Sexo

Trabalhadoras sexuais levantaram centenas de milhares de dólares com nudes pra combater as queimadas na Austrália

Essas mulheres estão vendendo nudes em troca de provas de doação para os esforços contra os incêndios na Austrália.
08 Janeiro 2020, 10:00am
Australian bushfires.
Getty Images 

A modelo do OnlyFans de 20 anos Kaylen Ward começou uma tendência: com uma foto do bumbum que já foi vista no mundo todo, ela diz ter levantando mais de US$ 500 mil em apenas três dias para os esforços contra os incêndios florestais na Austrália.

Os incêndios descontrolados na Austrália destruíram mais de um milhão de hectares, matando cerca de 480 milhões de animais na Nova Gales do Sul e 20 pessoas, incluindo três bombeiros.

Ward prometeu mandar um nude para qualquer pessoa que enviasse prova de doação de pelo menos US$ 10 para uma organização apoiando os serviços de bombeiros e resgate na Austrália. Levantar tanta grana com um nude de cada vez é uma baita conquista, mas ela também incentivou outras modelos a fazer o mesmo – e elas estão levantando muito dinheiro para a causa.

Emmy Corinne, outra modelo do OnlyFans e atriz, disse ao Motherboard que se inspirou em Ward e “queria fazer algo que trouxesse ação e atenção imediata para uma causa, e possivelmente um novo meio para mulheres gerarem uma mudança no mundo”.

Até agora, Corinne diz ter levantando US$ 10 mil e contando.

Jenna Lee, outra modelo que se juntou ao esforço, estima que levantou US$ 40 mil em dois dias desde que postou a oferta de doações.

Ward disse ao Buzzfeed News que alistou várias pessoas para ajudá-la a lidar com as mensagens e doações, verificando se as notas fiscais eram verdadeiras. Ontem, o Instagram desativou a conta de Ward, dizendo que ela desrespeitou as regras da plataforma contra conteúdo “sexualmente sugestivo” (Ward negou ter desrespeitado as regras do Instagram para o Buzzfeed).

Um porta-voz do Facebook disse a Motherboard: “Essa conta foi desativada por violar nossas políticas. Oferecer fotos de nudez não é permitido no Instagram”.

O Instagram é notoriamente hostil com trabalhadores sexuais, mesmo que eles não estejam postando nudes ou conteúdo sugestivo, ou fazendo propaganda de seus serviços na plataforma. Não é surpresa que o Instagram tenha derrubado a página de Ward, especialmente depois que ela viralizou, mas é uma decepção que a plataforma esteja impedindo uma campanha de filantropia de tanto sucesso de se espalhar, enquanto grandes empresas de pornô como o Brazzers continuam operando no site sem qualquer problema.

Além de ter sua conta desativada, Ward se tornou alvo de trolls e assédio no Twitter, com pessoas querendo humilhá-la por usar seu corpo para levantar dinheiro. Isso foi algo que Lee considerou antes de lançar sua campanha de doações baseada em nudes.

“Antes de começar minha campanha, analisei os prós e contras – contras sendo ter minha conta deletada ou trolls usando minhas imagens para fazer chantagem”, disse Lee. “Determinei que a crise climática e a Austrália valiam a pena toda a repercussão.”

Ela disse que algumas pessoas começaram a revender seus nudes depois de recebê-los. “Mas para cada pessoa sem caráter, há milhares de pessoas de bom coração”, disse Lee. “A quantidade de pessoas que se juntaram para defender a causa é insana. No final das contas, eu faria tudo de novo. Levantar mais de US$ 35 mil valeu a pena pra mim.”

Corinne disse que não experimentou tanto assédio com sua campanha, mas está ignorando toda a negatividade que pode. “Acho isso tudo incrível, e enquanto a mudança estiver acontecendo, não vou julgar ninguém”, disse Corinne. “Se posso usar meu corpo e minha plataforma para o bem, vou ajudar o máximo que puder.”

“Como tenho uma base de seguidores bem considerável, decidi usá-la para uma boa causa”, disse Lee. “E acho que se você tem uma grande plataforma, é sua responsabilidade fazer o mesmo.”

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.