As 25 melhores imagens e os grandes momentos do NOS Alive 2018
Surma no Coreto. Todas as fotos por Sérgio Felizardo.
festivais

As 25 melhores imagens e os grandes momentos do NOS Alive 2018

Três dias de rebuliço no Passeio Marítimo de Algés, num festival que fica para a história.
18 July 2018, 4:44pm

Conseguimos quase todos. Ufa! conseguimos quase todos marcar presença no NOS Alive, mesmo estando completamente esgotado. Mesmo estando completamente esgotado por pessoas cuja intenção é ver uma única banda. Os que ficaram de fora, temos pena! Quantas pessoas é que compram bilhetes para um festival e depois se arrependem? Esperemos que menos do que as que procuram bilhete em cima da hora, porque, financeiramente, seria um mau plano.

É fácil sermos cada vez mais cínicos com o passar dos anos e lamuriarmo-nos sobre a importância das coisas. Neste caso e, em particular, nesta época, sobre a importância dos festivais de música. Será que a intenção central na visita a um evento deste género é ver os músicos ao vivo? Ou será só ouvir as músicas ao vivo com pior qualidade sonora [Nota do Editor: que não foi o caso neste Alive] e mais mal tocadas? Pode ser também só ver muitas bandas de uma vez. A questão é: se não gostam de festivais, deixem os outros gostar.

O NOS Alive tornou-se nos últimos anos o maior festival nacional. Esgotado à partida, é impossível não lhe reconhecer o mérito. E, mesmo que nos custem alguns apertos em áreas menos alargadas do recinto, parece ter a dimensão certa para o que se propõe: três dias com algumas das maiores (e melhores) bandas do mundo. Não assim astronómicas ou intergalácticas, como acontece por vezes naquele da Bela Vista, mas grandonas q.b.. Até porque o público é o mais diverso possível, desde pessoas que passam o Alive nas filas para as ofertas das marcas (ainda assim, nunca comparável ao que acontece noutros sítios] até aos que vêem TODOS os concertos no pequeno palco Coreto.

Destes três bonitos dias da edição de 2018 há muitas coisas a destacar: Nine Inch Nails, Perfume Genius, Real Estate, Sango, Branko, Débora, Yo La Tengo, Surma, aquelas músicas antigas que os Arctic Monkeys tocaram, o meu editor que pagou finos [Nota do Editor: o teu editor também se fartou de te dizer que dos Arctic Monkeys as novas é que foram boas], a malta que conseguiu ir ao Alive e não ver nenhum concerto completo, celebridades que passam o tempo na zona vip a fazer stories para o Instagram, rapaziada que fotografa todos os os neons do recinto e muitas, muitas mais, que guardaremos nas nossas memórias e vocês nas vossas, que é assim que isto funciona e se queres ler resenhas de concertos, há por aí quem as escreva muito melhor que nós.

O NOS Alive é um festival democrático, para muita gente diferente. É só pena que, com todo o respeito, como sói dizer-se, durante cerca de duas horas tenhamos todos ter tido que levar EXCLUSIVAMENTE com os Pearl Jam [Nota do editor: e com aquela versão aterradora de "Comfortably Numb", dos Pink Floyd] e que, por isso, os concertos incríveis de At the Drive-In e Perfume Genius, tenham sido muito mais curtos do que o que era suposto. De resto, tudo de bom. Foi: beber cerveja e curtir um som. Para o ano há mais, de 11 a 13 de Julho e os bilhetes já estão à venda.

Abaixo podes ver mais alguns dos melhores momentos que captámos no NOS Alive 2018.

Surma

Mike El Nite

At The Drive-In

Perfume Genius

Yo La Tengo


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.