Publicidade
Munchies

Um neonazi de Seattle levou um soco depois de jogar uma banana num cara

Bananas têm uma história sombria ligada a tropos racistas.

por Nick Rose; Traduzido por Marina Schnoor
20 Setembro 2017, 12:00pm

Esta matéria foi originalmente publicada na MUNCHIES US .

Apesar de parecer inócua, a banana, além de ter benefícios nutricionais e associações com instabilidade política, frequentemente é empregada como símbolo racista, usada em incidentes históricos de intolerância, seja lançada contra um jogador de futebol negro, usada para escrever gírias racistas e, no começo do ano, pendurada em laços de forca depois que uma mulher negra foi eleita presidente do governo estudantil da American University.

Agora, a fruta tropical aparece como um instrumento de outro evento perturbador nos EUA. Segundo o semanário alternativo de Seattle The Stranger, no domingo, um homem usando uma braçadeira vermelha com uma suástica estava sendo "agressivo" e "gritando ao estilo Alex Jones" com pessoas na rua. Quando um espectador anônimo da cena gritou para o neonazi "dar o fora da nossa cidade", o portador da suástica teria respondido chamando o homem – que era branco – de "macaco" e jogando uma banana nele.

Inevitavelmente, as coisas esquentaram e, como você vê num vídeo postado no World Star Hip Hop, o nazi acabou nocauteado com uma muqueta no queixo.

Redes sociais foram usadas para rastrear o cara; uma foto do suspeito usando a braçadeira de suástica emergiu no Twitter no começo do domingo, junto com acusações de que ele teria agredido verbalmente um homem negro no ônibus.


"Nazista otário visto na Linha D indo para o centro #Seattle
Quem mandou a foto disse que ele estava assediando um homem negro no ônibus."


"Hoje na Pine com 3rd em Seattle: babaca com uma suástica nazi estava cuspindo veneno racista, levou um soco de um pedestre. O ônibus parou para aplaudir."

O morador de Seattle Sean Patrick Duff, uma testemunha que estava "muito chapado de 800 mg de THC" e a caminho de assistir Em Ritmo de Fuga na hora do incidente, disse ao The Stranger que "Todo mundo ficou feliz" depois que socaram o neonazi. "Foi como um laço formado na comunidade."

Duff também confirmou que depois que o cara da suástica acordou, ele pediu ajuda, que foi negada por espectadores da cena que o chamaram de "lixo nazi".


"um tempo depois, ele estava com muito medo de usar seu ódio descaradamente..."

A polícia de Seattle eventualmente confirmou a história, e disse que o neonazi tirou a braçadeira e não quis discutir o incidente com os oficiais.


"Por volta das 16h do domingo, o DPS recebeu relatos de um homem usando uma braçadeira com a suástica, instigando brigas na 3rd Avenue/Pine."


"A polícia chegou em 5 min e o encontrou no chão. Ele se recusou a dar informações sobre o incidente e foi embora depois de tirar a braçadeira."


"Ninguém na cena contatou a polícia para dar queixa."

Um usuário do Twitter, identificado apenas como @teethnclaws, disse ao BuzzFeed News que o cara da braçadeira foi "neutralizado" como resultado direto de uma campanha online para rastreá-lo. "Eu diria que identificamos, rastreamos e nos coordenamos para neutralizar um perigo em Seattle. Tendo coordenado o soco em si ou não, eu aplaudo nosso herói anônimo."

Esse caso de violência desencadeado por banana não é o primeiro envolvendo comida, enquanto cresce o ímpeto por discurso político extremo no clima altamente polarizado da América na era Trump/Charlottesville.

Mês passado, um bolo escrito "Kill Nazis" levou a ameaças de morte e uma enxurrada de mensagens de apoio para um confeiteiro da Califórnia depois do caos em Charlottesville. E no começo do ano, um bar de Portland expulsou um suspeito de ser neonazi de seu estabelecimento depois que ele começou a fazer um discurso antissemita.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.