até descobrir do que ela gosta. Além disso, preste atenção na linguagem corporal e resposta. Sério, preste atenção. Se a pessoa ficar excitada com o que você está fazendo, continue. E se você não sabe, pergunte – se comunique.

“Pessoalmente, acho que é bom começar devagar e ir aumentando a intensidade e pressão. Para a maioria das pessoas, prazer vaginal não acontece imediatamente sem algum trabalho. Se esse fosse o caso, a gente ficaria excitada com papa nicolau e absorvente interno. Se você tem uma vagina, ajuda imaginar como você gostaria que alguém te tocasse, e começar daí.”

Publicidade

Rach, 26 anos

'Leve o tempo que for preciso'

“É bem simples, mas vale repetir. Faça: me pergunte o que quero e leve o tempo que for sem qualquer expectativa. Não: não enfie a língua lá e ache que sabe onde fica meu clítoris e que vou gozar em dois minutos porque é isso que você viu no pornô. Sou fã de certos tipos de pornô, mas o pornô mainstream não fez muita coisa pela vida sexual de ninguém quando se trata de expectativas.”

Jo, 24 anos

@daisythejones

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.