extrema-direita

Conheça os memes dos alt-right nos EUA

Setenta anos depois e os nazistas ainda não aprenderam a ser engraçados.

por Justin Caffier; Traduzido por Marina Schnoor
27 Janeiro 2017, 2:12pm

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE US.

Memes e alt-right andam juntos como manteiga de amendoim e geleia num pão cortado em formato de suástica. Os memes da internet são a moeda com a qual esses jovens nacionalistas, também conhecidos como "direita alternativa", negociam, se esquivando de textões articulados sobre Mein Kampf em favor de frases de efeito e imagens macro virais para serem compartilhadas em fóruns e subreddits.

Além disso, o movimento por si só é um meme semiconsciente que parece existir apenas em espaços seguros e anônimos da internet. Assim como usar memes fora da internet é constrangedor e ineficaz, um dos eventos da vida real mais divulgados da direita alternativa, o "DeploraBall", foi considerado uma tempestade de merda colossal devido às brigas internas físicas e ideológicas.

Postar merda para conseguir uns "kkkks" também é muito mais difícil de fazer na vida real sem a máscara do anonimato. O supremacista branco e saco de pancada humano Richard Spencer, o garoto-propaganda dos alt-right norte-americanos, disse que seu "Heil Trump" num comício pós-eleitoral foi feito no espírito da "ironia". O que não combina muito com um discurso de Spencer pedindo por uma "limpeza étnica pacífica" na conferência American Renaissance de 2013, mas serve também para mostrar que o grupo tem outras intenções tenebrosas além de simplesmente querer trolar defensores da justiça social.

Leita também: "Membros da "direita alternativa" norte-americana esperam um país mais branco"

Compilamos um guia de campo com algumas frases e memes que supremacistas brancos norte-americanos compartilham entre si, assim se você cruzar com eles na natureza, vai saber se aquele seu amigo da faculdade é simplesmente fã de história do século 11 ou deseja secretamente erradicar quem não é branco.

O Sapo Pepe


Se Richard Spencer é o mascote do grupo, o Sapo Pepe é sua versão em meme. Muito já foi dito sobre a ascensão do anfíbio de um personagem de quadrinhos da internet para uma mascote neonazi, incluindo pela campanha de Hillary Clinton.

Apesar da falsa incredulidade da direita alternativa (e de uma variedade de simpatizantes do Trump) quando a Liga Antidifamação acrescentou Pepe em sua lista oficial de símbolos de ódio, não dá para acreditar que alguém usando o personagem hoje não entenda o sentimento nazista por trás da imagem, então é melhor considerar a pessoa cúmplice de espalhar ódio ao se utilizar o desenho. A suástica também já foi um símbolo religioso inocente. As pessoas têm essa tendência de estragar coisas legais.

Cuck


Outra coisa que foi assim tão coberta pela mídia que não precisamos gastar muito tempo nisso. Os simpatizantes do Trump há tempos chamam quem discorda deles de "cuck", porque querer que todo mundo tenha acesso à saúde pública é a mesma coisa que deixar um estranho transar com a sua esposa.

O toque especial dos supremacistas brancos nesse "old but gold" é a pregação do medo adicional de que aquele que fode é uma pessoa não branca. Louis CK se tornou o alvo número 1 de memes cuck baseados em raça do 4chan em 2014, por ousar ter material de comédia que abordava o privilégio branco.

Tenha cuidado ao julgar a intenção e seriedade quando ouvir alguém usando "cuck" hoje em dia. Quando os "normies" se familiarizaram com "cuck" como um insulto da direita alternativa, o termo ganhou um terceiro estágio de vida como brincadeira entre esquerdistas, tipo o meme "thanks, Obama".

Deus Vult


Screenshot via usuário do YouTube Starbot Dubs.


Faz tempo que a iconografia dos cruzados está entrelaçada à islamofobia, então os supremacistas brancos não tiveram que pensar muito quando descobriram esse grito de guerra em latim da primeira cruzada do Papa Urbano II.

Traduzido para algo como "Vontade de Deus", deus vult emergiu depois de um milênio hibernando num vídeo de 2015 de sírios cristão bombardeando o ISIS. Desde então, os fóruns dos alt-right abraçaram as palavras, usando isso como uma permissão divina para desejar a morte de muçulmanos. Vândalos até picharam a frase numa mesquita da Escócia em dezembro passado.

Assim como Pepe, a janela de inocência está se fechando rapidamente para quem usa a frase.

Homem Lua


Ao pegar emprestado um personagem em formato de lua crescente de uma propaganda dos anos 80 do McDonald's, supremacistas brancos cooptaram essa mascote inocente de restaurante (ironicamente baseado no ícone da música negra Ray Charles) como rosto para "paródias" em rap com voz digitalizada (que não vale a pena linkar aqui) que descrevem uma variedade de cenas sanguinolentas de assassinato de negros, usando todos os epítetos que você pode imaginar. É como se o computador do Stephen Hawkings e Weird Al Yankovic tivessem um filho muito racista com conexão wifi, ainda que sem talento algum.

É só um meme para tirar alguma reação de você, claro. Não existe uma alma aqui, certo?

(((Parênteses Triplos)))


Talvez você tenha notado recentemente várias das suas contas favoritas do Twitter cercadas por três parênteses de cada lado. Isso é resultado de um esforço solidário para derrubar uma tática escrota da direita alternativa de marcar — ou colocar uma estrela, se você preferir — jornalistas judeus.

Concebido no podcast neonazi The Daily Shoah, esses "ecos" de parênteses eram escritos ao redor de nomes de figuras públicas e jornalistas judeus quando mencionados no Twitter. O objetivo era ajudar nas buscas antissemita no Twitter. Agora o site já atualizou seu mecanismo de busca para derrubar os parênteses, tornando a tática de ódio inútil. Mas você ainda vê isso, como no título do vídeo abaixo, como uma espécie de órgão vestigial racista.

"Interesses Especiais Globais"


Tudo que você tem que saber aqui é que quando Donald Trump usa essa frase ("global special interests"), muitos simpatizantes dele ouvem "judeus". Agora você sabe que tem que ficar um pouco preocupado se sua prima começar a usar uma caralhada de parênteses no grupo do WhatsApp da família.

Operação Google

Todo mundo já viu alguém que se sente pessoalmente prejudicado por não poder usar publicamente aquela palavra inglesa com "n" enquanto pessoas negras podem. Sendo assim, o 4chan tirou um esquema de códigos diretamente do livro didático da KKK depois que o Google lançou um programa para filtrar obscenidades assim nas buscas.

Acusações de "CENSURA" estouraram, e os moleques do site rapidamente formularam um código para substituir xingamentos racistas filtrados pelos nomes de empresas de tecnologia (judeus = Skype) e referências a Clube da Luta (pessoas trans = Durden).

A lógica espúria por trás desse esquema é que se gente suficiente começasse a chamar negros de "googles" na internet, a gigante da tecnologia eventualmente teria que censurar suas próprias páginas. O que nunca aconteceu, óbvio. Em vez disso, um punhado de tuítes bestas como o abaixo apareceram no Twitter por um minuto.

WE WUZ KINGS


A Hipótese dos Egípcios Negros é uma teoria amplamente contestada de que os faraós egípcios (e seus cidadãos) tinham a pele mais escura do que imaginamos hoje. Apesar de ser uma teoria contestada, a direita alternativa a adotou como outra arma de seu arsenal para denegrir negros.

Os memes Kings/Kingz/Kangz típicos giram em torno de postagens preguiçosas nas quais a pessoa diz (zombando) que se não fosse pela opressão branca (que, implicitamente, não existe), os negros seriam realeza.

Dindu (Nuffin)


Procure por essa frase principalmente nos comentários de matérias sobre a morte de afro-americanos. "Dindu nuffin" (geralmente abreviado para "dindu") é uma bastardização de "didn't do nothing" ["não fez nada"], em referência às afirmações de pais, amigos e membros da comunidade de que a pessoa morta pela polícia era inocente.

Mesmo em casos não envolvendo atos da polícia ou criminosos, pessoas negras, simplesmente chamadas de "dindus", ainda são alvos de memes da direita alternativa. Presumir que a vítima é culpada toda vez que um negro é ferido ou acusado de um crime é um preço que os supremacistas brancos estão dispostos a pagar pela oportunidade de rir de mães em luto.

Passeios Grátis de Helicóptero


"Voos da Morte" eram uma forma comum de execução extrajudicial durante a Guerra Suja na Argentina e depois do golpe de 1973 no Chile, onde dissidentes eram jogados de um avião ou helicóptero para a morte. De 1976 em diante, milhares de oponentes políticos do almirante argentino Luis María Mendía e do chileno Augusto Pinochet foram mortos assim.

Esse desrespeito com a vida é hilário para muitos alt-right. A partir do meio de 2015, membros de certos fóruns começaram a sugerir que seus oponentes políticos deveriam ganhar "passeios de helicóptero".

Os mais fãs desses meme podem até comprar a linda camiseta "Passeios de Helicóptero Pinochet" (que não vamos linkar aqui), para Übermensch de todos os tamanhos.

Siga o Justin Caffier no Twitter .

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram.