Lady Gaga está pronta para dominar o mundo

Com cinco indicações e um prêmio no Globo de Ouro por 'Nasce uma Estrela', a estrela do pop está prestes a ser a cantora preferida da sua vó.

por Kara Weisenstein; Traduzido por Marina Schnoor
|
jan 7 2019, 7:04pm

Foto: Valerie Macon/AFP/Getty Images

Os little monsters da Lady Gaga foram de longe o fandom mais empolgado no anúncio das indicações ao Globo de Ouro ano passado — no chat ao vivo, no Twitter e na entrevista coletiva em si. Toda vez que era mencionado, Nasce uma Estrela fazia o público comemorar (o evento aconteceu às 5h30 da matina em Los Angeles, então isso significa alguma coisa). Um monte de comentários na página do feed ao vivo do Globo de Ouro no Facebook eram só trechos da letra de “Shallow”, o grande single do remake de Gaga e Bradley Cooper.

E os fãs foram recompensados. Nasce uma Estrela teve cinco indicações ao Globo de Ouro, incluindo duas para a própria artista. A premiação aconteceu na noite deste domingo (6), e Gaga e Cooper venceram o prêmio de Melhor Música Original por “Shallow”. Com um vestido azul e bufante, a Cinderela Gaga mais uma vez chamou a atenção pela simplicidade em contraste com a excentricidade de seu começo de carreira.

Com uma década de carreira, Gaga com certeza é uma das maiores estrelas do mundo agora. A Rolling Stone a chamou de “Rainha do Pop” em 2011. Em 2012, o jornalista de música Rob Sheffield escreveu: “É muito difícil lembrar um mundo em que não tínhamos a Gaga, mas com certeza era bem mais chato”. Em 2015, a TIME apontou que “Lady Gaga praticamente inventou a era atual da música pop como espetáculo”, e dava crédito a ela pela tendência de apresentações gigantes de cantoras como Katy Perry e Miley Cyrus. Gaga até tem duas espécies de samambaias batizadas com seu nome.

Lady Gaga nos ensinou que parte do espetáculo do estrelato do pop é reinvenção. Em 2015, Kelefa Sanneh escreveu na The New Yorker que “Lady Gaga abriu caminho para astros do pop truculentos tratando sua própria celebridade como um projeto de arte em evolução”. Seja chegando no Grammy num grande ovo transparente, ou se apresentando no MTV Video Music Awards como Jo Calderone, sem quebrar a quarta parede nenhuma vez, ela vem se metamorfoseando e experimentando como um jeito de enriquecer sua arte.

Ela vem subindo as apostas nos últimos anos, fazendo uma apresentação incrível no Oscar de 2015, ganhando um Globo de Ouro em 2016 por sua atuação em American Horror Story: Hotel, se apresentando com centenas de drones no show de intervalo do Super Bowl de 2017, estrelando um documentário, lançando mais músicas e fazendo turnê pelo globo, se preparando para uma residência de dois anos em Las Vegas, e claro, estrelando como Ally ao lado de Cooper em Nasce uma Estrela, que provavelmente vai colocá-la na corrida pelo Oscar, além das indicações e o prêmio no Globo de Ouro.

A Gaga é do tipo que tenta demais. Ela trabalhou quase incansavelmente para expandir sua pegada de celebridade, e tem sido extremamente estratégica com suas reinvenções. Às vezes essas experimentações fizeram muita gente olhar torto, mas a última parece ser um retorno genuíno às raízes da cantora. Como ela mencionou em seu discurso no Globo de Ouro de 2016: “Eu queria ser atriz antes de querer ser cantora, mas a música deu certo antes”. Quando ela ainda era Stefani Germanotta, Gaga estudou atuação na Tish School of the Arts da NYU, e a ascensão dela ao estrelato é uma coisa com que a maioria dos aspirantes a artistas só podem sonhar. Gaga não é discreta sobre sua busca para se tornar a artista com mais títulos ante do nome do mundo, mas sim, ela está conseguindo.

O jeito como Gaga vem conquistando Hollywood fez alguns fãs desenharem comparações com Madonna, que inclusive disse a Dick Clark em 1984 que o objetivo de carreira dela era “dominar o mundo”. Gaga claramente está preparando terreno para fazer o mesmo. Esse prêmio sendo outro passo para ganhar essa posição.

Nasce uma Estrela a colocou no mapa de muitos e muitos ouvintes casuais que não se identificariam como fãs da Gaga antes do filme. Agora as discussões sobre a cantora saíram da internet e foram parar na mesa do almoço dominical de família. É uma performance impressionante mesmo, e o troféu é merecido. Gaga é uma ameaça tripla fidedigna que merece seu superestrelato.

Siga a Kara Weisenstein no Twitter.

Matéria originalmente publicada na VICE US.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais VICE
Canais VICE