As 10 apostas para o hip hop 2018 por Rap Falando

O Terror dos Meme está grávido de futuro e elenca os potenciais criadores de hinos para o ano que se aproxima.

|
03 janeiro 2018, 12:00pm

Salve carai! Mais um ano se passando, graças a Deus a gente tá com saúde e aquelas coisa toda.

Em resumo, o famigerado Ano Lírico parece ter trazido uma nova perspectiva pra cena, com os artistas dando um carinho maior para o que lançam na pista e uma expansão loka (em quantidade) do público. Com isso, grandes obras e ótimos artistas de todo o território nacional ganharam notoriedade.

Tivemos Baco, niLL, Don L, Djonga, Flora Matos e a ascensão de vários novos artistas como Choice, Xamã e a rapa da Recayd Mob, por exemplo. Esse estouro me dá uma expectativa bem dahora do que pode vir no ano que chega. Portanto, decidimos colar no rejunte pra indicar alguns artistas que mostraram potencial pra chegar foda em 2018.

No mais é isso, rapaziadinha. Esperamos que 2018 seja tão bom quanto 2017 pra cena do rap nacional e muitos artistas — além dos citados — ganhem o devido reconhecimento. Desfrutem da lista que tá O BICHO, e aproveitem as festas de fim de ano daquela forma. Fé e fogos pra geral!

Pega a visão:

SOUTO MC

A caneta da Souto é pesadíssima e não é a toa. Ela estuda e aprecia a lírica da velha guarda do samba. Um dos seus diferenciais é o flow invejável (vide Selena e Mambo). Em breve poderemos vê-la em Poetisas no Topo e no seu próximo trampo "Espelho". Com sua bagagem na cena e os projetos que chegam, 2018 certamente é o ano da MC da zona leste de SP.

Segue a Souto MC no Facebook .

SOLVERIS

O grupo capixaba foi a melhor supresa pra mim esse ano <3. Em janeiro eles lançaram o EP Janelas, Acenos & Arquivos , que faz uma mistura ideal entre as batidas rimadas e bastante swing. O grupo do coletivo VALA Crew ganhou destaque e entrou na cena nacional com o single "Cherry Blossom", produzido à convite do DJ Caique para o Coligações Expressivas 4. Em 2018 vem o segundo disco Vida Clássica, e não dá pra esperar menos que um trampo bonitáço.

Solveris nas redes .

VICTOR XAMÃ

Nativo de Manaus, é um dos manos mais originais da atualidade e tá no corre desde 2012. Começou a ganhar reconhecimento nas rimas e nos beats a partir do álbum Janela , lançado em 2015. Seu mais novo disco, VE, CG, é de longe um dos melhores lançados em 2017, com um pique bem conceitual sobre a dualidade da cidade que ele nasceu e vive.
Neste ano ele esteve em grandes projetos, como o "Cypher Box" e o clipe de "José Aldo", ambos pelo canal do Rap Box. Tamo ligado também que tem um "Perfil" dele pra sair pela Pineapple e a tendência é vê-lo ir longe.

Ouça o disco completo e siga o Victor Xamã no Facebook .

VLD

A rataria do Rio segue bem representada por Dioclin, Americvno, Moisés e Wanderlean. Com uma atmosfera bem sujeira, A mixtape Valadão chegou em novembro na pista e vai ganhar alguns clipes antes do próximo disco, que vai ser lançado em parceira com o selo Tudubom Records. "Polak" é o hit. Fé!

Facebook do VLD .

WELL

Com quatro anos de carreira e um dos monstros das batalhas de BH, a caneta afiada do Well ganhou notoriedade nacional este ano, a partir de colaborações com Coruja BC1 e Djonga. Pro próximo ano, o MC aposta no grime — estilo de som inglês que mistura drum, bass, ragga e rap em uma batida bem agitada e suja — e já prepara uma mixtape de trabalho e alguns singles mais focada nesse novo ritmo pelo seu selo Antehype.

Acompanhe o Well .

DELATORVI

Uma das maiores promessas do trap, o Delatorvi tem influência musical de grandes nomes como Prince, Racionais MC’s e Kanye West, e traz uma mistura de batidas fortes, versos sobre revolução e um grito por uma sociedade sem racismo. Conhecido como Jovem Prince, está no corre desde 2014 com o rap tradicional. Mas foi em 2017, com o lançamento da mixtape A Vida de Emmett Till, em parceria com LR Beats, Aori, Well e Raffa Moreira e a sua entrada no selo belorizontino Antehype Music que o som começou a deslanchar no cenário nacional. Pra 2018, O rapper de Nova Lima (MG) prepara a mixtape Gospel Gang, que une a música gospel à questão dos trappers serem considerados "artistas-problema" e vem desmistificar essa ideia. A produção contará com as participações de Brisa Flow, Nego-E, Izumed, Oreia DV e Makalister.

Facebook do Delatorvi.

CARD

Mais um artista de Minas Gerais na lista. O MC dropou o CARD EP em outubro desse ano, sendo seu primeiro ato na carreira. O trabalho se destaca pela habilidade do "Deus de Nike" em rimar, produzir e interpretar, sendo possível perceber embates entre a sobriedade — que por vezes soa prepotente — e o idealismo; da sutileza do conteúdo externo e a agressividade do interno. É um projeto sucinto, de participações "caseiras"; no qual as ambições do eu-lírico abrem frestas sobre os futuros atos do artista, que torna o disco uma peça inicial de uma grandiosa obra. Passado dois meses do lançamento, CARD começa a dar início à produção de novos trabalhos para 2018, entre os quais estão previstos: mixtape, feats e singles.

Card e HFF nas redes.

ABLUNT

Rapper e beatmaker de Londrina, cria das batalhas de MCs, o Ablunt lançou a Mixtape Karma no início desse ano, da qual posso destacar cadência e muita sagacidade nas rimas. Ele já tem no pente o EP Vida Extra pra sair nas próximas semanas e um cypher que conta com participações de UZI, ADL e Lubs e produção do Caim T$K.

Ablunt e o selo Lil London no Facebook.

LUCAS DCAN

O famoso gogó de ouro do Rio é uma das boas apostas do R&B para o ano que vem. Dcan se destaca pela escolha de beats, os refrões chicletes e a facilidade de transitar por outras vertentes, como o trap. Desde sempre com colaborações muito bem feitas, entre elas Luccas Carlos e Pollo, esse ano ele chegou com alguns singles e feats, destacando-se a parceria com Diego Thug e Drinpe. Sabemos da existência de dois clipes engatilhados para o primeiro semestre de 2018 e apostando numa estética inovadora, surpresa seria não ouvir falar dele.

Página do DCan no Facebook.

MATUÊ

O Matuê é um dos rappers de maior ascensão da cena atual. Nascido em Fortaleza e criado em Oakland, na California, começou a ganhar destaque no final de 2016, com uma estética ímpar e enorme originalidade musical. Ao longo deste ano o artista e diretor criativo de seu selo 30PRAUM tem inovado a cada som, com singles e colaborações estrondosos, como "Copo Roxo" com Costa Gold, "H.O.R.T.A" com Menestrel e "Anos Luz", que já conta com mais de um milhão de acessos. Matuê tem de tudo pra voar ainda mais alto, talvez até à música pop nacional.

30PRAUM e Matuê nas redes.

Mais VICE
Canais VICE