Publicidade
Entretenimento

Minha jornada ao centro da teoria da conspiração da Terra Plana

Apesar de serem uns xaropes, os seguidores da teoria da Terra Plana são admiráveis sonhadores.

por Sam Kriss
12 Fevereiro 2016, 9:00pm

Meu encontro com a Terra Plana começou, como a maioria das descobertas que mudam sua vida, como uma piada. É sempre gratificante tropeçar numa pequena subcultura coesa da internet que você nem sabia que existia; é tipo levantar uma pedra e descobrir que besouros construíram uma cidade funcional em miniatura embaixo dela. Existe toda uma outra realidade nesse luar, rolando sob um céu muito diferente, e cada nova camada de estranhamento mostra que o mundo é mais rico e complexo do que você imaginava. Essas são pessoas do século 21 que honestamente acreditam que a Terra é plana, e que uma grande conspiração global existe para nos fazer acreditar que ela é uma esfera cercada por vazio. Você não quer, pelo menos, saber o que eles têm a dizer?

Como a maioria das comunidades marginais, o movimento da verdade da Terra Plana é uma coleção nebulosa e variada de blogs, fóruns e comunidades decadentes do Facebook, uma teia de aranha global, mas se ela tem um centro, provavelmente é o YouTube. Há milhares de crentes da Terra Plana lá, cosmologistas amadores que usam o Windows Movie Maker, todos absolutamente certos de que conseguiram desmascarar sozinhos um pedaço de ciência de 20 séculos. Devo ter assistido horas de discursos enfurecidos sobre a Terra Plana; muito melhor que a programação normal da TV. Rapidamente, aprendi a evitar os vídeos longos, populares e pedantes, que se descrevem como "documentários" mas que geralmente são só uma pessoa (quase sempre um cara), num quartinho mal iluminado, tentando parecer razoável enquanto fala sobre fotos da Terra do espaço e mostra uma sequência tediosa de slides.

As coisas realmente engraçadas vêm das contas menores, pessoas que dão muito menos bola para soar respeitável, que mergulharam tão fundo nessa comunidade hermética que esqueceram como as pessoas podem não ver a verdade. A bizarrice começa logo; é quase uma arte, cada vídeo acrescentando suas próprias inovações formais malucas.

Um usuário colocou seus pontos principais em texto sobre filmes de Hollywood de monstros e alienígenas, com uma trilha sonora épica de dubstep, insistindo que não está fazendo nenhuma afirmação, apenas perguntas — todas formulando um cenário "e se" – mas as legendas entregam o jogo. "E se os ILLUMINATI têm a tecnologia do STARGATE e a Terra Plana NUNCA mais vai ser a mesma?" "E se VOCÊ foi enganado e a Terra Plana é real?" Um cara que se chama Math Powerland aparece, sei lá por quê, usando um terno manchado de tinta metálica. Outras pessoas acham que as pistas estão na língua: a palavra planet é plane mais um cubo desdobrado! E se não estamos vivendo no inferno, por que você cumprimenta as pessoas com Hell-o? Era engraçado: olha esses caras e como eles estão errados, não é hilário? Até que, de repente, não é mais engraçado.

Quando se fica muito tempo imerso nisso, você também começa a acreditar. Muitos mais que quem acha que os Illuminati comandam o hip hop ou que as vacinas causam autismo, o pessoal da Terra Plana parece estar falando de algo real, essa sensação de que há algo irredutivelmente errado com o mundo e a maneira como o vemos.

Parado na praia, com o vento de inverno soprando meus cabelos na direção das ondas, tentei ver a curvatura da Terra no horizonte e não achei isso em lugar nenhum. É plana! Por que ninguém está tentando explorar os vastos recursos da Antártica se isso é só um continente flutuante e não a muralha de gelo proibida que cerca a Terra chata? Por que as rotas dos voos comerciais no hemisfério sul se curvam para cima, em direção ao equador, quando faria muito mais sentido voar sobre o Oceano Antártico? Como um voo de Wellington, Nova Zelândia, para Santiago, Chile, pousa também em Los Angeles? Se o mundo é mesmo redondo, esse seria um rolê em triângulo totalmente inútil, mas se seu mapa é chato com o Polo Norte no centro, a rota forma quase uma linha reta.

Alguém está mentindo para nós. O que essa pessoa sabe, e por que somos mantidos no escuro? Rir dos absurdos dos caras da Terra chata é uma maneira de afastar a ideia desconfortável de que eles podem estar certos. É muito mais difícil ter certeza das coisas quando você começa a duvidar do próprio chão em que pisa; o mundo ficou escuro e misterioso, e monstros rugem além do horizonte. Onde estou? Onde realmente estou?

"As cidades no fundo estão a aprox. 25 km de distância... onde está a curva? por favor explique isso"

Descobri que o pessoal da Terra Plana tem algo importante para nos ensinar. Eles podem estar errados sobre o formato da Terra, mas quando se trata de outras perguntas mais importantes, eles estão mais perto da verdade do que aqueles que monotonamente repetem que o mundo é uma esfera flutuante. Mês passado, o rapper B.o.B. teve uma pequena treta no Twitter com o astrochato televisivo Neil deGrasse Tyson por conta da Terra Plana: B.o.B. insistia que a história era real; Tyson manteve que não era, e acabou participando de um excruciante rap paródia baseado em ciência para provar seu ponto.

Tyson terminou o bate-boca escrevendo: "Cara — para deixar claro: uma regressão de cinco séculos no seu pensamento não significa que não podemos gostar da sua música", conseguindo assim estar mais errado que alguém que acha que a Terra é plana. Não é só o péssimo u extra em dude — é que cinco séculos atrás, em 1516, ninguém pensava que a Terra era plana. Tyson tem deixado bem claro que desconsidera a filosofia, o que é uma vergonha. Se ele lesse seu Hegel, ele saberia que conceitos no presente não emergem imaculados do passado, esse fenômeno é um produto da totalidade concreta das relações humanas.

Como todo mundo sabe, Colombo não provou que a Terra é redonda; estudiosos da Europa já sabiam muito bem disso (desde a Grécia Antiga, aliás); ele achava que a terra era muito menor do que é, e acabou se mostrando errado. O movimento da Terra Plana é um fenômeno distintamente moderno, datando do meio do século 19, quando escritores como Samuel Rowbotham (que usava o pseudônimo "Parallax") começaram a escrever panfletos insistindo que a astronomia era uma farsa e a Terra era plana.

Repare que esse desenvolvimento só aconteceu com a ascensão de um capitalismo verdadeiramente global, e que do que o filósofo Max Horkheimer chamaria mais tarde de "razão instrumental" — razão científica que não explica apenas a realidade, mas que é colocado em uso (um modo de razão que aliena as pessoas de um mundo reconfigurado como uma grande fábrica). Para milhões de pessoas, os avanços tecnológicos não significaram liberdade mas miséria completa — e como essa teoria diz que tudo pode ser conhecido, a razão instrumental abstrai esse conhecimento além da experiência imediata. "Iluminismo", escreveu Horkheimer, "sempre visou libertar os seres humanos do medo e os instalar como mestres. Ainda assim, toda a Terra iluminada brilha com a calamidade triunfante". Encarando uma realidade que não podia mais ser entendida intuitivamente, cujos segredos se tornaram propriedade de uma pequena classe de cientistas e administradores, os primeiros seguidores da Terra Plana tentaram recuperar alguma autonomia. Eles insistiam que sua própria experiência, não o decreto da classe dominante, era a verdade. E quando você vê a Terra com seus próprios olhos, ela não parece redonda. Ela parece plana.

No livro Post Scriptum Final Não-Científico às Migalhas Filosóficas, Søren Kierkegaard conta uma parábola: um homem escapa de um manicômio, mas tem medo de voltar para a cela se descobrirem que ele é louco. Então ele decide responder toda pergunta com uma verdade inegável: "A Terra é redonda". Isso, claro, é loucura, e ele logo é preso de novo. A banalidade de insistir furiosamente que a Terra é redonda torna isso, de certa maneira, menos verdade do que a ideia de que a Terra na verdade é plana. Por não ser verdade, no sentido mais chato e convencional da palavra, a teoria da Terra Plana tem um potencial criativo enorme: são milhares de pessoas constantemente criando novas realidades cristalinas e postando isso no YouTube. A Terra Plana é tão fascinante porque numa era onde grande parte do mundo é desencanto e tanto da experiência social já vem pronta — você vai ter um trabalho, vai ter sua vida, vai ser explorado e vai morrer – ainda existe gente que consegue sonhar com a Terra numa forma diferente. Ela é plana.

Siga o Sam no Twitter.

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.