Então você decidiu se importar com as mudanças climáticas

Um guia básico pra você não se perder no meio das discussões sobre as tais mudanças climáticas.

|
17 Julho 2017, 11:00am

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE US.

Caceta, você leu a matéria de capa da New York Magazine sobre mudanças climáticas de David Wallace-Wells? Intitulada "A Terra Inabitável", na qual ele diz (mais ou menos) que a humanidade está no caminho do apocalipse em 2100. Parece que a sociedade está preste a entrar em colapso, logo haverá guerra por toda parte, não teremos mais comida e as pessoas vão começar a cozinhar sob o sol.

Se tudo isso te deixou meio perturbado, você não está sozinho.

"Por que fui ler uma maldita matéria sobre mudanças climáticas antes de ir pra cama?"

Depois que a matéria foi publicada, Wallace-Wells admitiu estar recebendo críticas por ser alarmista demais, mas a história colocou as mudanças climáticas ainda mais na consciência do público, o que é bom, e uma boa razão para se manter informado.

Não vou julgar se você esteve evitando as conversas sobre mudanças climáticas há anos porque o tema parecia muito fora da sua alçada. Não é fácil falar sobre isso, e os argumentos dos céticos climáticos (como os comentários no Facebook que inevitavelmente vão aparecer em resposta a este texto) sempre são nebulosos.

Felizmente, você só tem que passar um tempinho aprendendo sobre essa coisa para falar com confiança. Alguns dos links abaixo só levam um minuto para assistir ou ler, outros levam 15 ou 20, mas caso você digira todos eles, estará pronto para o qualquer diálogo na minha humilde opinião. Não posso realmente te ajudar a ser uma pessoa mais moral, ou "consertar" o problema, mas ler e assistir sobre o assunto pode tornar as mudanças climáticas finalmente reais pra você.

David Roberts: "Mudanças Climáticas São Simples"

Eu sei. "Sério que você vai começar com uma palestra de cinco anos atrás do TED?" Sim, vou, mas prometo que essa é muito boa. Vídeos com nomes como "Tudo que você precisa saber sobre mudanças climáticas" são todos péssimos. Eles jogam informações demais na sua cara e ao mesmo tempo usam imagens toscas, como quando Bill Nye tentou explicar o derretimento das calotas polares te pedindo pra imaginar um cubo de gelo de seis quilômetros.

Por outro lado, você tem esse vídeo, no qual David Roberts, que agora escreve para a Vox, sintetiza todos os conceitos básicos de mudança climática numa capsula de fácil digestão em sua palestra do TED. "É assim que o efeito estufa funciona. É isso que você precisa saber sobre o clima durante a história. É isso que queremos que aconteça. Provavelmente é isso que vai acontecer." Pronto. Parabéns: Você está informado.

"O Que Realmente Está Esquentando a Terra" da Bloomberg

Da próxima vez que algum cara aleatório começar a dizer "Hum, na verdade é a temperatura do Sol que está esquentando a Terra", ou algo do tipo, você pode querer um jeito simples de visualizar como os gases-estufa impactam a temperatura. Tem coisas muito mais difíceis que os gráficos animados da Bloomberg, feitos por Eric Roston e Blacki Migliozzi. Eles mostram como a temperatura global e as várias forças naturais poderiam ter um efeito na temperatura da Terra, incluindo o Sol, vulcões e desmatamento. O que você vai ver é que nenhum fator se liga com as mudanças observadas na temperatura tão conclusivamente quanto as emissões de gases-estufa.

Esses gráficos não convenceram ninguém (claro). Parcialmente porque – como eles dizem na metodologia – a Bloomberg usou um modelo climático especializado da NASA em seu gráfico de emissões que não é simplesmente as emissões cruas de gases-estufa. Uma linha num gráfico representando os gases-estufa, claro, vai continuar subindo. Se você quer uma imagem mais completa, o geocientista da Penn State Richard Alley (republicano, se é que isso importa) resumiu a coisa toda numa palestra de 2015. "A história das mudanças climáticas parece mais ligada aos gases-estufa que a qualquer outra coisa, e esses gases-estufa mostram que coisas como o CO2 tiveram o maior controle disso", diz Alley.

Gases-estufa geram um aumento na temperatura. Não tem mais por que debater isso. Sacou?

"A Terra Está Ficando Mais Quente?" de Bill McKibben

Esse textão do New York Review of Books foi o "A Terra Inabitável" original. Depois de um dos verão mais quentes registrados, em 1988, Bill McKibben (que mais tarde se tornaria tipo um Michael Jordan do ativismo climático) escreveu uma revisão da literatura científica recente sobre mudanças climáticas. McKibben estava tentando dar um senso de urgência para a coisa toda, 29 anos atrás, e só agora estamos começando a ouvir. A abertura poderia ser escrita quase que nas mesmas palavras hoje, em referência aos registros recentes de temperaturas mais altas.

"Alguns especialistas dizem que o calor pode ser um sinal do que esperar do 'efeito estufa' – o aumento nos níveis de dióxido de carbono na atmosfera como resultado da queima de combustíveis fósseis. O dióxido de carbono prende a radiação infravermelha do Sol na superfície do planeta e faz a temperatura subir. Outros especialistas dizem que não: o calor no verão passado foi simplesmente uma anomalia climática."

O que também é fascinante: o ex-cientista da Universidade de Virgínia Fred Singer aparece no texto de McKibben como um dos maiores críticos do que na época era chamada "teoria do efeito estufa". Agora, com 90 e poucos anos, Singer continua um cético climático importante, e foi um entre um punhado de cientistas que aconselhou Donald Trump a recusar o Acordo Climático de Paris. E essa foi uma decisão criticada pelo ex-CEO da Exxon/Mobil e atual secretário de Estado Rex Tillerson.

Ah, e falando nisso...

"Exxon: A estrada Não Tomada"

Em 2015, a PBS e o blog investigativo Inside Climate News produziram um relatório mostrando que a Exxon aparentemente sabia que as emissões de combustível fóssil estavam levando a mudanças climáticas lá em 1977, e a empresa estava pronta para estar no fronte de uma ciência climática realista. Aí, parece que a Exxon deu uma enorme meia-volta e em vez disso financiou muita da ciência que abastece o movimento negacionista. Depois de consideráveis debates internos, a Exxon acabou admitindo que as mudanças climáticas eram reais sob a liderança de Tillerson em 2007.

O chefe das Relações Públicas da Exxon, Richard Keil, falou com o moscão veterano da NPR Bob Garfield no On the Media depois do relatório, e a conversa é muito gratificante de se ouvir.

A retrospectiva do Mother Jones "Climategate" de 2011

Talvez você lembre das notícias que circularam em 2009, quando alguns cientistas climáticos foram desmascarados como fraudes, e – ostensivamente – o golpe corrupto das mudanças climáticas foi exposto. A comunidade negacionista batizou as revelações de "Climategate". Isso, claro, não foi o que realmente aconteceu, mas pode corresponder com suas lembranças dos eventos quando era criança, ou se não estava prestando muita atenção. De 2008 a 2009, a crença dos americanos na realidade das mudanças climáticas caiu de 71% para 57>#/span###.

O que aconteceu foi (suspiro) um vazamento de e-mails. Alguns dos e-mails mostravam cientistas falando sobre usar dados de maneiras que soavam insuficientes. E francamente parte disso – envolvendo estimativas climáticas retiradas de anéis de árvores – era um tanto insuficiente, mas honestamente não teria mudado a conclusão deles. Tudo isso está resumido no vídeo extremamente nerd acima.

A matéria completa da Mother Jones, "Climategate: O Que Aconteceu?" é uma visão geral ótima do modus operandi dos negacionistas. Nas palavras de alguns cientistas envolvidos no Climategate, sempre que um cheiro de má administração aparece, "Os suspeitos típicos ficam exultantes que o 'boato' foi revelado e parabenizam todo mundo em volta", acrescentando "O efeito final nos leigos? Confusão. Os efeitos finais na ciência? Nenhum".

"O Mar Escurecido" de Elizabeth Kolbert

Essa matéria de 2006 é bloqueada pelo paywall da New Yorker, então pode não estar disponível para quem não é assinante. Quis destacar esse texto mesmo assim porque é um perfil bem completo do irmão gêmeo mau das mudanças climáticas: acidificação do oceano, que de certa maneira é um problema maior. Os oceanos são uma vasta "pia de carbono", pegando nossas emissões, as transformando em ácido carbônico – a coisa que faz as bolhas dos refrigerantes – e mudando o pH da água. Em outras palavras, a acidificação dos oceanos não está acontecendo como resultado das mudanças climáticas, está acontecendo junto com as mudanças climáticas, e isso tem todo tipo de efeito na vida marinha.

Isso não significa apenas más notícias para os corais, que estão começando a morrer em larga escala, como você provavelmente já sabe. Um cientista disse a Kolbert que o sumiço de várias espécies é como "fazer o curso da evolução ao contrário". Outro alertou que "O risco é que no final teremos a ascensão do limo".

Se leu e assistiu mesmo essas coisas todas, você provavelmente está desesperado agora, e não posso te ajudar com isso. Desculpa. A boa notícia é que, pelo menos, agora você tem uma base de conhecimentos comprovados. Espero que isso faça você se sentir um pouco melhor.

Siga o Mike Pearl no Twitter .

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.