Noticias

Boletim Matutino da VICE

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.
09 Agosto 2018, 11:01am
Wikimedia Commons

Eleições

Primeiro debate entre presidenciáveis acontece hoje; presença do PT é dúvida.

O primeiro debate televisivo eleitoral deste ano acontece às 22h desta quinta-feira (9) na Band - o pleito deve ter nove debates nacionais durante o primeiro turno. Segundo a legislação eleitoral, os organizadores dos debates são obrigados a convidar todos os candidatos cujos partidos ou coligações têm ao menos cinco parlamentares entre os 513 deputados federais e 81 senadores. Neste momento, nove das 13 candidaturas oficialmente apresentadas atendem esse requisito. Os participantes confirmados no debate da Band são Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede). Só não deverá estar na Band o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso há quatro meses e potencialmente inelegível. O PT entrou na Justiça para levar o ex-presidente ao debate. – UOL

Coligação de Alckmin vai receber metade do novo fundo partidário

A coligação de nove legendas que se formou em torno da candidatura presidencial de Geraldo Alckmin (PSDB) receberá a metade do novo fundo de campanha que, nos próximos dias, injetará R$ 1,72 bilhão de dinheiro público nas contas dos partidos. Se na divisão da propaganda eleitoral na TV o tucano já detém a maior parte, 44%, a fatia da verba do chamado "fundão" é maior ainda, 48%, o que totaliza R$ 828 milhões. A segunda maior fatia do "fundão" irá para a coligação capitaneada pela candidatura presidencial do PT --R$ 270 milhões. Hoje líderes nas pesquisas nos cenários sem o ex-presidente Lula, Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) são de partidos nanicos e conseguiram, cada um, apenas outro nanico como apoiador. Com isso, suas chapas terão valores pequenos, em comparação ao bolo geral — R$ 13 milhões e R$ 35 milhões, respectivamente. – Folha de S. Paulo

Brasil

STF aprova reajuste de 16% para ministros da Corte em 2019

Em sessão administrativa na noite desta quarta-feira (8), os ministros do Supremo Tribunal Federal aprovaram, por 7 votos a 4, a inclusão do reajuste de 16,38% nos próprios salários na proposta de Orçamento para o próximo ano. O salário dos ministros hoje é de R$ 33,7 mil e serve como teto para todo o funcionalismo público. A decisão é um primeiro passo para o reajuste ser garantido. A concessão do aumento salarial depende de aprovação de projeto de lei pelo Congresso Nacional. O reajuste dos salários do STF abre a possibilidade de aumentos salariais em todo o Judiciário, já que a remuneração dos ministros serve como limite máximo de vencimentos para juízes, desembargadores e membros do Ministério Público nas diversas instâncias da Justiça. – UOL

Presos mantêm 11 reféns em motim em Taubaté, no interior de SP

Dois agentes penitenciários e nove voluntários de igrejas evangélicas são mantidos reféns há mais de 16 horas em um motim de presos no Centro de Detenção Provisória de Taubaté, no Vale do Paraíba, interior paulista. Segundo a SAP, um grupo especializado de agentes penitenciários “está dentro da unidade a postos”, e a direção negocia com os presos amotinados. Os detentos começaram o motim por volta das 15h desta quarta-feira (8). Dois agentes penitenciários e 12 voluntários de igrejas evangélicas foram feitos reféns — três deles já foram liberados. O Centro de Detenção Provisória Dr. Félix Nobre de Campos tem 1.521 detentos, mas capacidade para pouco mais da metade disso: 844 pessoas. – Folha de S. Paulo

Polícia prende segundo suspeito da morte da policial Juliane em SP

A polícia prendeu mais um suspeito de envolvimento no assassinato da policial militar Juliane dos Santos Duarte, 27, encontrada morta na noite de segunda-feira (6) na zona sul de São Paulo. Ela estava desaparecida havia cinco dias. O corpo da soldado foi achado dentro do porta-malas de um carro no bairro de Jurubatuba, a 8,5 km de onde havia sido vista pela última vez, em Paraisópolis, favela com pouco mais de 60 mil habitantes. O novo suspeito foi detido na noite desta terça-feira (7) e teve a prisão temporária pedida à Justiça. O homem foi identificado como Felipe Oliveira da Silva e, segundo as investigações, seria a pessoa que abandonou a moto da soldado em Pinheiros, na zona oeste, logo após o desaparecimento da PM. – Folha de S. Paulo

Assembleia do Rio aprova projeto de política estadual de controle de armas

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou, na tarde desta quarta-feira (8) um projeto de lei que cria uma política estadual de controle de armas de fogo, peças e componentes, e de munições. O projeto, de autoria de integrantes da CPT do Tráfico de Armas, seguirá, agora, para a sanção do governador Luiz Fernando Pezão. A proposta determina que todas as armas utilizadas pelas forças de segurança pública ou pelas empresas de segurança privada tenham chips eletrônicos de identificação. Os chips devem conter informações como o fabricante e o nome do proprietário. O projeto também obriga que todo armamento tenha um Número de Identificação de Arma de Fogo (NIAF), preso no guarda-mato ou em outra parte mais conveniente e segura. – O Globo

Justiça libera casal para plantar maconha para medicar filho com epilepsia no Paraná

A Justiça Federal permitiu a um casal do interior do Paraná o plantio, cultivo e extração de maconha para o tratamento médico do filho, de dez anos. O habeas corpus permite, sob prescrição médica, a importação de sementes suficientes para a produção caseira de 16 plantas ricas em canabidiol (CBD) e com baixo teor de THC, ou seja, sem efeitos psicoativos. O menino tem fortes crises convulsivas desde os quatro anos, segundo a mãe, mas desde que começou o tratamento com canabidiol, em 2014, passou de oito convulsões diárias para duas convulsões por semana. – G1

Mundo

Senado rejeita proposta e aborto segue sendo crime na Argentina

O Senado da Argentina rejeitou na madrugada desta quinta-feira (9) o projeto de lei que legalizaria o aborto no país. Após uma sessão de cerca de 16 horas, ele foi recusado no Senado por 38 votos contra, 31 a favor e duas abstenções. Pela proposta aprovada pela Câmara e, agora rejeitada no Senado, seria possível interromper a gravidez durante as primeiras 14 semanas de gestação. A interrupção voluntária da gravidez é crime na Argentina, a não ser em casos de estupro e que ofereçam risco à vida da mãe. Nos demais casos, a prática é penalizada com até quatro anos de prisão para a mulher e para o médico. – G1

Michelle Bachelet é indicada nova chefe de direitos humanos da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, indicou nesta quarta-feira (8) a ex-presidente do Chile Michelle Bachelet para ser a nova chefe de direitos humanos da organização. A indicação de Bachelet agora precisa ser aprovada pela Assembleia Geral da ONU, composta por 193 membros. Caso seu nome seja confirmado, ela substituirá Zeid Ra'ad al-Hussein, da Jordânia, que vai deixar o cargo no final do mês após um mandato de quatro anos em Genebra. Bachelet, vítima de tortura durante a ditadura de Augusto Pinochet, presidiu o Chile duas vezes desde a retomada da democracia no país em 1990. – Folha de S. Paulo

Estados Unidos impõem sanções à Rússia por ataque a ex-espião na Inglaterra

O Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (8) que vai impor sanções ao governo da Rússia, de Vladimir Putin, pelo envenenamento do ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia. O incidente ocorreu em 4 de março, na Inglaterra, e ambos sobreviveram. A porta-voz do departamento, Heather Nauert, disse que o governo da Rússia usou armas químicas ou biológicas "contra seus próprios compatriotas" e "violando a lei internacional". O governo russo nega as acusações. As sanções começarão a ser aplicadas em 22 de agosto. Os EUA devem banir permissões para a exportação de bens importantes de segurança para a Rússia, entre outras medidas. – G1