Viagens

Como é receber uma massagem feita com facas

Um teste aos benefícios da antiga prática chinesa.

Por Randy Mulyanto
13 Fevereiro 2019, 11:27am

Foto via Shutterstock.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE Ásia.

Dois dias antes da minha consulta, uma funcionária do Centro de Educação da Antiga Arte de Terapia com Facas em Taipé, Taiwan, disse-me para tomar um banho pela manhã antes da minha massagem, lavando só do coração até aos dedos do pé com água morna e sal durante 15 minutos. Isto ajudaria a amaciar os músculos e permitiria que a massagem atingisse pontos mais profundos do corpo. Perguntou-me também a idade e pediu-me uma foto, para que pudessem encontrar o lao shi, ou “professor” em mandarim – como chamam a cada massagista do centro – que seria mais apropriado para mim.

Posso dizer que nunca tinha tido tanto trabalho para receber uma massagem. Mas, na verdade, uma massagem com facas não é uma massagem típica com óleos e um massagista a pressionar-te os nós.


Vê: "Em busca de mocas naturais nas montanhas do Japão"


Esta massagem, que é uma tradição milenar chinesa chamada dao liao, utiliza duas facas de ferro para produzir iões positivos e negativos, tal como no conceito chinês de yin e yang, ou duas forças opostas que formam o equilíbrio de uma pessoa. Yin é uma força negativa e feminina, yang é uma energia positiva e masculina.

Aqui, as facas não têm corte. Os electrões criados pelas facas estimulam meridianos ou pontos vitais do corpo, passam para os nervos e, mais tarde, são transmitidos pelos vasos capilares, que ajudam a renovar o sistema de auto-recuperação – ou pelo menos é o que dizem.

1549342678934-1
O Centro de Educação da Antiga Arte de Terapia com Facas fica no sétimo andar do Cosmos Hotel, em Taipé, Taiwan. Foto pelo autor.

A massagem com facas foi muito popular na dinastia Zhou, de 770 até 221 a.C. Naquele período, as pessoas não consultavam médicos quando se sentiam mal. Voltavam-se para massagens com facas, com recurso a facas verdadeiras. Hoje em dia, à medida que o dao liao conquista terreno em Taiwan, muitos chineses matriculam-se no Centro de Educação da Antiga Arte de Terapia com Facas, onde Hsiao Mei-Fang é presidente, porque a tradição no seu local de nascimento já não é assim tão popular.

Ao começar a sessão, Netty Hsiao, assistente de Mei-Fang, explica o significado dos cinco meteoritos na mesa à minha frente, cobertos com redomas de vidro. Todas as noites, as facas de massagem são colocadas ao lado dessas pedras para serem recarregadas.

Bebo um copo de água quente – conforme me instruíram – antes de Netty guiar a minha mão para tocar uma das pedras. Sinto um certo calor. Depois, ela diz-me para beber um segundo copo, que estranhamente me pareceu amargo. “Vais para a cama muito tarde”, afirma ela como explicação para a água amarga. E tens razão, Netty.

1549342769993-3
O autor (à direita) a fazer um exercício de aquecimento com Netty Hsiao (à esquerda) antes da massagem.

Em seguida, Netty pede-me para fazer dois exercícios de aquecimento. O primeiro consiste em segurar dois pedaços de madeira – que também são recarregados pelos meteoritos – e mover os braços horizontalmente para a frente ao mesmo tempo. Repetimos o exercício 25 vezes. O segundo, agachar-me segurando as madeiras 30 vezes. Estes exercícios devem abrir o qi, portas que permitem que a energia saia e entre no corpo, durante a massagem com facas. "Também ajudam a equilibrar os ossos e órgãos internos", explica Netty.

Depois disto, sentei-me com Mei-Fang para uma consulta sobre o estado actual da minha saúde, para tentar encontrar o melhor tratamento para mim. Seguro as mãos abertas à sua frente, enquanto ela coloca as coordenadas na xian tian yi jing – um tabuleiro chinês de cinco mil anos, baseado no clássico texto chinês I Ching.

Ela coloca o pedaço de madeira dela em pé no tabuleiro, depois pede-me para pousar a mão sobre o tabuleiro para sentir o qi que vem dele. Sinto novamente um calor e ela bate rapidamente em alguns pontos do tabuleiro. Conclui que os meus músculos estão fracos e que não tenho oxigénio suficiente no corpo, o que faz com que me sinta cansado com facilidade. Diz ainda que preciso de mais cálcio para me ajudar a dormir e que o meu telemóvel e computador fazem com que tenha os olhos cansados.

Aconselha-me também a começar a correr e a comer sementes de lótus para consertar o meu corpo e depois envia-me para a parte principal da sessão: as facas.

1549342856152-9
O autor a receber uma massagem com facas. Foto por Netty Hsiao.

Pediram-me para me deitar de bruços e cobriram-me com um cobertor. Até agora, não havia nada de diferente em relação a outras massagens que fiz no passado. Com música calma de fundo, o massagista começou a bater com as facas por todo o meu corpo. Foi surpreendentemente relaxante. O meu corpo foi aquecido durante a massagem, principalmente o pescoço e as costas e acabei por adormecer.

Quando acordei, os meus olhos, pulsos e costas pareciam muito mais leves. O meu pescoço parecia bem menos tenso. Era como se me tivessem tirado um peso do corpo. Senti-me um recém-nascido, como disse Mei-Fang. Valeu os 50 euros? Certamente.

Antes de me ir embora, perguntei a Mei-Fang o que ela achava sobre algumas pessoas considerarem a massagem com facas “estranha”. “É verdade que há algumas pessoas que falam sobre a massagem com facas e questionam: 'O que é isso? É uma loucura? É uma coisa alienígena?'”, realça. E conclui: “E eu aceito isso... mas essas pessoas estão erradas sobre a massagem com facas e eu sei bem o que estou a fazer”.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.