Leia

Entrevista VICE: Mike Skinner

Papeamos sobre apocalipse robô, cantar Beatles e alto-falantes caros com o vocalista do The Streets.
22 Dezembro 2016, 1:00pm

Essa é a entrevista VICE. Fazemos as mesmas perguntas para uma pessoa famosa e/ou interessante numa tentativa de saber o que se passa na mente delas.

Quatorze anos depois do lançamento de Original Pirate Material do The Streets, os dias hedonistas de Mike Skinner ficaram para trás. O músico nascido em Birmingham trocou o lad-rap sarcástico e as putarias pela paternidade e sets de DJ na Tonga, a festa que ele organiza com o pessoal do Murkage. Esse cara tem histórias pra contar, e felizmente estava disposto a compartilhar algumas delas com a gente.

VICE: Por que você terminou com sua primeira namorada?
Mike Skinner: Bom, na primeira metade da vida nunca terminei com ninguém. Surpresa! Lembro que meu pai dizia: "Quando você é adolescente, as garotas podem fazer o que quiserem e você tem que deixar".

Qual foi sua pior fase?
Provavelmente quando eu tinha 28 anos, acho. Foi clichê e obviamente coincidiu com uma coisa bem bizarra em que eu estava envolvido. Acho que tem alguma coisa aí, tipo, você ainda é muito juvenil mas consegue ver onde as coisas vão terminar. Você está batendo na porta dos 30 e acho que isso te deixa imprudente. É, fiquei bem loucão naquele ano. Se eu fosse morrer por uma cagada qualquer provavelmente teria sido naquele ano.

Quantas pessoas já se apaixonaram por você?
Eu diria, tipo, sete. É mais que cinco, mas menos que 10. Qual a média? Vocês fazem uma média? Ninguém diz 15, né? Acho que posso dizer 15 na verdade. Que resposta escrota.

Em que teoria da conspiração você acredita?
Geralmente tiro sarro de teorias da conspiração, mas na verdade acho que sou um teórico da conspiração – mas em negação. Claro, não acredito que eles forjaram o pouso na Lua. Não acredito nisso. Mas acho mesmo que teve alguma coisa escrota no 11 de Setembro. Acho que os prédios foram demolidos, pelo jeito como caíram.

Em que momento da vida você foi dominado pelo medo?
Quando era moleque eu queria ser DJ e fiz uma festa com um amigo num pub, e todo mundo da escola estava lá. Acho que tínhamos 16, 17 anos. Foi a primeira vez que fui DJ, sabe, sem ser sozinho no meu quarto. Tinha um monte de gente da escola, todo mundo dizendo "Quem diabos você acha que é?", sabe. Não consegui controlar meu medo. Minhas mãos estavam tremendo muito. Felizmente fiz a apresentação junto com o meu amigo. Ele conseguia tocar. Mark Kinchin, se você estiver lendo, obrigado por salvar meu set de 90 minutos de house. O que mais me assusta e dirigir na estrada, para ser honesto. Não sei dirigir, mas sempre penso "Como você consegue dirigir na estrada sem ficar apavorado?". Você pode morrer.

No último mês, qual foi o mais tarde que você dormiu?
Esse é o desafio da minha vida agora. Nos finais de semana, como sou DJ, saio de casa uma ou duas da manhã, e geralmente só chego às 7. Não consigo dormir assim que chego. Às vezes durmo à tarde.

Qual a coisa mais legal que você tem?
Tenho um conjunto da alto-falantes ATC. Coisa de nerd, né? Com os anos juntei bastante coisa de estúdio, e cerca de um ano atrás troquei tudo pelo melhor conjunto de alto-falantes que você pode imaginar. Eles são uma delícia.

Qual seria sua última refeição?
Um jantar de Natal.

Você transaria com um robô?
É. Os robôs vão dominar o mundo, né? Eles provavelmente vão matar todos nós. Foda-se as mudanças climáticas. Vai ser os robôs. Os robôs vão varrer os humanos da face da Terra.

Mike Skinner se apresentando no festival Slottsfjell em 2009 (imagem por E. Birkedal ).

Se você fosse um lutador de vale-tudo, que música tocaria quando você entrasse no ringue?
"Hurt" do Johnny Cash.

Qual o machucado ou doença mais foda que você teve?
Quebrei os dois braços uma vez. Um atrás do outro. E assim acabou minha carreira no skate. Mas comecei a tocar guitarra depois.

Você acha que drogas podem te fazer feliz?
Não. Acho que isso é um pêndulo, e acho engraçado, engraçado pacas, mas não quero dizer engraçado/estranho. Engraçado háháhá. Acho que se você está se sentindo infeliz, é melhor tentar balançar o pêndulo de uma maneira menos extrema, tipo fazendo exercícios e parando de comer açúcar, não chapando.

Que filme ou programa de TV já te fez chorar?
Fiquei bem emotivo no final de Breaking Bad. Eu estava acompanhando o Walter há tanto tempo naquele ponto que só queria quebrar a cara de todo mundo.

Se você tivesse que desistir do sexo ou de beijar, o que seria?
Provavelmente o primeiro. Escolha difícil, mas já tenho dois filhos incríveis, então...

Qual a lembrança da escola que mais te marcou?
Quando eu era bem moleque, meu irmão fez uma apresentação cantando "Yellow Submarine" na escola e todo mundo estava cantando "We all live in a yellow submarine", e eu estava cantando junto, me sentindo todo orgulhoso por saber a letra. A música acabou e eu continuei cantando a plenos pulmões. Foi a maior vergonha que passei na vida. Dali em diante, como um vilão desprezado, sempre presto atenção até onde vai o refrão no final de uma música.

@natalie_hughes

Tradução: Marina Schnoor

Siga a  VICE Brasil no _ Facebook _, Twitter e Instagram.