Publicidade
Music by VICE

Apple Music Vai Pagar Artistas Durante Período Gratuito Após Carta Aberta de Taylor Swift

Ela deu um tapa na cara do novo serviço de streaming mais forte que aquele do clipe de "Bad Blood".

por Joe Zadeh
23 Junho 2015, 2:25pm

Até então, a Apple havia ignorado por completo os protestos de artistas e selos independentes, mas agora voltou atrás com a controversa política de pagamentos de seu novo serviço de streaming. Por quê? Porque a Taylor Swift deu um baita tapa na cara deles mais forte do que naquela luta inicial do clipe de “Bad Blood” ao largar uma bomba na forma de uma carta aberta no Tumblr (a arma digital mais potente do Século 21)

A Apple Music já vinha sofrendo ataques por conta de sua proposta de não pagar nada de royalties pelas músicas ouvidas durante os três meses grátis de seu serviço – assim negando aos artistas qualquer renda em cima de suas músicas durante esse período – apesar de a empresa valer mais de 700 bilhões de dólares.

Continua abaixo...

Em suma, a coisa toda era uma medição de forças entre a própria indústria, em que a Apple queria que as gravadoras absorvessem o custo deste período gratuito para os usuários; já as gravadoras e artistas queriam que a Apple metesse a mão em seus enormes bolsos e cobrisse tais custos. Não estava lá muito claro no que esse cabo de guerra daria, até que T-Swizzle, que consegue clamar pelo apoio popular mais do que o governo britânico, escancarou o debate com uma carta aberta no sábado (20), que descrevia a atuação da Apple como “chocante, desapontadora, e completamente contrária à imagem histórica de empresa progressiva e generosa”.

No domingo, a Apple deu o braço a torcer e decidiu reverter a prática após a intervenção de Swift, como evidenciado por tuítes do Vice-Presidente Sênior da empresa, Eddy Cue. Ele também declarou ao Buzzfeed que empregará um sistema de pagamento “por streaming” para todos os artistas durante o período gratuito.

#AppleMusic vai pagar os artistas pelo streaming, mesmo durante o período gratuito para os clientes

Pode parecer demais uma estrela pop que possivelmente poderia bancar a mudança da lua um pouquinho mais pra esquerda se envolver com três meses de grana perdida, mas a carta deixou clara que esta era uma causa válida:

“Isto não é sobre mim. Felizmente estou no meu quinto disco e consigo sustentar a mim, minha banda, equipe e agentes ao fazer shows. Isto diz respeito ao novo artista ou banda que acaba de lançar seu primeiro single e não receberá nada pelo seu sucesso. Isto diz respeito ao compositor que acaba de lançar sua primeira faixa e que acreditava que os royalties o ajudariam a pagar suas dívidas. Isto diz respeito ao produtor que trabalha incansavelmente para inovar e criar, assim como os inovadores e criadores da Apple são pioneiros em sua área... Mas não receberão um quarto do que deveriam por um ano inteiro de reproduções de suas músicas.”

É o tipo de coisa que faz pensar como Taylor Swift ficou poderosa. O que mais ela poderia solucionar com sua força no Tumblr? Poderíamos largá-la em meio ao conflito entre Israel e Gaza? Poderíamos enviá-la para proteger o último rinoceronte branco dos caçadores? Ela poderia participar do Grexit pra ver se consegue dar um jeito naqueles números? Será que ela conseguiria dar jeito na minha máquina de lavar? Ela nunca sabe quando parar e nunca seca. Enche o saco aquilo.

De qualquer forma, se você achou que foram muitas palavras até aqui: Taylor Swift falou, o mundo melhorou.

Você pode seguir o Joe no Twitter.