Gender DetoNation: "performance, cinema, punk, techno, pop, comida, tatuagens e uma piscina"
"American Spectral History", de Amber Bemak e Nadia Granados. Imagem cortesia Rabbit Hole
Identidade

Gender DetoNation: "performance, cinema, punk, techno, pop, comida, tatuagens e uma piscina"

A ZDB, em Lisboa, recebe a estreia da nova plataforma artística do colectivo Rabbit Hole.

É uma plataforma artística. É um manifesto. É um murro nas trombas do "português normal", como diz o outro, uma acção de guerrilha, uma lufada de ar fresco, só que quente, como o fogo dos infernos. Pelo menos, é isso que se espera do novo projecto do colectivo/associação Rabbit Hole, que é amanhã, 28 de Julho, apresentado na ZDB, em Lisboa, num evento que mistura cinema, performance, música e leituras. Chama-se "Gender DetoNation" e, de acordo com os criadores, "explora os mecanismos geopolíticos do poder, como o imperialismo e a globalização, media, relações e intimidade, corpos e encontros sexuais".

Publicidade

Nada de estranho, aliás, se atentarmos nas premissas em que assentou o aparecimento da Rabbit Hole no panorama nacional. "Inspirada nas noites queer-trash das grandes urbes, nasce em Lisboa uma estrutura que dá espaço aos queers e às prostitutas, amantes da arte, do core, da artcore e do hardcore, cyborgues, genderfuckers e rave-feministas. De um antro de fusão de lasers e purpurina, a Rabbit Hole surge para celebrar esta Existência, de forma plena e bem recheada pelas forças criativas que nos permitem continuar a afirmar. Sim. A tudo!".

A Rabbit Hole é agora uma estrutura de programação vasta e variada, reiterando a necessidade de traduzir estas vontades em muitas e cada vez mais formas de expressão. E é dessa necessidade que emerge o evento multifacetado Gender DetoNation, "uma noite de destruição de barreiras e de corpos em expansão. Performance, cinema, punk, techno, pop, comida, tatuagens e uma piscina".

Logo a abrir, às 18h30, os investigadores Bruno Marques, Mariana Gaspar, Luís Mendonça e Sabrina D. Marques marcam presença no terraço da ZDB para apresentarem um resumo em vídeo dos momentos altos do ciclo Género & Identidade, que teve lugar entre os dias 15 de Fevereiro e 19 de Julho, no cinema Nimas. A colaboração com os cinemas Medeia e a Leopardo Filmes resultou numa selecção de filmes clássicos e contemporâneos, repartidos entre quatro capítulos - "(RE)DEFINIÇÕES DO FEMININO", "WOMEN POWER", "SUBJUGAÇÃO E VIOLÊNCIA" e "QUEER & TRANSGÉNERO".

Seguem-se leituras de textos por Paula Lovely e a estreia das artistas Amber Bemak (EUA) e Nadia Granados (México/Colômbia) em Portugal, com a performance "American Spectral History", um espetáculo multimédia queer sobre terrorismo, xenofobia, as relações EUA/América do Sul e a resistência ao poder do patriarcado (teaser abaixo).

Depois de um programa de cinema, há ainda espaço para a performance de Pombo D'Zplanada e @s Cães Pessunhentos e para o concerto da rapper/performer Gnučči, artista sueca nascida em Belgrado, "conhecida pela sua forma única de criar e dominar novas sonoridades, seja dance music, hip hop ou rap". A noite termina (ou não) com a música de Odete.

Podes consultar toda a programação do Gender DetoNation aqui.