O Primeiro Álbum do Goiano Kastelijns É uma Boa Mistura de Voz Lo-Fi com Violão Atmosférico

Com colaboração do guitarrista do Boogarins, a coletânea 'Raposa' vai ser lançada em fita cassete pelo selo Lalonge, do próprio artista. Ouça com exclusividade aqui no Noisey.

|
12 Novembro 2015, 11:00am

A adolescência é uma fase escrota. Sua cara enche de espinha, começa a crescer pelo onde não tinha, a vida passa a te afetar de um jeito diferente e você fica naquele limbo estranho entre a infância e a fase adulta. Com o artista plástico Pedro Kastelijns também rolou tudo isso. E o jeito que ele encontrou para lidar com os misteriosos sons que surgiram na sua cabeça nessa época foi gravando um punhado de música. Desde 2012, quando tinha apenas 14 anos, ele toca violão e grava uns sons no seu próprio quarto. Nesta quinta-feira (11), o goiano de 18 anos lança seu primeiro álbum, Raposa, uma coletânea de faixas gravadas nesse intervalo de tempo.

Misturando voz lo-fi com violãozinho atmosférico, Kastelijns explica que o seu som foi muito influenciado pelo John Frusciante. "Ele fala muito sobre fazer música por fazer música e que arte não precisava estar relacionada à técnica mas somente à criação. Depois que escutei seu disco de estreia, o Niandra Lades and Usually Just a T-shirt, me senti seguro pra criar qualquer música que quisesse e do jeito que eu bem entendesse".

Por quase sempre compor durante o processo de gravação, as faixas do Raposa não têm uma ideia bem definida de verso e refrão. "Foi tudo muito simples, orgânico e desinibido. Sempre já tinha alguma cor, som ou sentimento na minha cabeça, fazia alguma coisa com o violão e colocava pra gravar até achar que tava legal", disse. "Daí, escutava e ia adicionando camadas de voz e outros barulhos em cima dessa faixa do violão".

Com colaboração do Benke Ferraz, guitarrista do Boogarins, a coletânea vai ser lançada em fita cassete pelo selo Lalonge, criado pelo próprio Kastelijns. Ouça abaixo: