Entretenimento

'Pantera Negra' ultrapassa a bilheteria de 'Titanic'

Isso prova que filmes diversos podem e atraem multidões.
09 Abril 2018, 9:10pm
Stills de 'Pantera Negra' e 'Titanic'. Crédito: divulgação.

Pantera Negra vem destruindo recordes por todo lado desde que estreou. Como publicamos em fevereiro, o filme teve “a quinta maior bilheteria de estreia nos EUA, o maior fim de semana de abertura de fevereiro, o maior fim de semana de abertura do inverno, a maior abertura no fim de semana do Dia do Presidente, a maior bilheteria de pré-estreia de quinta-feira e o maior filme de segunda-feira da história”.

Mas a coisa não para aqui. Semana passada Pantera Negra se tornou o primeiro filme a ser exibido na Arábia Saudita em 35 anos, e nesta segunda (9) se tornou a terceira maior bilheteria da América do Norte. Não era uma tarefa fácil, considerando que o filme que ele ultrapassou é um favorito perpétuo dos desesperadamente românticos e entusiastas marítimos, Titanic. O Hyperbeast informou que onde Titanic fez por volta de US$ 659,4 milhões, Pantera Negra ranqueia em 665,4 milhões de dólares. Agora ele só está atrás de Star Wars: O Despertar da Força (936,7 milhões de dólares) e Avatar (760,5 milhões de dólares).

Reiterando: é um fenômeno. Titanic tem dois protagonistas brancos numa história bem branca: uma mulher extremamente privilegiada parte numa longa viagem de navio numa cabine da primeira classe, escapa de sua família manipuladora para 'conhecer' as classes mais baixas com um cara de rosto incrivelmente simétrico, que aí aprende a usar corretamente todos os 12 talheres numa refeição de múltiplos pratos, mas não como colocar duas pessoas numa porta enorme boiando no oceano congelante. Aproveite e assista essa edição de 54 segundos de todas as pessoas não brancas que falam no filme de 3 horas e 15 minutos:

Pantera Negra é a antítese de tudo isso. O elenco é predominantemente negro interpretando super-heróis, o foco afrofuturista oblitera e subverte esteriótipos brancos que já encheram o saco. Citando Charlie Brinkhurst-Cuff, o filme é, francamente, “um foda-se radical”. Ver o longa substituir Titanic de maneira tão tangível só deixa o progresso ainda mais claro. Isso prova que filmes diversos podem e atraem multidões. O que não deveria ser surpresa – mas considerando a história dominada por brancos de Hollywood (e, infelizmente, o presente), é um lembrete forte que não vai passar batido.

E honestamente, você imagina o Rei T'Challa não percebendo que tinha espaço suficiente pra quatro pessoas naquela porta? Não.

Siga a VICE Brasil no Facebook,Twitter e Instagram.