O gótico nunca morreu, porque sempre esteve morto