Publicidade
Motherboard

Tem gente usando estufa de maconha para refrigerar o PC minerador de Bitcoin

Barato, fácil e muito barulhento.

por Matthew Gault; Traduzido por Thiago “Índio” Silva
06 Março 2018, 4:42pm

Minerar bitcoins é um fervo só. Literalmente. Os mineradores obtém criptomoedas ao usar placas de vídeo que solucionam complicadas equações matemáticas e isso, como você deve saber, deixa a plaqueta rodando a mil. É tanto calor que pode levar a quedas no desempenho ou até mesmo fritar a coitada.

A coisa piora quando são inseridas mais placas. Tantas máquinas minerando próximas umas das outras puxa muita eletricidade e pode aumentar a conta de luz a ponto de tornar a tarefa deficitária.

Para solucionar esse grande problema da sofrida vida dos mineradores virtuais, vários deles estão na busca de soluções criativas de resfriamento. O mais inusitado e mais caro deles é do usuário do Reddit que gastou 120 mil dólares para criar um tanque de óleo de mineral para resfriar sua máquina.

Agora a mais legal que encontramos até então foi o uso de uma espécie de mini-estufa de mylar (tipo de película de poliéster) cujo intuito original é cultivar maconha e custa só 40 dólares..

O YouTuber Yuri Murakami comprou uma dessas pela internet, meteu sua mineradora lá dentro e contou com o auxílio de um sistema de dutos para levar ar frio e retirar ar quente da gambiarra. No final das contas, o troço fica parecendo um ar-condicionado discretinho, como podemos ver no vídeo.

“Este cômodo costumava ficar com uns 29 graus sem a mineradora”, disse Murakami. “Não tem ar-condicionado aqui. Com esta nova solução em refrigeração, pude aumentar o número de placas de vídeo, que era de seis 1080 Ti para 12 1080 Ti e a temperatura no local baixou significativamente. O aparelho funciona muito bem, recomendo.”

Essas estufas portáteis há tempos vem servindo como alternativa discreta para o agricultor maconheiro suburbano que busca maior controle de temperatura, luz e calor gerado pela sua hortinha. O interior em revestimento reflexivo mantém o calor e a luz ali; já suas saídas de ar redirecionam o cheirinho característico da erva do capeta em fase de crescimento.

A ideia de Murakami é só a mais recente numa longa linha de alternativas de resfriamento para mineradoras. Ele não é o único e muito menos o primeiro a investir nesta solução em específico. Ao passo em que as criptomoedas vão ficando cada vez mais populares, acaba por engolir um pouco de tudo: de nossas redes elétricas à peças gamers para PC, instituições beneficentes e agora apetrechos para cultivo de maconha.

“No instante em que abro a estufa, a temperatura sobe”, disse Murakami. De acordo com ele e outros YouTubers, o único problema destas estufas e o uso concomitante de um sistema de ventoinhas é o ruído que a coisa toda gera. “Funciona bem, mas faz um pouco de barulho por conta das placas. As outras ventoinhas ligadas em linha são até mais silenciosas que elas.”

Leia mais matérias de ciência e tecnologia no canal MOTHERBOARD .
Siga o Motherboard Brasil no Facebook e no Twitter .
Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram .

Tagged:
Bitcoin
Baseado em Fatos
BTC
growers
Mineração